Criança

11 curiosidades sobre os nomes mais comuns no Brasil

Os nomes escolhidos para os bebês são influenciados pelos mais diversos fatores: as celebridades do momento, personagens de novelas, respeito à tradição familiar, etc. Mas ao contrário do que possa parecer, as escolhas acabam sendo pouco originais e o resultado são gerações que compartilham os mesmos nomes próprios. Apresentamos a seguir algumas curiosidades sobre os nomes mais comuns no Brasil e no mundo — e o que tem influenciado os pais na hora dessa escolha tão importante.

Clique no banner e aproveite para experimentar o gerador de nomes de bebês da CordVida!

Acompanhe:

Os nomes mais populares de todos os tempos

O Portal Terra e o Certifixe, um serviço online de obtenção de Certidões do Registro Civil, fizeram um levantamento dos nomes mais comuns no Brasil, registrados entre 1890 e o ano de 2009.

Como era de se esperar, os mais populares nesses 120 anos foram Maria e José, que estiveram presentes em quase todas as listas dos 10 mais populares.

Até 1990, José foi perdendo espaço para os nomes João, Gabriel e Lucas, mas Maria ainda continua figurando firme entre os nomes mais registrados do país, principalmente em nomes compostos, como Maria Eduarda, por exemplo.

A escolha do nome dos meninos

A cada 4 anos nasce uma geração que vai carregar para sempre o nome dos ídolos da Copa do Mundo.

Não é à toa que em 2014 o nome do zagueiro da seleção David Luiz tenha servido de inspiração para muitos pais, o que levou esse a ser o 48º nome mais registrado em cartório por pais em todo o Brasil. No ano anterior, o nome ocupava o 89º lugar no ranking feito anualmente pela BabyCenter Brasil (listagem baseada nos 45 mil nomes de bebês do sexo masculino e 42 mil nomes de meninas cadastrados no site no ano de 2014).

Os nomes bíblicos como Pedro, Gabriel, Lucas e Matheus sempre serviram de inspiração para os pais e também marcam presença constante nas listas de nomes mais populares para os meninos.

Sophia e Miguel: os campeões da preferência!

Esses dois nomes não têm dado muita chance aos outros no ranking de nomes mais comuns do Brasil.

Miguel vem liderando a lista desde 2011, enquanto Sophia atingiu a liderança depois de desbancar outros bastante populares como Júlia, Alice e Manuela.

O nome e suas variações, como Sophie e Sofia também têm estado nas primeiras colocações dos nomes de meninas de outros países como o Canadá, a Rússia, a Alemanha e a Malásia.

Mas a pesquisa lembra que outros dois nomes estão agradando muitos papais e mamães brasileiros: Heitor, que chegou à lista dos 10 mais comuns, e Lara, que está bem perto do ranking, na 14ª colocação.

A queda dos nomes compostos

Outro dado interessante constatado pelo ranking do site BabyCenter é que os nomes compostos vêm perdendo espaço entre os nomes mais comuns no Brasil.

Foram apenas 14 nomes integrando a lista, entre os quais estão João Pedro e Maria Eduarda. Isso marca uma tendência internacional na opção de nomes mais curtos e simples.

Mas se você quiser fugir da regra e apostar em um nome composto para seu bebê, tenha bastante cuidado. Muitas pessoas optam por uma combinação por estar em dúvida entre dois nomes simples. Entretanto, nem sempre isso dá certo.

É preciso pensar em algo que combine, que se torne realmente um nome composto em que as duas palavras soem bem ao serem pronunciadas juntas. A dica aqui é escolher um pequeno primeiro, como Ana, e outro um pouco mais extenso, como Victória, formando um belo nome.

A origem dos nomes

Você já se perguntou o motivo de darmos nomes às outras pessoas? Essa é uma tarefa tão comum para os pais das crianças que é completamente normal não fazer essa pergunta.

A origem dos nomes é incerta, não se sabe muito bem quando foi que eles começaram a ser usados. Entretanto, sabe-se que os primeiros surgiram com pessoas já na idade adulta, de tribos antigas, que recebiam nomes que remetiam aos poderes e características que lhes foram conferidos ao longo da vida, que os diferenciavam do restante.

Já imaginou ter que esperar até a idade adulta para que sua personalidade fosse desenvolvida e um nome fosse escolhido? A ideia, hoje em dia, soa no mínimo estranha.

Apesar de não esperarmos mais, muitos pais ainda escolhem os nomes com base em seu significado, na expectativa de que seus filhos tenham aquelas qualidades.

Inspirados em novelas brasileiras

Como a grande maioria da população brasileira é apaixonada por novelas e não perde nenhum capítulo, os nomes dos personagens de maior sucesso também não poderiam ficar de fora desta lista.

Assim como os nomes de jogadores de futebol, de tempos em tempos, essas inspirações também mudam.

Nos anos seguintes ao de 2002, o 14º nome mais registrado no país foi o de Radija, forma como Khadija é pronunciado. A origem é a personagem da novela “O Clone”, que foi ao ar no ano de 2001, interpretada por Carla Dias.

