Gravidez

Cuidados na gestação: saiba como lidar com os cosméticos

Cuidados com a pele, os cabelos, as unhas, a depilação. Nada disso precisa ficar de fora da rotina enquanto você aguarda a chegada do seu bebê. Mas esse é um momento especial e o uso de cosméticos na gravidez deve ser feito com cautela.

Alguns tratamentos estéticos terão mesmo que ficar para depois do nascimento. Entre esses, há ainda os que só poderão ser feitos após o período de amamentação, pois algumas substâncias químicas passam para o leite através da circulação sanguínea e pode comprometer a saúde do bebê.

Os produtos de uso tópico geralmente têm baixa absorção pelo organismo. No entanto, durante a gravidez, há muitas mudanças no corpo feminino que aumentam a capacidade da pele de absorver esses produtos. Com o aumento do volume de sangue e da circulação sanguínea, há um risco maior de essas substâncias chegarem até o feto. A maior sensibilidade do organismo também eleva os riscos de aparecerem alergias, mesmo a produtos já utilizados rotineiramente. Tudo isso justifica uma atenção maior com o uso de cosméticos na gravidez.

A boa notícia é que há alternativas para que a futura mamãe curta a gestação se sentindo linda e com a vaidade em dia.

Nesse post trazemos informações sobre os cuidados com os cosméticos na gravidez. Você saberá quais produtos evitar, quais estão liberados e como cuidar da beleza durante essa fase intensa e maravilhosa.

Cosméticos na gravidez

O que evitar

Em geral os cosméticos possuem muitas substâncias químicas, mesmo os que se dizem a base de produtos naturais. Alguns desses químicos são extremamente nocivos para o feto, especialmente no primeiro trimestre da gestação. Eles podem ser absorvidos pelo corpo da mãe e chegar ao bebê através do cordão umbilical com grande potencial para causar malformações e prejudicar o desenvolvimento do bebê, além de comprometer também a saúde materna.

Neste tópico vamos listar algumas substâncias químicas presentes em cosméticos que você deve evitar usar durante a gravidez. Se você identificar algumas delas em produtos que já está usando, suspenda imediatamente o uso e fale com seu médico na próxima consulta do pré-natal. Não é preciso se assustar, os riscos de contaminação são baixos e o perigo maior está no uso continuado durante a gestação. Assim, quanto antes você deixar de usá-los, melhor.

Leia sempre os rótulos dos cosméticos que estiver usando ou pretenda usar para conferir se há substâncias contraindicadas na gravidez. Uma boa parte dos produtos traz alerta para gestantes quando há contraindicação. Para algumas substâncias esse alerta é obrigatório, segundo regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Se ainda assim você ficar em dúvida, fale com seu médico antes de começar a usar o produto.

Ácido retinoico

O ácido retinoico é completamente proibido na gestação. Seu uso também não é recomendado durante a amamentação, pois ele pode passar para o leite. Ele é encontrado em cremes e loções para tratamento de espinhas, rugas e sinais de envelhecimento da pele, sendo muito utilizado para tratar formas resistentes de acne. A recomendação é que seu uso seja suspenso antes mesmo da concepção, pois ele pode causar danos cardiovasculares, hepáticos e no sistema nervoso central do bebê. O mais perigoso é seu uso na forma oral, em comprimidos, quando os riscos de sequelas em bebês expostos a essa substância pode variar de 40% a 50%, sendo que 80% são anomalias do sistema nervoso.

Se você tiver espinhas durante a gestação — um efeito comum do aumento hormonal — consulte um dermatologista e avise que você está grávida. Assim, ele pode indicar um produto que não ofereça riscos para você e para seu filho.

Fique atenta! O ácido retinoico também pode ser descrito nos rótulos como isotretinoína, tretinoína, retinol, tazarotene, adapaleno e linoleato de retinila.

Ácido acetilsalicílico

Conhecido dos medicamentos para dor e febre, o ácido acetilsalicílico também está presente em diversos produtos indicados para a limpeza da pele, como sabonetes, esfoliantes e tonificantes. Ele ajuda a combater as infecções e vermelhidão na pele e também atua na remoção de células mortas. Mas é contraindicado para gestantes!

Alguns estudos indicaram que o uso desse ácido, em sua fórmula oral, pode causar malformações no feto, além de trazer complicações para a gestante, aumentando os riscos de aborto. Por isso, o uso tópico também está contraindicado, para evitar que a pele absorva o ácido e ele entre na corrente sanguínea da mãe.

O ácido acetilsalicílico também pode estar descrito nas formulações cosméticas como BHA ou beta-hidroxi acid.

Ureia

A ureia passa facilmente pela barreira placentária e pode causar malformações no feto. Além disso, ela potencializar a absorção de outras substâncias utilizadas na pele, aumentando os riscos de intoxicação. Por isso, ela é contraindicada durante a gravidez, especialmente em concentrações maiores que 3%.

