Criança

8 brincadeiras infantis para crianças de 1 a 6 anos!

Você tem boas lembranças de sua infância? Não importa sua idade, o lugar onde viveu ou até mesmo quem esteve presente em sua vida durante os primeiros anos, com certeza as brincadeiras infantis estão entre suas melhores lembranças.

Dentro de casa ou ao ar livre, individuais ou em grupo, as brincadeiras são muito mais do que diversão e entretenimento para os pequenos: pode até não parecer, mas enquanto brincam, as crianças aprendem muito!

E não estamos falando só dos brinquedos pedagógicos, que estimulam os sentidos (como visão e audição) e das atividades mais intelectuais — na verdade, qualquer brincadeira pode ensinar alguma coisa à criança: habilidades motoras, relacionamento em grupo, como lidar com as frustrações, como vencer desafios e até mesmo habilidades cognitivas (como memória, criatividade e concentração) podem ser desenvolvidas através de jogos e atividades lúdicas.

Já se convenceu da importância das brincadeiras na vida das crianças ao redor do mundo? Então confira a lista que preparamos com as melhores brincadeiras infantis, atuais e do passado, para inspirar você a liberar sua criança interior e se divertir muito com seu filho:

1. Amarelinha

Uma brincadeira infantil que resistiu ao tempo, a amarelinha foi trazida ao Brasil pelos portugueses há mais de 500 anos, e ainda agrada crianças de todas as idades. Simples e divertida, a amarelinha consiste em pular pelo traçado desenhado no chão, com um ou os dois pés, conforme a sequência do jogo.

Existem diversos traçados de amarelinha, mas o mais conhecido consiste em quadrados numerados do 1 ao 10, terminando no “céu”. Para brincar, basta jogar uma pedrinha, tampinha ou objeto pequeno na primeira casa, e pular por todas as outras até chegar ao final. Na volta, a criança deve recuperar a pedrinha.

A cada etapa aumenta o grau de dificuldade, e ainda podem ser sugeridos desafios: pular com um pé só em todas as casas, pular com a mão na cabeça, cantando uma música ou de olhos fechados.

2. Bolinha de gude

As bolinhas coloridas de vidro fizeram parte da infância de crianças há muitos anos. A brincadeira consiste em usar sua bolinha para bater na bolinha do seu adversário, tirando-a dentro do círculo. O vencedor, além ganhar a bolinha do oponente, tem a chance de jogar novamente.

Porém, existem inúmeras variações dessa brincadeira infantil, criadas pela imaginação das crianças. O encanto das bolinhas opacas, leitosas ou brilhantes pode ensinar às crianças concentração, raciocínio rápido, coordenação motora e como lidar com as vitórias e derrotas do jogo.

3. Cinco marias

Essa brincadeira infantil tem origem pré-histórica, e pode ser praticada com pedrinhas, sementes, caroços de frutas ou saquinhos de pano cheios de arroz, feijão ou areia. Para brincar basta jogar para cima uma pedrinha ou saquinho por vez, e enquanto está no ar, pegar outro do chão e o que estiver caindo.

Na segunda rodada, ela deve pegar dois saquinhos do chão, e assim sucessivamente. O jogo exige agilidade, velocidade e coordenação motora, e pode se tornar ainda mais desafiador quando jogado em duplas ou incluindo novas regras – como bater palmas antes de pegar os saquinhos, por exemplo.

4. Dança das cadeiras

Uma das brincadeiras infantis mais presentes em festas de criança, a dança da cadeira exige concentração, agilidade e um pouquinho de sorte dos jogadores. Para brincar, é preciso dispor em círculos as cadeiras — uma a menos do que o número de participantes.

As crianças devem andar em torno do círculo ao som de uma música. Quando a música parar, todos tem que se sentar. Quem ficar sem lugar deve sair do jogo, e retira-se mais uma cadeira para a próxima rodada. O jogo só termina quando restar apenas uma criança sentada.

5. Fantoches

Fantoches ou marionetes são brinquedos que permitem uma grande variedade de brincadeiras infantis, com ou sem a participação dos pais. E não é preciso comprar fantoches caros ou cheios de detalhes: é possível brincar até mesmo com uma meia, colocada na mão.

Botões, retalhos de tecido ou canetinha complementam o visual, e a brincadeira é ditada pela imaginação da criança – ou do adulto que a acompanhar. Os fantoches podem criar histórias e ajudar no desenvolvimento da linguagem e no aprendizado dos pequenos.

6. Jogo das diferenças

Apesar de não estar entre as brincadeiras infantis mais conhecidas dos pais, esse jogo pode desenvolver diversas habilidades nas crianças: memória, capacidade de observação, concentração e perspicácia. Basta pedir que a criança observe o ambiente (ou um grupo de objetos) e em seguida feche os olhos ou saia do local.

Ao retornar, a criança deve descobrir o que mudou no ambiente — se está faltando algum objeto, se alguma coisa foi adicionada ou se algo está diferente.

7. Pintura

Pintar e fazer arte pode ser muito divertido, além de estimular a imaginação, a criatividade e o olhar artístico das crianças. Porém, é importante saber que a pintura pode ir muito além do papel e tinta. Existem diversas técnicas e materiais que podem ser utilizados nessa brincadeira.

A criança pode desenhar com uma vela branca sobre o papel e depois colorir com guache, por exemplo, usar a canetinha para fazer pontinhos aprendendo a técnica do pontilhismo, ou desenhar usando cotonetes, esponjas ou giz de lousa em uma lixa. Quem sabe a brincadeira não revela um artista?

8. Pular corda

Pular corda é uma das brincadeiras infantis mais estimulantes e divertidas para todas as idades — não é a toa que até adultos se aventuram no exercício! Acompanhados por músicas ritmadas, os pulos podem ser dos mais simples aos mais desafiadores: em um pé só, com as pernas juntas, com as pernas alternadas, tocando o chão.

Além de ser um exercício completo e queimar muitas calorias, pular corda melhora a flexibilidade, a coordenação motora e espacial e habilidades motoras em geral.

Em um mundo moderno, onde celulares, tablets, games e eletrônicos em geral fazem parte da vida das crianças desde muito cedo, é importante estimular a diversão através de brincadeiras infantis educativas, que podem contribuir para o desenvolvimento e aprendizado dos pequenos.

A partir dos seis meses já é possível brincar com o bebê e aumentar o vínculo de uma forma natural e prazerosa, mas conforme a criança cresce é importante usar a criatividade e incluir jogos e atividades mais desafiadoras. Além disso, ensinar aos filhos brincadeiras de sua infância pode ser uma experiência inesquecível!

Se gostou do nosso artigo, não deixe de compartilhar nas redes sociais!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.