Outro personagem que fez sucesso e acabou dando nome a vários bebês nascidos na década de 90 foi o da cigana Dara, interpretada pela atriz Tereza Siblitz na novela Explode Coração.

Na década anterior, só haviam 163 meninas com esse nome em todo o país. Já após a novela foram registradas mais de 10 mil.

Os nomes proibidos ao redor do mundo

A lei de Registros Públicos afirma que os cartórios podem recusar o nome escolhido pelos pais para registrar as crianças. Esse é um fato que acontece raramente, principalmente quando o nome pode acabar gerando transtornos para a criança no futuro.

Além disso, também é indicado que os pais coloquem a grafia correta do nome, mas não há nenhuma lei que proíba as diferentes formas.

Em alguns casos, os pais adiam o registro dos filhos e entram na justiça para dar o nome que desejam à criança.

Dentre os nomes proibidos estão: Nutella, Akuma, Gesher, Osama Bin Laden, Robocop, Metallica e Macaco. Cada um deles não é permitido por um motivo diferente, mas como você deve ter percebido, o bom senso fala mais alto.

Maria e José

Apesar de não serem considerados mais como os mais numerosos, com certeza Maria e José continuam sendo os mais populares nomes brasileiros.

Maria, por exemplo, é um nome de origem hebraica, que significa “senhora soberana”, uma mulher forte e decidida que não desiste facilmente de seus desejos. Por isso, os pais precisarão de bastante cuidado durante a educação para que ela não extrapole os limites.

Enquanto isso, o nome José é dado à criança que chegou ao mundo para fazer descobertas e acrescentar algo ao sentido da vida. Também de origem hebraica, o nome está presente em uma série de histórias bíblicas, pois nomeia 35 outros santos, além de São José, pai de Jesus.

Além disso, há quem opte por fazer a junção desses nomes tão famosos. Você já conheceu algum José Maria por aí? E uma senhora chamada Maria José? Hoje em dia, essa composição já não é mais tão usada, mas era bastante popular nas gerações passadas.

Os nomes mais inusitados no Brasil

Não foi sempre que a justiça proibiu o registro de nomes exóticos no Brasil. Houve uma época em que os pais poderiam usar as palavras que quisessem como nome das crianças. Como você deve imaginar, o resultado não foi nada bom.

Quando essa prática era permitida, muitas crianças acabavam sofrendo durante a vida, tanto por bullying entre os coleguinhas quanto em uma eterna briga na justiça para mudarem seus nomes, anos mais tarde.

Alguns dos casos mais famosos são: Agrícola da Terra Fonseca, América do Sul Brasil de Santana, Amin Amou Amado, Lança Perfume Rodometálico de Andrade, Janeiro fevereiro de Março Abril e Ilegível Inelegível.

Ou seja, realmente precisávamos de uma lei para regulamentar essa prática.

Escrita x pronúncia

Na hora de escolher o nome de uma criança, existe uma série de maneiras de fazer com que ela se diferencie e se torne única entre as demais. Entretanto, nem todas as tentativas são um sucesso e podem acabar incomodando a criança ao longo da vida.

Uma das questões à qual é preciso atentar-se é a diferença entre a escrita e a pronúncia. Passar a vida toda corrigindo as pessoas no momento em que dizem seu nome não é nada agradável. Além disso, a criança pode ter sérias dificuldades durante sua alfabetização, pois seu nome não se pronuncia da mesma forma como se escreve na língua portuguesa.

Pedir que todos digam “Juliá”, torando tônica a última sílaba, quando se escreve Juliah, é algo confuso e até mesmo chato. Por isso, é preciso refletir antes da escolha.

O uso da numerologia para escolha do nome

Há quem acredite que a quantidade de letras no nome de uma criança influencia diretamente em seu futuro. Por isso, é comum fazer cálculos para saber se o bebê terá uma vida de qualidade ou se é preciso alterar seu nome.

Por isso, é bastante comum transformar o nome Michele, por exemplo, em Mychelle, o que faria o futuro do bebê ser completamente diferente, graças à sua personalidade, talentos e dificuldades.

O cálculo é chamado de mapa infantil, que é formado pela soma do número de vogais, das consoantes e de todas as letras do nome completo. Feito isso, é subtraído o número da data de nascimento do bebê. Assim que tiver o resultado, procure o significado daquele número para entender a personalidade do seu pequeno.

E o nome do seu bebê, já escolheu? Essa é uma decisão que afetará toda a vida da criança, então pense bastante. Afinal, como você viu, há prós e contras de escolher um dos nomes mais comuns no Brasil, mas os exóticos também podem gerar problemas.

Lembre-se também de que há uma série de outros cuidados a serem tomados durante a gestação para garantir a saúde da criança. Leia mais sobre o assunto e garanta um forte vínculo entre você e seu filho nessa etapa tão importante!

Categorias: Criança , Nomes para bebê

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.