A ureia está presente em boa parte dos cremes hidratantes, em especial naqueles destinados à hidratação dos pés. E é preciso ter cuidado com esses produtos durante a gravidez. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) determina que os cosméticos que utilizem a ureia em concentração maior que 3% tragam claramente o aviso: “não utilizar durante a gravidez”. Então, fique atenta aos rótulos!

Cânfora

Assim como a ureia, a cânfora também está sob regulação especial da ANVISA. Isso porque ela também atravessa a placenta com facilidade, sendo tóxica para o feto e aumentando os riscos de aborto. Sua concentração nos produtos cosméticos não pode ser maior que 2,5%, exceto no esmalte, que pode chegar a 4%.

A cânfora é utilizada em loções cosméticas, cremes, sabonetes e esmaltes. Cosméticos que utilizam cânfora devem trazer obrigatoriamente em seus rótulos: “não utilizar durante a gravidez”.

Protetor solar com 4-MBC, 3-BC e OC

Quando for escolher o protetor solar fique atenta à formulação. Não compre produtos que tenham os seguintes compostos químicos: 4-metilbenzilideno cânfora (4-MBC), 3-benzilideno cânfora (3-BC) e octocrileno (OC).

Um estudo desenvolvido na universidade de Zurique, na Suíça, demonstrou que essas substâncias são absorvidas pela pele e se acumulam nos tecidos gordurosos, sendo excretadas no leite materno. Nessa pesquisa, realizada com 54 mulheres, 85,2% das amostras de leite materno avaliadas tinham resíduos de protetor solar.

Como essas substâncias caem na corrente sanguínea, a indicação é evitar os protetores que tenham esses compostos químicos em sua formulação. Isso porque eles têm grande potencial tóxico e podem chegar ao bebê e causar malformações.

No Brasil, cerca de 30% dos protetores comercializados têm essas substâncias. Na dúvida, pergunte ao farmacêutico e peça um produto livre delas.

Parabeno

O parabeno é uma substância antibacteriana muito utilizada como conservador em shampoos, desodorantes e maquiagens — suas formulações mais comuns são o metilparabeno e propilparabeno. Um estudo realizado por pesquisadores do Suny Downstate Medical Center e da Universidade do Estado de Arizona, nos Estados Unidos, encontrou altas concentrações dessas substâncias em amostras de sangue de cordão umbilical, o que mostra que elas são facilmente absorvidas pela pele da mãe e podem chegar ao bebê.

Ainda são necessários novos estudos, mas há indícios de que o parabeno possa afetar os hormônios durante o crescimento do feto, podendo causar danos ao seu desenvolvimento até um ano após o nascimento, quando o organismo do bebê ainda é imaturo. A substância também apresenta riscos para a gestante.

Medidas preventivas

A melhor forma de se prevenir contra problemas que podem ser causados pelo uso de cosméticos durante a gestação é se informar. Fique atenta aos componentes químicos de todo e qualquer produto cosmético, mesmo os que parecem mais naturais e inofensivos. Leia sempre os rótulos para saber se há alguma restrição para o uso durante a gestação.

Se você trabalha em salão de beleza, use sempre luvas e máscara ao manipular produtos que podem ser nocivos para você e para o bebê — como aqueles utilizados para fazer escova progressiva e relaxamento e que contêm formol em sua formulação. Trabalhe em um local bem ventilado para evitar a inalação dos vapores dessas substâncias e faça pausas regulares. Evite comer e beber durante o horário de trabalho para não ingerir partículas dessas substâncias químicas.

Durante a gravidez seu sistema imunológico está mais sensível e fragilizado. Por isso, antes de usar qualquer produto faça um teste em uma pequena área para descartar possíveis reações alérgicas. Mesmo os produtos que você já tem costume de utilizar podem provocar alergias durante a gestação.

Grávida e linda: cuidando da beleza

Até agora falamos sobre o que não usar e os cuidados com os cosméticos para evitar complicações na gestação e riscos para o desenvolvimento do bebê. Agora vamos falar sobre como cuidar da beleza.

Algumas mulheres podem se sentir menos atraentes durante a gestação. Manter os cuidados com a beleza é essencial para manter a autoestima em alta e curtir o barrigão sem neuras. Apesar da restrição a alguns tratamentos químicos, é sim possível ficar linda nesses nove meses. Confira algumas dicas.

Cuidando dos cabelos

Para substituir as tinturas, alisamentos, relaxamentos e tratamentos com produtos químicos, faça novos penteados, cortes de cabelo, shampoos tonalizantes, acessórios, entre outros truques.

