Criança

Por que meu bebê chora muito? Saiba o que pode ser e o que fazer para acalmá-lo!

No meio da madrugada, surge aquele barulho que ficará cada dia mais conhecido pelos novos papais e mamães: o choro do bebê. E não é só à noite. O choro pode acontecer durante o descanso da tarde, logo depois de mamar ou no meio de uma brincadeira.

Em situações assim, muitos pais e mães de primeira viagem se sentem impotentes e preocupados ao ver a criança chorar. Mas com a prática e algumas dicas, é possível lidar melhor com esse momento.

Se o seu bebê chora muito e você não sabe o que pode ser, veja a seguir as possíveis causas.

Por que meu bebê chora muito?

Para mães de primeira viagem, é comum a estranheza que causa o fato de um bebê chorar uma quantidade considerada exagerada. A verdade, entretanto, é que nem todo choro é de dor ou significa algo preocupante, Se você não sabe por que seu bebê chora muito, saiba que os principais motivos incluem:

Fome

O mais clássico motivo para o choro que começa, especialmente, de madrugada, é a fome. Por terem um sistema digestivo bem pequeno, os bebês ingerem pequenas quantidades de leite a cada mamada. Depois de um tempo — geralmente, a cada três horas —, o resultado é o berreiro desejando mais leite para saciar a fome.

Alguns sinais de quando é a fome é o motivo do choro diz respeito aos gestos do bebê: ele fica agitado, como se estivesse procurando algo e geralmente leva a mão à boca.

Esse também é um dos motivos que mais merecem atenção, já que segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, as reservas de glicogênio são capazes de fornecer glicose apenas por até 4 horas. Depois, uma nova rodada de alimentação é necessária para evitar hipoglicemia que é a queda acentuada dos níveis de glicose no sangue do bebê.

Arroto

O bebê acabou de mamar e começou a chorar? Então isso pode ser um sinal de que ele precisa arrotar. Durante a mamada, é comum que ar entre no sistema digestivo do bebê e isso faz com que ele sinta um incômodo causado pelos gases. Esse ar, inclusive, pode entrar quando ele chora ou mesmo quando ele respira.

Nesse caso, o ideal é colocar o bebê na posição vertical e dar leves batidinhas nas costas do bebê para que ele possa liberar esse gás. Mas lembre-se de que um pouco de leite sempre pode vir com a ação, então é melhor proteger a roupa e o bebê.

Fralda suja

fralda suja pode ser um incômodo para muitos bebês, tanto pela sujeira quanto pela temperatura. Se a pele estiver machucada por algum motivo, pode ser ainda pior.

Esse choro é bem comum depois de determinado momento da mamada. Se tudo está em perfeitas condições para o bebê e ele ainda está chorando, as chances de que a fralda esteja suja são bem grandes. Nesses casos, uma troca e higienização do local normalmente são suficientes, mas é preciso notar a quantidade de vezes que isso acontece.

Se o bebê estiver evacuando de maneira excessiva, pode-se tratar de um caso de diarreia que pode levar à desidratação. Nesse caso, atenção médica é fundamental.

Cólica

A cólica é causada pela presença de gases no sistema gastrointestinal. Como se movimentam e causam compressões locais, o resultado é de incômodo para o bebê.

É muito comum sendo, na grande maioria dos casos, parte natural do processo digestivo e vai desaparecendo com o desenvolvimento da flora intestinal.

Embora faça parte do desenvolvimento normal do intestino do bebê, algumas medidas podem ser tomadas pela mamãe par diminuir o desconforto das cólicas. Uma sugestão é retirar da alimentação da mamãe alimento com cafeína como café, refrigerante a base de cola e chocolate.

Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda compressas mornas na barriga, massagear no sentido horário, movimentar as pernas do bebê e criar um ambiente tranquilo para acalmá-lo e aliviar o incômodo.

Sono

O sono e o cansaço pode ser outro motivo para o choro acentuado do bebê. Nos pequenos, qualquer leve mudança na rotina como uma visita ao pediatra ou dia de vacina é suficiente para deixá-los exaustos. Nesses casos, é importante conduzir o bebê para um descanso adequado – mesmo se ainda não for noite.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Sheffield, o fato de o bebê poder tirar alguns cochilos ao longo do dia estimula a fixação do aprendizado, além de eliminar o incômodo pelo fator do cansaço.

Excesso ou falta de estímulo

O estímulo também é um fator para o choro. O excesso de estímulo, como muitas vozes, luzes e cores, pode fazer com que o bebê fique assustado ou então não consiga processar tudo da maneira correta. Como resultado, o choro aparece para indicar a necessidade de ele se afastar dessa quantidade excessiva de informações.

O silêncio e a falta total de estímulos, por outro lado, podem também causar o choro. Às vezes, tudo o que o bebê quer é colo e ouvir uma voz conhecida para se acalmar e parar de chorar. Uma pesquisa do Hospital Brigham, inclusive, mostrou que bebês que ouviam a voz da mãe com frequência eram menos propensos a paradas cardíacas ou problemas respiratórios.

Frio ou calor

Bebês são muito sensíveis, especialmente a temperaturas — afinal, há apenas alguns meses estavam confortáveis dentro do útero. Por isso, o choro pode significar indício de calor ou frio. Em geral, para saber se o bebê está passando por uma dessas situações é necessário checar a temperatura na barriga, nas costas e no peito.

Esse cuidado é muito importante porque o bebê está mais vulnerável às variações de temperatura. A temperatura ideal para o ambiente é de 22°C segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria e o melhor é usar roupas em camadas que possam ser retiradas conforme haja desconforto térmico.

Dentes nascendo

A partir dos três meses, os dentes podem começar a nascer e isso vai durar até, pelo menos, os três anos de idade. A dor da gengiva sendo rompida e a própria coceira na região são fatores que levam ao choro e a irritabilidade. Se este for o caso do seu bebê, saiba que é possível usar acessórios específicos, como mordedores resfriados e pomadinhas que podem ajudar a diminuir o desconforto. Converse sempre com o seu pediatra, ele saberá indicar o que é melhor para o seu bebê.

Temperamento

Se nenhum desses motivos faz parte das possibilidades a respeito do seu bebê, pode se tratar simplesmente de uma questão de temperamento. Alguns bebês são mais calmos e outros choram a plenos pulmões sem motivo aparente.

Afinal, o choro é normal?

A boa notícia para qualquer mãe de primeira viagem é que, na maioria dos casos, o choro do bebê é uma reação totalmente normal e esperada para uma criança que ainda está se desenvolvendo. Isso, inclusive, faz com que a resolução para o choro seja geralmente bem simples, bastando apenas garantir o conforto do bebê.

Faça o acompanhamento com o pediatra

De qualquer forma, é indispensável contar com o auxílio do pediatra, especialmente quando o bebê parece chorar sem motivo aparente ou quando seu comportamento mudou de repente. Sendo um profissional especializado na área, ele será capaz de identificar mais precisamente as causas do choro do bebê.

Além disso, esse profissional é o responsável por dar todas as orientações necessárias e acalmar as mães sobre suas angústias em relação a seus pequenos.

Muitos são os motivos que podem fazer com que você ache que o bebê chora muito e, na maioria dos casos, trata-se de um leve desconforto que pode ser resolvido rapidamente. Apesar disso, é muito importante fazer o acompanhamento com o pediatra, já que só o médico será capaz de identificar com precisão as possíveis causas do choro.

Como anda o choro do seu bebê? Já aprendeu a decifrá-lo? Não deixe de comentar e compartilhar com a gente as suas dicas também!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.