Curiosidades da gravidez

Quebramos 4 tabus do sexo na gravidez. Confira!

O sexo na gravidez é um assunto delicado e deve ser tratado com todo cuidado e carinho pelo futuro papai e pela futura mamãe. Ele é parte de uma relação saudável e também contribui para a existência harmoniosa do casal, portanto não pode ser deixado de lado nem renegado a um segundo plano.

Infelizmente, há muito desconhecimento na área e as pessoas vivem espalhando lendas e mitos sobre o tema, o que em nada contribui para que essa fase maravilhosa que é a gestação seja encarada da melhor maneira.

Saber ao certo o que é ou não verdade pode ser de extrema valia para a família que está crescendo. No texto de hoje quebramos alguns dos principais tabus do sexo na gravidez. Confira!

Sexo na gravidez é arriscado

Esse é um mito muito difundido, mas a verdade é que, em se tratando de uma gravidez normal, sem nenhum fator de risco ou complicação, as pesquisas mostram que as relações estão liberadas e até recomendadas. Isso contribui para o bem-estar físico e mental do casal, reforçando o vínculo afetivo num momento tão importante.

Em linhas gerais, podemos dividir a gestação em três trimestres. No primeiro, é mais comum as mudanças fisiológicas e os sintomas são náuseas e mal estar, o que pode atrapalhar o desejo feminino. Já no segundo trimestre, os níveis hormonais aumentam e com eles a lubrificação vaginal e, em alguns casos, até a libido. No último, a barriga já bem protuberante pode gerar dores nas costas, desconforto e o ideal é achar uma posição que permita a relação sexual, caso haja a vontade.

Sexo machuca o bebê

O bebê não sofre nenhum tipo de malefício durante o ato sexual. A membrana que o protege sela completamente o cérvix da mulher, ajudando a deixá-lo isolado do canal vaginal. Como se não bastasse, o saco amniótico e os músculos do útero também servem como proteção, fazendo com que o futuro neném não sinta nenhum tipo de incômodo ou desconforto. Ginecologistas afirmam que a criança sente apenas as sensações agradáveis da mãe, como o relaxamento e o bem-estar.

Grávidas não têm orgasmo

A mulher grávida pode ter orgasmos como outra mulher qualquer. Não há nenhum tipo de impedimento físico para isso e, caso ela tivesse com frequência e agora tenha dificuldades em atingir o clímax, é recomendável procurar o ginecologista, pois algo deve estar errado. Até casais que optarem por não fazer sexo durante a gestação podem se beneficiar de práticas como a masturbação, levando também a futura mamãe ao orgasmo sem nenhum tipo de problema.

A libido diminui

A gravidez não tem nenhuma implicação que indique queda de libido. Como já foi dito, no segundo trimestre, em razão do aumento dos hormônios, ela pode até ser maior. Mas o fato é que em todas as fases ela não tem porque ser mais baixa. Se houver uma queda acentuada do desejo sexual, é bem provável que isso seja em razão de medos dos mitos e lendas criadas ao redor da gravidez. Se esse problema persistir, o ginecologista pode e deve ser consultado.

Esses são alguns tabus do sexo na gravidez que devem ser quebrados. Esse é um momento especial e único tanto para a mulher quanto para o casal. Com amor e carinho é perfeitamente possível ter relações sexuais durante toda essa época e coroar essa fase que é inesquecível na vida de qualquer um.

Você conhece outros tabus sobre sexo na gravidez? Compartilhe conosco nos comentários!

Categorias: Curiosidades da gravidez , Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.