Criança

Quando é hora de tirar a chupeta? 5 dicas para tornar esse momento mais fácil!

A chupeta ajuda o bebê a dormir sozinho; a chupeta dificulta a respiração nasal; a chupeta acalma o bebê; a chupeta deixa os dentes tortos… Definitivamente, não há consenso sobre os benefícios e malefícios da chupeta e, independentemente disso, muitos pais a utilizam por variados motivos. Porém, chega um momento em que já não se concebe mais seu uso e é preciso tirar a chupeta da criança.

Será que vai ser um chororô ou será tranquilo? Quando é esse momento? É disso que vamos falar agora. Confira!

Por que tirar a chupeta?

A sucção é um reflexo natural do bebê que pode ser percebido até mesmo dentro do útero, por meio das ultrassonografias. É um movimento vital para seu crescimento, mas que é satisfeito apenas com a amamentação no peito, oferecido sempre que a criança desejar. Já a chupeta, quando indicada, é sempre vinculada ao momento do sono, pois traz um relaxamento e um conforto ao bebê. Então por que tirar?

A Sociedade Brasileira de Pediatria lista vários pontos contrários ao uso da chupeta, e alguns deles vão motivá-la a tomar esse passo com o seu filho

  1. Estudos associam a chupeta a um tempo menor de duração do aleitamento materno, o que interfere diretamente na saúde da mãe e do bebê;
  2. Há inúmeras formas de acalmar um bebê, como o colo, o carinho, a música, a amamentação, e nenhuma delas exige o artifício da chupeta;
  3. Estudos apresentam que a chupeta interfere na formação bucal e sua utilização pode dobrar as chances de a criança apresentar deformação na arcada dentária, problemas na mastigação, problemas na fala, problemas na linguagem oral, além de problemas emocionais;
  4. Seu uso pode ocasionar problemas respiratórios, já que a chupeta induz à respiração oral (pela boca), levando a uma expiração prolongada (o que reduz a frequência respiratória), diminuindo o espaço aéreo dos seios da face (o que provoca desvio de septo), diminuindo a produção de saliva, entre outras consequências. Com uma respiração nasal precária, aumentam as chances de irritações (rinites, amigdalites, faringites) e infecções de ouvido.

Em contrapartida, alguns estudos mostram que em países desenvolvidos onde a morte súbita é uma importante causa de morte durante o primeiro ano de vida, o uso da chupeta demostrou a redução significativa desses casos. O ideal é que esse assunto também seja conversado com o seu pediatra.

Quando tirar a chupeta?

Se apesar de todas as opiniões e argumentos contrários à utilização da chupeta seu filhote a utilizar, é preciso retirá-la quando passar a fase oral — que acontece até os 2 ou 3 anos. Isso porque após essa idade, a necessidade de sucção da criança já não existe mais. Algumas desistem naturalmente desses “apegos materiais” e conseguem expressar suas carências de outras formas. Outras precisam de um empurrãozinho.

Além desse marco temporal, é preciso atentar-se para não tirar a chupeta da criança em momentos de instabilidade, dela ou da família, como na chegada de um irmão. Esse objeto de apego transmite à criança certa segurança e colaboram para a tranquilidade nesses momentos mais instáveis.

Dicas para facilitar a retirada

Chegada a hora, é preciso pensar nas formas tranquilas de tirar a chupeta. Assim como quando a criança começa a introduzir o dedo na boca você dá outra função para as mãos (entregando brinquedos e objetos, por exemplo), o princípio é basicamente o mesmo: criar uma distração.

E como fazer essa retirada? Com que argumentos? E como lidar com o choro? Vamos às dicas!

Retire a chupeta gradualmente

Sempre faça de forma gradual. Se seu filho utiliza a chupeta a maior parte do tempo, a ideia principal é ir reduzindo gradativamente o tempo em que ele a utiliza. A retirada imediata pode causar um estresse desnecessário e, por isso, o ideal é ir aos poucos.

Comece deixando-o dormir com a chupeta. Em seguida, assim que ele dormir, retire-a. Até que ele não sinta mais necessidade.

Estabeleça um tempo ou data

Pensando nessa forma gradual, é difícil prever por quanto tempo a criança ainda pedirá a chupeta. Ela precisa participar do processo, então sumir com o objeto sem que a criança tenha se esquecido dele não é uma boa opção.

Você pode usar um truque, falando que quando chegar uma data especial (algo pelo qual a criança espere), a chupeta sumirá para sempre. O importante é criar um deadline.

Distraia a criança com outras coisas ou atividades

Ofereça à criança outros estímulos na hora em que ela pedir a chupeta. Se estiver brincando, ofereça outros brinquedos e proponha atividades dinâmicas que a distraiam. Se ela vincula o bico à hora de dormir, faça com que ela se sinta mais confortável e segura de outras formas, como um carinho na barriga ou um cafuné.

Se ela continuar pedindo, tente mudar de assunto, dizendo que é hora de dormir e que você contará uma história ou cantará uma música.

Dialogue com o filho sobre o crescimento

Explique para o filho que ele está crescendo e que isso é ótimo! Conversar abertamente sobre o assunto é sempre uma opção interessante. Dentro da linguagem dele, você pode explicar que a chupeta pode “fazer dodói na boca” ou “ficar com o dentinho torto” se continuar usando, que “antes não tinha problema, mas agora tem”.

Fazê-lo entender que está crescendo ou que ele deve ter percebido que alguns coleguinhas não utilizam mais é um diálogo saudável. Nem sempre, porém, a criança compreende. Por isso, tenha paciência. Lembre-se de que a situação foi criada pelos próprios pais.

Não volte atrás

Não se preocupe com o choro. É natural e previsível, já que a criança deixa de ter ali seu objeto de apego, de acalento. Muitos pais desistem nas primeiras tentativas de retirar a chupeta por causa do choro dos pequenos, mas fique firme.

E é comum que seu filho tenha recaídas. Para evitá-las, quando a decisão de retirar for tomada, jogue fora as chupetas.

O bico é um objeto que traz segurança e conforto para a criança. Quando é chegada a hora de se livrar dele, tenha sempre em mente que esse é um processo gradual e que seu filho precisa compreender e participar dele. O afeto e as brincadeiras (e alguns truques, claro!) podem dar a ele a mesma sensação que a chupeta o proporciona, fazendo-o se interessar por outras coisas e situações. Invista nisso e exercite sua criatividade!

Viu como tirar a chupeta do seu pequeno não precisa ser um pesadelo? E se tiver outro bebê à vista, você pode apostar na amamentação para que ele nem se interesse pelo bico. Veja comoamamentar de forma correta!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.