Aposte em cortes e penteados

Para disfarçar a raiz que cresceu após a coloração faça um corte com franja, pode ser curta ou longa, ou deixe alguns fios soltos na parte da frente do rosto. Outra dica é repartir o cabelo em zigue-zague, espalhando os fios que estão em tons diferentes.

Se o problema é a raiz exposta após o alisamento, você pode aproveitar o momento para testar outros penteados. Faça um coque estilo bailarina puxando bem a raiz ou um rabo de cavalo baixo. Os cachos também ficam lindos e disfarçam a raiz diferente. Uma forma de evitar que a raiz fique mais alta que o resto do cabelo que ainda está alisado é fazer uma escova apenas na raiz.

O uso do secador, da chapinha e dos modeladores de cachos estão liberados.

Invista nos acessórios

Lenços, chapéus, turbantes e tiaras de tecido são algumas opções de acessórios que podem ajudá-la a disfarçar a raiz que está crescendo.

Cuidando das unhas

As unhas das mãos e dos pés podem ser feitas normalmente. O cuidado é observar o rótulo dos esmaltes para ter certeza de que não há contraindicações para grávidas.

Não é recomendado usar unhas de gel. Embora o molde de gel seja inofensivo, alguns produtos utilizados para fixar a unha — como o metil metacrilato — podem causar irritações e alergias, como a dermatite de contato, que podem evoluir para uma inflamação, já que as gestantes estão naturalmente mais suscetíveis às reações alérgicas.

As unhas postiças vendidas em farmácias também estão liberadas, mas é preciso aplicá-las em um ambiente arejado para evitar a inalação da cola usada para fixar as unhas. Já as unhas de porcelana são contraindicadas para gestantes.

Outro cuidado essencial é com o material utilizado para fazer as unhas. Ainda que o salão que você frequenta use estufa para esterilizar esse material, o ideal é que você tenha seu próprio kit de manicure. Assim você se protege e protege também seu bebê de doenças que podem ser transmitidas através de alicate e espátula contaminados, como as micoses de unha e as hepatites. O vírus da hepatite pode resistir por vários dias fora do corpo humano, aumentando os riscos de contaminação através de materiais não esterilizados corretamente.

Em dia com a depilação

Ceras quentes e frias estão liberadas para a depilação na gravidez. Devido ao aumento do fluxo sanguíneo você poderá estar mais sensível e talvez a cera morna seja mais confortável que a quente.

As lâminas de barbear também podem ser usadas. O cuidado é para evitar cortes que podem se tornar porta de entrada para infecções. As lâminas também tendem a causar mais pelos encravados e essa tendência se intensifica na gravidez.

Já os cremes depilatórios não são recomendados, devido aos produtos químicos que têm em suas fórmulas. Alguns podem conter amônia que pode ser absorvida pela pele e prejudicando o desenvolvimento do bebê.

A depilação a laser, a princípio, não traz riscos. Mas não é recomendada, pois durante a gravidez já há uma maior predisposição ao escurecimento da pele, especialmente na região íntima. O uso do laser pode escurecer ainda mais essa área.

O que você pode usar

Todo e qualquer produto químico deve ser evitado no primeiro trimestre da gravidez. Esse é um momento de intensa formação do sistema nervoso e dos órgãos do feto e os riscos de malformações e abortos são maiores.

Nesse tópico vamos falar sobre cosméticos que podem ser usados com segurança na gestação.

Para os cabelos

Algumas tinturas sem amônia e metais pesados podem ser utilizadas a partir do segundo trimestre de gravidez. Mas é preciso que o médico libere. A melhor opção é mesmo usar os shampoos tonalizantes. Eles são seguros e oferecem um bom resultado.

A henna natural ou sintética também pode ser utilizada. Mas não use os compostos de henna. Eles têm metais pesados, como o chumbo, que são altamente perigosos para o bebê em qualquer fase da gestação.

Também é possível fazer mechas, como as luzes, a partir do segundo trimestre da gravidez. Mas é importante usar fórmulas e descolorantes sem amônia. A recomendação é não passar o produto no couro cabeludo, mas apenas na extensão dos fios. Para proteger a pele da cabeça e evitar a absorção de substâncias potencialmente nocivas, a dica é usar a touca com furos para puxar as mechas. Outra dica importante é avaliar o PH do produto que será utilizado. Os produtos que oferecem menores riscos para as gestantes são aqueles que têm PH até 7 — a escala vai de 0 a 14.

Se as raízes crescidas estiverem incomodando muito, em ocasiões especiais é possível retocá-las com tinturas temporárias ou semipermanentes. Elas são seguras na gravidez, mas, como o nome diz, tem pouco tempo de duração. As temporárias saem na primeira lavagem, pois são tinturas têxteis. Já as semipermanentes, que são os tonalizantes, resistem de quatro a seis lavagens dos cabelos.

