Gravidez

Conheça 5 atividades físicas para gestantes

O exercício físico traz diversos benefícios para a saúde, isso todos sabem, e durante a gravidez não é diferente. As atividades físicas são benéficas para gestantes também por ajudarem a mulher a lidar melhor com as alterações físicas e psicológicas que ocorrem durante a gestação, melhorando, inclusive, a sua relação com sua autoimagem. Além disso, são ótimas para o desenvolvimento saudável do bebê.

No entanto, é preciso saber quais os exercícios certos a se praticar e os cuidados que devem ser tomados para que mãe e filho não corram riscos. Interessou-se pelo assunto? Descubra quais são as melhores atividades físicas para gestantes e como praticá-las de maneira segura.

Por que se exercitar durante a gravidez?

A prática de atividades físicas durante a gestação serve como uma medida de prevenção contra diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e trombose, na medida em que ajuda a melhorar a capacidade de oxigenação e a reduzir o estresse cardiovascular. Além disso, proporciona à mulher um preparo físico melhor para a hora do parto.

Os exercícios também ajudam a mulher a lidar com as alterações que seu corpo passa durante a gestação, pois auxilia no controle do ganho de peso, melhora a circulação sanguínea — diminuindo os inchaços —, ajuda no relaxamento e ameniza as dores na coluna, por exemplo.

Ademais, é por meio das atividades físicas que a grávida encontra uma maneira mais harmoniosa de lidar com sua imagem corporal, fortalecendo a relação de autoconhecimento e amor pelas novas formas.

O bebê também tem muito a ganhar, pois a atividade física viabiliza melhores condições intrauterinas e pode diminuir o risco de a criança nascer prematura ou com sobrepeso.

Mas é preciso saber qual tipo de exercício praticar, pois nem todos são recomendados.

Quais as mais indicadas atividades físicas para gestantes?

1. Caminhada

A caminhada é benéfica para a grávida, pois fortalece os músculos das pernas, favorece o bom posicionamento da coluna e, consequentemente, ajuda a sustentar melhor o peso da barriga. Além disso, o movimento do quadril durante a caminhada ajuda a encaixar melhor o bebê, de maneira a facilitar um possível parto normal.

É preciso frisar, porém, que alguns cuidados devem ser tomados. Aconselha-se optar por percursos menos íngremes para evitar a sobrecarga nas articulações e o aumento excessivo da frequência cardíaca. Além disso, a atenção com a postura é essencial para evitar incômodos na coluna.

Outras orientações também são importantes para um conforto maior durante a prática desse exercício. Escolha roupas que facilitem a transpiração, uma vez que a grávida sua mais devido ao metabolismo acelerado, e dê preferência aos tops com sustentação reforçada. Opte também por locais mais frescos e horários com temperaturas mais amenas — entre 6 e 9 horas da manhã ou depois das 17 horas.

E, claro, a hidratação é fundamental durante a prática da caminhada.

2. Yoga

A Yoga é uma atividade física que trabalha não só o corpo, mas a mente também. Assim sendo, é um exercício ótimo para a gestante aprimorar sua relação com as mudanças físicas e psicológicas que ocorrem durante a gravidez.

As posturas da Yoga e o trabalho envolvendo concentração e respiração preparam a mãe para o parto. A Yoga proporciona também alívio nas tensões, relaxamento e equilíbrio, importantes tanto para a mãe quanto para o bebê.

Aconselha-se que no primeiro trimestre a gestante opte por exercícios que não façam pressão sobre o abdômen ou posturas difíceis. Melhor investir nos exercícios em pé, que vão fortalecer a musculatura das pernas e melhorar a circulação, ajudando no combate às cãibras.

Os dois últimos trimestres são dedicados a trabalhar as técnicas respiratórias, que vão ajudar a grávida a ganhar mais energia, disposição e equilíbrio. Além disso, os exercícios de respiração estão relacionados à melhoria na circulação sanguínea e uma diminuição no inchaço tão comum na gestação.

3. Natação

A natação é muito aconselhável durante a gravidez, pois, ao se exercitar na água, a gestante terá mais segurança, uma vez que se trata de um meio em que o risco de quedas e impactos é reduzido. Outra vantagem é que a natação permite trabalhar o corpo inteiro de uma vez só, sem se sujeitar ao risco de lesões.

Outras vantagens dessa atividade física é que ela proporciona um alívio das dores nas costas causadas pela sobrecarga de peso do bebê, reduz o edema (acúmulo de líquidos) nos membros, relaxa e fortalece a musculatura, melhora a circulação e, dessa forma, oferece melhor qualidade de vida para a mãe — e um desenvolvimento mais saudável para o pequeno.

É preciso, porém, estar atento a alguns detalhes. A gestante deve esperar até o terceiro mês de gestação para começar as aulas, pois antes disso é maior o risco de um aborto espontâneo, e é importante sempre evitar exercícios de alto impacto e de longa duração.

Outro ponto relevante é a temperatura da água, que no inverno deve atingir o máximo de 32 ºC e no verão, 29 ºC, para evitar uma hipertermia (aumento excessivo de calor corporal).

4. Hidroginástica

Assim como a natação, a hidroginástica é um tipo de atividade que ajuda a mulher a se exercitar sem sobrecarregar demais o corpo, pois a água suaviza o impacto dos movimentos.

A hidroginástica é como uma aula de aeróbico, mas dentro da água. Além do trabalho muscular, proporciona melhorias no equilíbrio físico e na postura, dando mais conforto às atividades do dia a dia. Ela também ajuda com a circulação sanguínea e o combate ao inchaço de pernas e pés.

Por ser um meio relaxante, a água permite um alívio do estresse e diminuição da ansiedade, elementos valiosos para a mãe e para o bebê.

Mas tome cuidado: por não estarem sentindo o peso real do corpo, algumas gestantes exageram na intensidade dos exercícios e isso não é recomendado. Evite movimentos que comprimam estômago e abdômen, além de saltos muito altos dentro da água.

5. Pilates

O pilates é uma atividade física que auxilia a gestante tanto na parte física quanto mental. Fisicamente, o pilates é importante por oferecer uma melhora na postura e fortalecer os músculos das pernas, evitando a sobrecarga na coluna e as dores nas costas. Além das pernas, esse exercício trabalha também os braços, o que prepara a mulher para carregar o bebê, tarefa que vai exigir bastante força.

O pilates trabalha também com o fortalecimento da região do períneo, importante aliado no combate à incontinência urinária, além de auxiliar na contração abdominal, preparando a grávida para o momento do parto.

Para a saúde mental e bem-estar, o pilates é um aliado por trabalhar a concentração e a respiração, trazendo mais calma e relaxamento para a gestante e seu filho. Além de servir como um preparo para as contrações do parto.

Apenas evite os exageros e exercícios que comprimam a barriga e mantenha-se sempre sob a supervisão total de um profissional para evitar lesões.

Quais cuidados a gestante deve tomar?

Antes de escolher qual exercício praticar, é imprescindível uma consulta com o médico para avaliar as condições da gestação e obter liberação médica.

Respeitar os limites do corpo e não exigir dele mais do que consegue é outro ponto importante. O foco das atividades físicas para gestantes é proporcionar uma melhor qualidade de vida para a mulher durante a gravidez e um desenvolvimento mais saudável do bebê, sem colocar em risco mãe e filho.

Gostou desse artigo? Que tal compartilhá-lo nas redes sociais e ajudar mais mamães a escolherem uma atividade física para se dedicarem durante a gestação?

Categorias: Gravidez , Saúde na gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.