Gravidez

O que você precisa saber sobre a sexualidade do casal pós-gravidez

Hormônios irregulares, amamentação, cansaço e dúvidas sobre a sua sexualidade do casal. Esses fatores, muitas vezes, caracterizam a mulher depois do nascimento da gravidez. É provável que o homem esteja mais focado em retomar sua vida sexual, enquanto a mulher foca nos cuidados com o bebê.

Esse é um processo normal pelo qual os casais passam e é preciso que haja paciência e honestidade entre os dois. Para entender melhor toda a questão e lidar bem com essa fase, veja neste artigo o que pode ser feito para melhorar o clima do relacionamento a dois pós-gravidez. Confira!

Quanto tempo esperar para fazer sexo

Esse tempo depende de alguns fatores, como o tipo de parto, a intervenção realizada e a recuperação da mulher. Alguns especialistas falam entre 20 a 40 dias para ter relações sexuais — claro, sempre tire suas dúvidas com o médico —, no entanto, a mulher é quem deve saber se está pronta e decidir, até porque ela pode sentir incômodo e dores durante o sexo. Ela deve estar preparada, feliz e não sofrer pressão do marido.

O sexo também é psicológico e não apenas penetração. Respeitar a decisão da mulher é fundamental, mas tentar fazer carícias, beijá-la e elogiá-la também podem diminuir esse tempo de abstinência.

Primeiras relações pós-parto

Por causa da amamentação, há menor produção de hormônios que lubrificam a vagina e isso pode causar incômodos durante o ato sexual. O que pode ser feito é utilizar lubrificantes (que não tenham riscos de contaminar o leite materno) ou mesmo se empenhar (bastante) nas preliminares, voltando á intimidade habitual do casal e lembrando que o prazer nem sempre será imediato. Nesses casos, a paciências de ambos é essencial.

Apetites distintos

Retornar à atividade sexual não é tão simples, porém, existem formas de voltar aos poucos e sem pressão. Depois do parto a testosterona da mulher cai e é justamente esse o hormônio responsável pela libido, ou seja, ela realmente não vai pensar tanto em sexo como o homem. Além disso, a prolactina aumenta durante a amamentação e não deixa os ovários produzirem hormônios que incitariam o desejo feminino.

Por conta da sobrecarga do bebê, o apetite da mulher diminui sim, só que isso é normal. Basta ao homem ser ainda mais paciente e agradá-la a todo o momento, para que ela se sinta tão amada e desejada quanto antes.

Não deixe esfriar o relacionamento

Existem opções para o sexo que não têm relação com a penetração, como carícias, sexo oral e masturbação. O casal deve ter o seu momento, sempre que desejar. Com isso, a criatividade, sinceridade e companheirismo são cruciais para a vida do casal nessa nova fase.

Diálogo aberto

Com tudo o que está ocorrendo, o mais importante é manter o relacionamento com o melhor clima possível. Para tanto, mantenha a mente aberta e procure sempre entender o outro, já que saber o que cada um sente é uma forma de diminuir possíveis problemas. Ainda durante a gestação, é necessário que o casal leia bastante sobre o pós-parto e participem juntos desse momento único desde o início.

Cada assunto relacionado à sexualidade do casal deve ser conversado e compreendido. O casal deve ser sincero e paciente e tudo que estiver errado ou estranho deve ser conversado abertamente — para que não haja acúmulo de incertezas e chateações. A confiança mútua e o respeito vão contribuir imensamente para a saúde do relacionamento e a vida sexual vai voltar ao normal como consequência disso.

Já passou ou está passando por esse momento? Tem alguma dica legal para compartilhar com outros casais? Deixe um comentário e conte para nós!

Categorias: Gravidez , Tipos de parto / Pós parto

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.