Para as unhas

Opte pelos esmaltes hipoalergênicos. Além de não utilizarem cânfora, também são livres de outros compostos químicos potencialmente nocivos, como o formaldeído e o tolueno.

Para evitar as estrias

Uma das grandes preocupações das gestantes é com as estrias. Com o crescimento da barriga e o ganho de peso, elas podem aparecer no abdômen, seios, cochas e bumbum. A melhor forma de preveni-las é manter o peso adequado — a recomendação é engordar entre 9 e 15 quilos ao longo dos nove meses. Assim, você evita que a pele se estique demais. Mas é bom lembrar que o surgimento das estrias tem muito a ver com a predisposição genética.

Manter a pele hidratada é essencial para preservar sua elasticidade e reduzir o aparecimento das estrias. Use hidratantes hipoalergênicos e óleos 100% vegetais, como amêndoas e uva. Há ainda cremes e loções específicos para gestantes.

Para evitar as manchas na pele

O uso de protetor solar é obrigatório para gestantes. Nessa fase há uma maior tendência ao aparecimento de manchas, devido ao maior estímulo hormonal para a produção de melanina. Uma mancha comum na gravidez é o melasma, que atinge a zona T do rosto (testa, nariz e bochechas).

As mulheres que têm muitas pintas devem ter um cuidado especial na gravidez, pois sinais benignos podem se tornar malignos com a exposição solar sem proteção durante a gestação.

Use corretamente o protetor solar. O fator de proteção deve ser no mínimo 30 para exposições externas, seja na rua ou na praia. Para ter mais proteção, é necessário reaplicar o produto a cada duas horas. Se estiver na praia é necessária uma nova aplicação a cada hora ou sempre que sair da água e se secar com a toalha.

Passe o protetor solar também quando estiver em ambientes fechados, seja em casa ou no trabalho. As lâmpadas fluorescentes também podem queimar a pele e estimular o aparecimento de manchas. Nesse caso o fator de proteção pode ser 15 e o protetor deve ser passado duas vezes, uma pela manhã e outra no meio do dia.

Os protetores que têm cor são ainda mais eficientes para prevenir as manchas, pois a cor age também como uma barreira física contra os raios solares ultravioletas.

Para ampliar a proteção use também barreiras físicas como chapéus, bonés, óculos de sol e roupas que cubram a maior parte do corpo.

Para tratar as manchas na pele

É possível tratar as manchas na pele durante a gestação. Com o acompanhamento de um dermatologista, a gestante pode usar produtos clareadores à base de vitamina C, ácido glicólico e ácido azelaico em baixas concentrações.

Para tratar a acne

Muitas gestantes reclamam de mais oleosidade e o aparecimento de espinhas durante a gravidez. O problema se deve ao aumento do hormônio progesterona. Para tratar a acne fuja de todos os produtos que contenham ácido retinoico e seus derivados (já falamos dele acima). Os sabonetes neutros podem ser usados. Faça uso deles duas vezes ao dia para lavar a pele.

Opte por hidratantes e protetores solares livres de óleo e que não obstruam os poros. As formulações em gel são uma boa dica. É possível fazer limpeza de pele, mas é necessário evitar os esfoliantes e ficar atenta aos produtos utilizados. O peeling deve ser feito com cautela.

O tratamento também pode ser feito com nicotinamida, ácido azelaico e clindamicina tópica, mas é preciso ter o acompanhamento de um dermatologista.

Para descolorir os pelos

Como já dissemos, o uso de cera quente ou fria está liberado. Mas se você desejar descolorir os pelos, a recomendação é usar pó descolorante que não contenha amônia e ficar o menor tempo possível com o produto. Para reduzir os riscos de absorção dos componentes químicos pela pele, lave a região com água fria para fechar os poros antes de passar o produto.

Não há evidências que esses cosméticos tragam algum risco para a grávida ou para o bebê. Mas é importante que o produto escolhido não contenha a amônia, pois ela é potencialmente tóxica e se atingir a corrente sanguínea pode causar malformações no feto.

Se seus pelos não forem tão escuros, uma alternativa mais natural para descolori-los é usar o chá de camomila sob o sol. Mas sempre com cautela para evitar manchas e queimaduras solares.

Clique no banner e acesse gratuitamente o guia A chegada do bebê. Saiba tudo que você precisa para viver esse momento com segurança e tranquilidade:

Nunca use pomadas, cremes e loções para tratar a pele sem o conhecimento do seu médico. Eles podem ser perigosos para você e para seu filho. Com alguns cuidados você poderá manter sua rotina de uso de cosméticos e se sentir ainda mais bonita enquanto espera a chegada do seu bebê.

Gostou das nossas dicas sobre os cuidados com o uso de cosméticos na gravidez? Assine nossa newsletter e receba todos os nossos conteúdos sobre gravidez e cuidados com o bebê.

Categorias: Gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.