Gravidez

Segunda gravidez: é preciso ter cuidados especiais?

A segunda gravidez é um pouco mais tranquila para a mulher, pois as inseguranças e os medos próprios da mãe de primeira viagem já foram solucionados. Mas é claro que sempre restam dúvidas e pontos a serem considerados quando o assunto é gerar uma vida.

Cada gravidez é única e merece atenção diferenciada. Por isso, trataremos neste artigo das particularidades de ser mãe pela segunda vez, o que muda no corpo e como se cuidar nessa nova gestação.

Interessou-se pelo assunto? Ótimo! Continue lendo e descubra as dicas que separamos:

Quais as vantagens da segunda gravidez?

Durante a primeira gravidez a mulher costuma passar por muitas inseguranças e ansiedade. Já na segunda gestação, a experiência é um diferencial, pois ao saber o que a espera, a grávida tende a viver a gestação de maneira mais tranquila, sabendo administrar mais calmamente as alterações físicas, psicológicas e emocionais.

Por já ter vivido, a mulher pode planejar melhor a gravidez, corrigindo e melhorando o que não foi tão bem durante a primeira gestação e, dessa forma, a vida da grávida vai ser menos estressante.

Fora que a mãe pode aproveitar muitas peças do enxoval do primeiro filho, tendo assim menos preocupações com o que pode faltar para seu bebê que virá.

É, também, indispensável pensar no primogênito quando se trata de segunda gestação. Agora além do bebê crescendo dentro da barriga, a mulher tem um outro filho a quem precisa dedicar seu cuidado e atenção.

Dica: Cuidados com o bebê: como fazê-lo se adaptar ao ambiente durante uma viagem

Se o primeiro filho for ainda pequeno, isso demanda um esforço físico redobrado, pois ele ainda depende de cuidados, colo e muita atenção. No caso de uma criança maior, a mãe terá ainda que trabalhar o ciúme, a recepção para o novo irmão e construir desde o início da gravidez uma ponte entre irmãos, pois essa relação pode ser bem conturbada se mal administrada.

Fora esses cuidados, o corpo da mulher não é o mesmo de quando engravidou pela primeira vez. Por isso, a gestante precisa conhecer as alterações e a maneira certa de se cuidar. É sobre isso que trataremos a seguir.

Quais as diferenças no corpo da gestante?

Na segunda gestação a barriga cresce mais rápido, a ponto de com 10 semanas a gestante parecer estar com 4 meses de gestação. Isso é comum porque a musculatura abdominal está mais relaxada após a primeira gravidez.

Além do abdômen, altera-se também as mamas, que tendem a ficar mais flácidas após a primeira gestação e há um acúmulo de gordura na região pélvica.

Durante a segunda gravidez a mulher vai notar que nos primeiros semestres haverá um cansaço muito forte. A explicação é que agora, além de cuidar do seu corpo, haverá ainda o primeiro filho para cuidar, então até se adaptar seu corpo sofrerá com a sobrecarga.

Quanto ao aparecimento de estrias, caso elas não tenham aparecido durante a primeira gestação, é bem provável que também não aparecerão na segunda. Caso contrário, elas provavelmente aparecerão novamente.

No banner abaixo acompanhe cada estágio do período da gestação, além de solucionar diversas dúvidas que envolvem esse momento único.

As varizes tendem a aumentar durante a segunda gravidez, isso devido às alterações hormonais e ao aumento do abdômen, que é maior na segunda gestação e, por isso exerce aumento na pressão dos vasos pélvicos, desencadeando em aumento dos vasos tanto na região da barriga como das pernas.

O aumento do peso também contribui para o aparecimento de novas varizes e o aumento das já existentes. É por isso que a gestante precisa cuidar para não sair do peso estipulado pelo médico, a fim de que seu corpo não sofra com essas e outras consequências, como veremos a seguir.

O que a mulher pode fazer para se cuidar?

A segunda gestação pede alguns cuidados como tomados em qualquer gestação e alguns específicos. Veja a seguir o que a gestante pode fazer para se cuidar.

Prática de atividades físicas

Assim como na primeira gestação, é importante que a grávida se exercite na segunda gravidez. Além do controle do peso, que é necessário para evitar varizes, sobrecarga das articulações e proporcionar bem-estar da mulher de modo geral, há vários outros benefícios da prática de atividades físicas para mãe e filho.

Ao se exercitar, a gestante se prepara para o momento do parto, pois ganha flexibilidade, fortalece a região da lombar aumentando a tolerância à dor, além de trabalhar a região do períneo, musculatura crucial no parto.

Ademais da preparação física, praticar uma atividade é também uma oportunidade da grávida alcançar um bem-estar mental, relaxamento e alívio das tensões que acabam sobrecarregando a mente das grávidas, sujeitas as alterações hormonais.

Outro ponto também ligado à saúde mental, é que os exercícios servem como uma prevenção da depressão pós-parto, ajuda na melhora da autoestima e na relação da grávida com sua imagem corporal.

Por fim, a gestante que se movimenta evita os inchaços das pernas e pés, previne o diabetes e a hipertensão gestacional, além de ter menos edemas de membros.

Todos esses benefícios afetam positivamente o bebê, que se desenvolverá melhor, uma vez que as condições intrauterinas melhoram com a prática de exercícios.

