Gravidez

Gravidez mês a mês: a saúde da grávida no quarto mês de gestação

A gravidez é uma fase mágica para qualquer mulher e marcada por muitas mudanças que podem causar estranheza num primeiro momento. É preciso levar em conta que existe um ser único crescendo dentro da barriga da gestante e que isso traz diversas novas demandas para o corpo e a mente da futura mamãe. Por essa razão, acompanhar a gravidez mês a mês é essencial. O quarto mês de gestação — início do segundo trimestre — é muito importante. Ele marca uma série de transformações, pedindo novos exames, impondo novas realidades e estreitando ainda mais os laços entre a mãe e o bebê.

Tendo consciência disso, é hora de descobrir os detalhes desse período e aprender como conduzi-lo da melhor maneira. Para não deixar nenhuma dúvida e tornar esse quarto mês de gestação mais tranquilo e feliz, preparamos com carinho o post de hoje. Confira!

Uma nova etapa

No quarto mês de gestação, o bebê já está mais desenvolvido e começa a interagir muito mais com a mamãe e com o meio externo. Ele se move, chuta, engole e pode até ouvir e identificar as vozes das pessoas. É um período de crescimento significativo e o próprio cordão umbilical segue aumentando para levar os nutrientes necessários para o pequeno.

A placenta está totalmente formada e ao final desse período o seu filho deve estar com cerca de 15 cm e pesando 93 gramas.

O corpo da grávida

O corpo da mamãe começa a sofrer ainda mais mudanças nessa fase. É importante lembrar que ela sentirá mais fome, pois além do bebê ter mais necessidades nutricionais, os enjoos e náuseas matinais tendem a diminuir e até desaparecer. A barriga aumenta mês a mês e esse período certamente demandará mais roupas de maternidade e sutiãs tamanho extra!

Podem começar a surgir alguns grânulos nos mamilos, na região da aréola. Essa área também poderá ficar mais escurecida e geralmente aumenta consideravelmente o seu diâmetro (calma, isso é natural e regride após o final da gestação). O colostro também pode começar a aparecer precocemente, mas normalmente não é expelido nesse momento. No entanto, se surgir, não há nada errado nisso.

O tamanho da barriga também pode variar bastante. Ela não estará muito proeminente, mas certamente crescerá com muita rapidez nesse mês e isso pode trazer um pouco de dor ou desconforto. Enquanto sua irritabilidade deve diminuir, os ponteiros da balança devem seguir o caminho oposto! Músculos e articulações também ficam mais relaxados nessa fase.

Os corrimentos são um problema muito corriqueiro no quarto mês de gravidez. Apesar disso, eles devem ser mencionados na sua consulta mensal com o médico, apenas para que ele mantenha um controle bem feito para evitar qualquer problema. Em casos de infecção do trato urinário em gestantes, o tratamento antibiótico é necessário para evitar complicações.

Outros sintomas que podem aparecer nessa época são coceiras na pele, salivação aumentada, congestão nasal (com esporádicos sangramentos leves) e batimentos acelerados no coração. Não devem causar maiores preocupações, mas, mais uma vez, o seu médico deve ser avisado apenas por precaução.

Embora o corpo da futura mamãe já esteja se adaptando, gases, azia e má digestão também podem aparecer, mas não com a mesma periodicidade e intensidade de antes. Como a barriga aumenta, podem surgir algumas dificuldades para dormir, então o ideal é experimentar e acostumar-se com a posição de lado, preferencialmente o esquerdo. Travesseiros e almofadas podem ajudar nessa hora!

A importância da hidratação da barriga

Para quem acompanhar a gravidez mês a mês, essa fase é marcada por um dos grandes pesadelos das futuras mamães: as estrias na barriga. Para não ter esse problema — ou ao menos minimizá-lo —, a gestante deve passar hidratantes ou óleos na região. Não é hora de desanimar nem vacilar, pois depois já será tarde.

Peça ajuda ao seu parceiro, escolha cremes que gosta e cuide para que esse seja um momento gostoso entre você e o bebê.

Exames do pré-natal no quarto mês de gestação

O acompanhamento pré-natal é a maior prova de amor que uma mãe pode dar ao seu bebê durante a gestação. É por meio desses dados que o médico pode cuidar melhor da saúde do filho e da gestante, evitando ou minimizando diversos problemas e doenças — e possíveis complicações no parto. Ele também ajuda a orientar os pais e informar como devem agir em várias situações comuns nesse momento.

Os exames no quarto mês de gestação são essenciais, portanto, fique atenta a todos eles. É exatamente nessa época que muitas análises serão repetidas para ver se tudo está correndo bem. Também é nesse período que se costuma descobrir o sexo do bebê. Meninos são mais fáceis de identificar, mas meninas podem levar um tempinho a mais e causar dúvidas, pois a posição do bebê pode atrapalhar um pouco a visualização.

O ideal é repetir o exame de urina (mostra a presença de infecções urinárias, ainda que assintomáticas), de pressão arterial (avalia o risco de pré-eclâmpsia, que pode levar a um parto prematuro), de altura uterina (mede o tamanho do útero), ultrassom morfológico (avalia se rins, coração, bexiga e estômago estão se desenvolvendo bem, além de checar o líquido amniótico e o sexo do bebê) e VRDL (verifica a presença de sífilis).

O médico também pode sugerir outros exames específicos nessa fase, como ureia, ácido úrico, creatinina e também o de alfa-proteína (AFP), que serve para analisar as chances de problemas no desenvolvimento do tubo neural. Além de rastreio para infecções como citomegalovirus ou toxoplasmose.

Vale lembrar também que no início do quarto mês a grávida pode — e deve — ir ao dentista verificar sua saúde bucal, analisar a presença de cáries ou outros problemas e ser orientada a respeito do sangramento gengival, um probleminha bastante comum que pode surgir nessa fase.

Esse período é incrível e deve ser cercado de cuidados e carinhos para que possa ser aproveitado ao máximo, sem neuras! Ficou com alguma dúvida sobre o quarto mês de gestação? Quer dar sua opinião ou compartilhar alguma experiência? Não deixe de acompanhar os outros posts da nossa série “Saúde da Grávida”!

Categorias: Gravidez , Segundo trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.