Criança

Natação para bebês: entenda os prós e os contras desta prática

Se tem uma coisa que deixa pais e mães com muitas dúvidas é o momento ideal de colocar os filhos em uma aula de natação. Principalmente a natação para bebês é um tema bastante controverso. Mas uma coisa é certa: a maioria dos pais acha importante o filho aprender a nadar ainda na infância. Não só para o desenvolvimento físico, mas, principalmente, para a segurança. Afinal, é importante a criança saber se virar na água para não se afogar.

Há quem fale que a natação tem que começar bem cedo, com o bebê ainda pequeno. E existem aqueles que acreditam que seja melhor esperar as crianças ficarem maiores. Mesmo entre médicos e pediatras não há um consenso sobre a idade ideal para começar a nadar.

Se você é uma dessas mães que está em dúvida, vamos tentar te ajudar. Nesse post, vamos te colocar a par das abordagens favoráveis e contrárias à natação desde os primeiros anos de vida. Confira!

O melhor momento para colocar os bebês na natação

Há alguns pediatras que indicam o início das aulas de natação aos 3 meses. Outros sugerem a partir dos 6 meses. Há também aqueles que indicam somente a partir dos 2 anos. O que eles costumam levar em consideração é o desenvolvimento do bebê e a consequente capacidade de entender o que está acontecendo e também os riscos de infecções.

Para aqueles que defendem que o primeiro contato com a água de uma piscina aconteça aos três meses, o benefício maior é o bebê já ir se acostumando com o ambiente aquático para quando ficar maiorzinho e, de fato, aprender a nadar.

A vantagem de começar aos seis meses é que o bebê já tomou todas as vacinas e o risco de infecções devido ao contato com a água diminui bastante e os pais podem ficar mais tranquilos em relação a isso. Já quem defende que o melhor é esperar os dois anos argumentam que, nessa idade, a criança pode aproveitar melhor as aulas, compreender o que está acontecendo e se sentir mais seguro dentro da piscina.

Para te ajudar, vamos falar agora sobre os benefícios e os riscos de você colocar seu filho ainda bebê em uma aula de natação. A ideia é te ajudar a colocar na balança os prós e contra antes de se decidir. Mas, lembre-se, o pediatra sempre deve ser consultado. Afinal, cada criança tem suas peculiaridades, que devem ser respeitadas.

Benefícios da natação para bebês

Nós já adiantamos um pouquinho sobre os benefícios de colocar seu pequeno logo cedo na natação. Mas, nesta seção, vamos aprofundar mais sobre esse assunto. Confira os prós da natação para seu filho ainda bebê.

  • Bebês se familiarizam com a água. Apesar de não entenderem muito bem o que está acontecendo, já que a água não é um ambiente familiar, é importante que a criança tenha um contato com a água ainda bebê para facilitar o aprendizado quando estiver maiorzinho e evitar afogamentos.
  • Aumenta os laços entre os pais e o bebê. Se sua intenção é colocar seu filho ainda bebê na aula de natação, o recomendável é que você procure uma escolinha que permita a presença dos pais na água. Dessa forma, a criança se sente mais segura, além de reforçar o lanço que existe entre ela e seus pais.
  • Melhora as condições respiratórias. A natação fortalece a musculatura torácica, o que faz com que o bebê respire melhor. É recomendável, principalmente, para aquelas crianças que já têm algum tipo de problema respiratório.
  • Estimula o desenvolvimento motor da criança. Na água, o bebê se diverte balançando as perninhas e batendo os bracinhos. Isso é um ótimo estimulo, além de ser lúdico, o que é fundamental para o desenvolvimento da criança.

Riscos da natação para bebês

Se os benefícios da natação são muitos, é preciso também ter atenção aos riscos antes de decidir se o melhor é esperar a criança ficar maiorzinha. Por isso, vamos abordar agora os principais argumentos de quem defende que é melhor esperar.

  • Riscos de infecções. Se o bebê começar muito novinho a fazer aulas de natação, ele poderá estar mais suscetível a pegar infecções. Isso porque ainda não terá tomada as principais vacinas necessárias aos primeiros meses.
  • Pode gerar traumas. Como o bebê ainda não entende muito bem o ambiente de uma piscina, ode ficar amedrontado. O problema maior é ele carregar esse medo ao longo da vida e criar certo bloqueio de água.
  • Pode ser pouco proveitoso. Começar a nadar ainda bebê pode ser pouco proveitoso para a criança. Afinal, ela não vai aprender a nadar de fato e não vai ter a maturidade suficiente para entender a dinâmica das aulas.
  • Mais propício a desenvolver problemas no ouvido. O contato precoce de bebês com a água da piscina pode favorecer o desenvolvimento de problemas no ouvido. O mais comum deles é a otite, que já fez muitos pais abandonarem a ideia da natação para bebês.

Dicas para colocar seu filho na natação

Algumas dicas são importantes para que seu filho aproveite da melhor maneira as aulas de natação. E elas servem para qualquer que seja o momento que você decida iniciar as aulas.

  • Brinque durante o banho. Para que seu filho já crie uma simpatia com a água, uma boa ideia é fazer brincadeiras com a água enquanto ele toma banho.
  • Existe a hora certa para os mergulhos. O ideal é que o primeiro mergulho aconteça depois de um mês de aula e, no início, poucos mergulhos por dia. Tudo para o bebê não ficar com medo.
  • Dê preferência para as piscinas mais vazias. Principalmente nas primeiras vezes na água, os pais devem evitar piscinas cheias de gente. Isso pode assustar o bebê.
  • Boias nem sempre são uma boa. Na hora do lazer, tudo bem colocar boias por segurança. Mas quando a criança estiver na aula de natação, é melhor evita-las. As boias podem atrapalhar a aprendizagem.
  • Óculos de natação não são para todas as idades. Os óculos só devem ser utilizados a partir dos três anos. Antes disso, o bebê deve fechar os olhos quando mergulhar.

Colocando na balança os prós e contras da natação para bebês fica mais fácil decidir o que é melhor para seu filho, não é mesmo? Mas, não importa quando ele entrará para a natação, o importante é respeitar a vontade dele, procurar bons profissionais e ficar atento às condições de higiene da piscina.

Se além da natação para bebês, você quiser ficar por dentro de outros cuidados que pode ter com seu filho, acompanhe nosso blog. Esse post também pode te ajudar!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.