Dica: Veja 10 sintomas na gravidez que você nunca deve desconsiderar

Cuidados com alimentação e hidratação

Assim como a atividade física, cuidar da alimentação é dar atenção à saúde da grávida, do bebê e pensar na qualidade de vida durante e depois da gestação.

Alguns cuidados devem ser tomados para que mãe e filho aproveitem o melhor dos alimentos, sem comprometer a saúde.

Evitar adoçantes

O uso de adoçante pelas grávidas fica restrito à stevia, que é natural, por ser o mais seguro para o bebê. Outros adoçantes são contraindicados por conseguirem atravessar a placenta e poder interferir na saúde do bebê.

O ideal mesmo seria evitar o uso de adoçantes o máximo possível, principalmente se o único objetivo for a prevenção do ganho de peso, pois a eficácia nesse caso não é comprovada. É mais indicado fazer trocas inteligentes, como substituir o açúcar refinado pelo demerara, que é mais nutritivo.

Outras opções na hora de adoçar são o açúcar de coco, além do mel e melaço. Ou, melhor ainda, repensar a necessidade de adoçar determinados alimentos, como sucos, por exemplo.

Evitar frituras, gorduras e excesso de sal

Preparos que envolvam muita gordura, fritura e excesso de sal devem ser evitados pelas grávidas, não só porque eles são inimigos do combate ao sobrepeso, mas também porque evitar esses alimentos é uma maneira de prevenir a hipertensão e os riscos de pré-eclâmpsia e eclâmpsia.

Além do que, a maioria dessas refeições são pobres em nutrientes, sobrecarrega estômago e fígado e contribuem para a retenção de líquido e consequente inchaço.

Veja no banner abaixo alguns hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê.

Investir em alimentos crus e ricos em fibras

As grávidas devem dar preferência às frutas, verduras e hortaliças, de preferência na versão crua, para aproveitar ao máximo os nutrientes presentes nesses alimentos, como vitaminas, ferro, cálcio, potássio, etc. Todos elementos importantíssimos para o desenvolvimento saudável do bebê e nutrição da mãe.

É válido também consumir alimentos ricos em fibras, como pães e arroz integrais, que melhoram o funcionamento do intestino e evita a temida prisão de ventre, característica da gravidez. Além de dar sensação de saciedade, que ajuda a prevenir os exageros.

Priorizar a hidratação

Manter o corpo hidratado é importante em qualquer fase da vida, mas durante a gravidez essa importância ganha outra força.

A grávida deve tomar cuidado em beber água com frequência durante todo o dia pois esse hábito traz muitos benefícios:

A quantidade indicada de ingestão é de até 2 litros por dia, independente de sentir ou não sede. Para as mães que não têm costume de ingerir essa quantidade de água, pode-se substituir por sucos naturais, água de coco ou frutas ricas em água.

Dica: Vitaminas pré-natal: 4 elementos que exigem o máximo de cuidado!

Cuidados com a pele

Manchas

Durante a gestação o corpo produz mais melanina e a pigmentação da pele é alterada, o que favorece o aparecimento de algumas manchas amarronzadas. Para prevenir o aparecimento desses sinais, é preciso utilizar protetor solar nas áreas expostas sempre que for sair de casa e evitar tanto quanto possível a exposição ao sol.

Caso a mancha apareça, um dermatologista pode ser procurado para indicar tratamento com creme clareador específico para grávidas. O importante é não se desesperar.

Mãos

A vermelhidão nas mãos é comum em algumas grávidas. Trata-se do eritema palmar, um distúrbio consequente da elevada quantidade de estrogênios. Mas essa vermelhidão desaparece em até sete semanas pós-parto, não há porquê se preocupar.

Infecções das unhas causadas por fungos, vírus ou bactérias também são comuns durante a gravidez, uma vez que a imunidade está baixa. Como prevenção a gestante deve secar as mãos com cuidado após lavá-las, manter a cutícula e utilizar luvas para realizar serviços domésticos.

Recomenda-se, ainda, a troca da acetona pelo removedor hipoalergênico para a retida de esmaltes.

Veja no banner abaixo alguns hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê.

Estrias

As estrias são uma grande preocupação para as grávidas. Para prevenir é preciso uma atenção maior na hidratação e nutrição da pele, principalmente na região da barriga, onde a pele estará sujeita a um estiramento em excesso.

As gestantes devem ficar atentas aos produtos, pois nem todos estão liberados. Produtos que contenham ácido retinoico e que tenham na sua base a ureia estão proibidos.

Óleos vegetais – de amêndoas, de semente de uvas e de gérmen de trigo – também são ótimos aliados no combate às estrias, por serem ricos em ácidos graxos, além de terem emolientes, que protegem a pele da perda de líquidos.

A grávida pode utilizar os óleos na automassagem, cuidando não só da barriga, como também dos seios, das pernas e dos pés. Esse momento é importante, pois além de cuidar do corpo a mulher trabalha também a sua relação com as novas formas e se proporciona um momento de relaxamento.

Gostou de aprender um pouco mais sobre os cuidados na segunda gravidez? Compartilhe este artigo nas redes sociais e faça com que mais mães se informem.

Categorias: Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.