Criança

Álbum do bebê: como fazer um para guardar as memórias mais importantes?

As fotografias são uma forma mágica de guardar em imagem os momentos marcantes da vida. E com a chegada do bebê, o que os pais mais desejam é registrar cada expressão, beicinho e gracinhas do novo membro da família. Fazer um álbum do bebê é também uma forma de contar ao pequeno como foram seus primeiros meses de vida e quanta alegria ele trouxe para todos à sua volta.

Neste post trazemos algumas dicas de como montar o álbum do bebê, quais fotos não podem ficar de fora e como você pode personalizar os registros. Confira!

As fotos coringas

Algumas fotos são tradicionais e realmente não podem ficar de fora do álbum do bebê.

Os primeiros contatos do recém-nascido com o mundo exterior merecem um registro especial: o primeiro colo da mamãe logo após o nascimento; o casal e o bebê juntos ainda na sala de parto; a primeira pesagem do bebê; o primeiro banho; a primeira mamada, etc.

Registro dos detalhes e dos visitantes

As visitas na maternidade e em casa também merecem entrar para o álbum, assim como a primeira roupinha e sapatinhos.

Os primeiros meses são cheios de novidades e vale registrar os detalhes mais fofos como as mãos e pezinhos, os primeiros dentinhos, os beicinhos antes do choro, as poses espontâneas durante o sono (os bebês costumam oferecer sorrisos angelicais enquanto dormem, rendendo fotos lindas), etc.

Fotos profissionais ou caseiras

Não há nenhum problema em mesclar no álbum fotos profissionais e caseiras. Afinal, no dia a dia você pode ter um registro lindo de um momento íntimo com seu bebê que merece estar ao lado das fotos mais produzidas.

Se você optar por contratar um estúdio fotográfico para fazer um ensaio, certifique-se de que o local é adequado para receber o pequeno. O melhor momento para essas fotos é entre o 10º e o 15º dia de vida, quando o bebê dorme mais tempo e tem mais flexibilidade para as poses.

Cuidados com as fotos caseiras

Quando for fazer o registro em casa, não use flashes e tome cuidado com as poses em que coloca o bebê. Mesmo que o recém-nascido tenha grande flexibilidade, algumas posições, além de incômodas, podem machucá-lo.

Não tente fazer em casa uma das fotos clássicas dos ensaios profissionais em que o bebê está com as mãos no queixo. Essa foto é feita por meio de manipulação em computador e tentar replicá-la em casa pode machucar seriamente seu filho.

Planejando o álbum do bebê

Com a facilidade de fotografar com o celular ou máquinas fotográficas digitais, certamente você terá centenas de fotos para escolher na hora de montar o álbum. Para não ficar perdida e as páginas do álbum terminarem antes da história que você quer contar para o seu pequeno, faça um planejamento de quantas fotos pretende usar. Fique atenta à qualidade da imagem para impressão.

Se optar pelo álbum digital, as fotos com menor resolução são melhores, pois evitam que o arquivo fique muito pesado se desejar enviar para os amigos e familiares. Use o bom senso e não abuse do número de fotografias durante a montagem. Você corre o risco de tornar o momento cansativo e as pessoas não verem todas as fotos.

Personalizando o álbum do bebê

Uma dica para personalizar é investir no “faça você mesmo”. Uma opção é usar a técnica de scrapbook. Você pode utilizar um caderno especial para scrapbook ou um comum de gramatura grossa para fazer o álbum. A partir daí, é só usar a imaginação, papéis coloridos, glitter, fitas, rendas e o que mais lhe agradar para enfeitar cada página do álbum do seu bebê.

Além das fotografias do recém-nascido você também pode colocar fotos do ultrassom, do chá de bebê, do crescimento da barriga, etc. Tudo que diga ao seu filho como ele foi esperado e desejado.

Gostou das nossas dicas sobre como montar o álbum do bebê? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.