Gravidez

Vale a pena contar com uma enfermeira em casa depois do parto?

Depois do nascimento do bebê, toda ajuda pode ser importante para ajudar o bom andamento da rotina do novo integrante da casa. E nessa fase do puerpério — período de 8 semanas após o parto — é importante estar atento a todas as questões relacionadas não somente ao bebê, mas também à recuperação da mamãe e o seu bem-estar. Mas será que vale a pena contratar uma enfermeira para facilitar esse período?

Primeiros cuidados no pós-parto

Geralmente, a alta hospitalar para mulheres que foram submetidas a uma cesariana é de 3 dias após o parto. Já no parto normal, a alta é dada em até dois dias. Ao sair da maternidade, você deve esclarecer todas as dúvidas com o seu médico para não ter surpresas desagradáveis e nem sustos.

Quando chegar em casa, aproveite os momentos em que o bebê estiver descansando para fazer o mesmo. A rotina é difícil, mas com o tempo você se acostuma, cuidando, primeiramente, das tarefas mais simples e deixando as mais pesadas para o seu companheiro ou ajudantes da casa.

Ensinamentos essenciais

Nos primeiros dias, a necessidade de ter ao seu lado uma enfermeira vai depender de cada casal. Para os pais de primeira viagem, essa ajudinha extra é importante para ter a certeza de fazer tudo corretamente. A enfermeira vai ajudar na amamentação e nos cuidados básicos com o bebê, mostrando a forma como cada coisa deve ser feita.

A limpeza do coto umbilical também pode ser feita (e ensinada) por ela como forma de prevenir infecções no bebê. E essa profissional ainda pode te dar informações concretas sobre mitos ou verdades da amamentação e como fazer da melhor maneira para a mãe e o filho — o que faz a presença da enfermeira crucial para o aprendizado dos pais.

Nova rotina

A nova vida da casa será totalmente em função do mais novo membro da família. Tudo vai depender do ritmo dele, desde a alimentação até os momentos de descanso. É importante estipular horários de amamentação, da soneca, do lazer e também dos momentos a dois com seu companheiro, ajudando a preservar a relação do casal e mantê-la saudável e ativa. Os horários ajudam muito na rotina do bebê, havendo uma maior disciplina por parte de todos os integrantes da casa.

Pode ser que tudo se encaixe bem com os horários do seu filho e o novo cronograma da casa funcione sem problemas, mas se você tem que administrar muita gente e muita coisa, talvez poder contar com uma enfermeira pode ser uma boa ideia. Assim ela divide com você os cuidados com o bebê, te dando mais tempo e energia para estruturar o resto da casa.

Uma ajuda é sempre bem-vinda

Depois do nascimento do seu filho, qualquer ajuda deve ser vista como uma maneira de minimizar possíveis problemas. Por isso, é fundamental decidir junto à família as possíveis contratações futuras — tudo isso deve ser pensado durante a gravidez para não resolver muito em cima da hora e contratar quem não está apto para esse importante trabalho.

Uma enfermeira pode ser uma ajuda essencial no caso de mães com necessidades especiais, que estejam passando por uma recuperação mais difícil, um bebê que precisa de cuidados mais específicos de saúde ou apenas para orientar e “salvar” os papais e mamães de primeira viagem.

Mas enfermeiras podem ser caras e se essa despesa não couber no orçamento doméstico, uma babá com experiência em recém nascidos também pode ajudar muito. É importante entrevistar, conversar e buscar referencias desses profissionais que estão intimamente ligados à família.

Muitas vezes carregamos um peso maior do que podemos apenas por não reconhecer nossas fraquezas, mas aceitar ajuda é um gesto de muita força! Se for esse o seu caso, não hesite em procurar alguém de confiança e contratar um par a mais de mãos para reforçar os cuidados com o seu filho.

E aí, ainda tem dúvidas sobre contratar ou não uma enfermeira para te ajudar no período pós-parto? Acha que essa ajuda profissional é importante ou não? Conte pra gente!

Categorias: Gravidez , Tipos de parto / Pós parto

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.