Gravidez

Gravidez: a saúde da grávida no primeiro semestre

Uma gestante deve ser tão saudável quanto uma mulher que optou por não ter filhos. Os cuidados com a saúde acompanham a futura mamãe em todos os momentos da gravidez e, para alguns especialistas, esse cuidado deve começar antes mesmo da decisão de engravidar!

Como sabemos que a saúde de uma gestante pode ter peculiaridades que nem toda mulher conhece detalhadamente, preparamos este artigo para lhe ajudar a compreender as mudanças que estão acontecendo no seu corpo — e também na sua vida — acompanhando a gravidez em seu primeiro semestre.

Vamos falar de tudo que acontece no seu corpo no primeiro semestre da gestação. Confira!

Alterações físicas e sintomas tradicionais do primeiro trimestre

O primeiro trimestre é talvez o que apresenta os sintomas mais característicos da gravidez. Como o corpo está se adaptando para receber um organismo em desenvolvimento, é natural que os hormônios transformem o metabolismo da gestante em uma verdadeira montanha-russa de novas sensações.

A seguir, listamos os principais sintomas e alterações físicas dessa etapa da gravidez:

Náuseas

O primeiro trimestre é marcado pelas tradicionais náuseas da gestação, em especial entre as mamães de primeira viagem. Elas acometem a maior parte — cerca de 60% — das mulheres e são uma consequência natural das alterações hormonais que ocorrem nos primeiros meses de gravidez.

Nesse período, os enjoos matinais, que podem, inclusive, ser acompanhados de vômito, aparecem repentinamente, principalmente pela manhã, por causa da elevada produção do hormônio gonadotrofina coriônica (HCG).

Algumas situações favorecem o surgimento das náuseas, como é o caso da exposição a odores fortes — de perfume ou comida, por exemplo — ou a própria ingestão de alimentos, mesmo aqueles que você já tinha o costume de comer. Isso porque tanto o paladar como o olfato se tornam mais aguçados.

No entanto, as náuseas tendem a desaparecer a partir da 13ª semana de gestação.

Como lidar com as náuseas?

Apesar de, em alguns momentos, parecer ser difícil se alimentar, evite ficar de estômago vazio para não agravar esse quadro desconfortável. Alimentar-se de 3 em 3 horas, com pequenas porções de cada vez, ajuda a melhorar esses sintomas.

Invista em uma dieta saudável e equilibrada, optando por alimentos que sejam de mais fácil digestão. Evite aqueles muito quentes, que exalam um odor forte ou com alto teor de gordura.

Passe a se levantar mais vagarosamente, pois movimentos bruscos podem prejudicar o equilíbrio, estimulando as náuseas e as tonturas. Por último, tente se manter longe de perfumes e outros cheiros fortes.

Azia e prisão de ventre

É muito comum ver mulheres grávidas queixando-se de constipação, azia ou má digestão no primeiro trimestre da gestação. Mais uma vez, a alteração hormonal é o grande responsável por esse tipo de sintoma.

O HCG, que é altamente excretado nesse período, tem como uma das suas funções promover o relaxamento da musculatura lisa que compõe os órgãos do corpo. Por causa disso, o intestino e o estômago passam a trabalhar mais vagarosamente.

Como o estômago está mais devagar, a digestão dos alimentos fica mais demorada, o que favorece o retorno de ácido para o esôfago e a ocorrência da azia. No mesmo sentido, o trânsito intestinal torna-se mais lento, provocando constipação ou prisão de ventre.

Geralmente, esses desconfortos gastrointestinais tendem a desaparecer ou ficar mais brando por volta da décima sexta semana de gravidez.

Como fazer para evitar esses sintomas?

A ingestão de alimentos com alto teor de fibras, a exemplo das frutas, dos legumes, dos grãos integrais e dos cereais, e de bastante água facilita o trânsito intestinal e evita a constipação.

Novamente, a alimentação frequente e em menores porções é uma aliada, visto que ela pode reduzir a chance de ocorrência de azia. Além disso, diminuir o consumo de alimentos condimentados, industrializados ou muito gordurosos também reduz a frequência desse sintoma.

Fadiga

A fadiga é outro sintoma muito característico do primeiro trimestre de gestação. Ela pode ser explicada pelo grande esforço que o corpo faz para desenvolver o embrião, visto que as células se dividem rapidamente para dar origem aos órgãos do feto e às estruturas que o sustentam, como a própria placenta.

Como consequência do rápido desenvolvimento, a mulher sente-se cansada e sonolenta. Aliada à exigência extra para corpo da gestante, o aumento da produção de progesterona favorece ainda mais a instalação da sonolência.

Entretanto, a fadiga tende a se atenuar na metade do segundo trimestre da gestação.

O que fazer para driblar a fadiga?

Para diminuir a sensação de fadiga, sempre que possível, tire pequenos cochilos — cerca de 15 minutos — e faça períodos de descanso no decorrer do dia. Além disso, passe a deitar-se mais cedo para ter horas mais longas de sono durante a noite.

Quando estiver com muito sono e cansada, evite fazer atividades que exijam atenção, como dirigir, por exemplo, ou situações que requerem ainda mais esforço do seu corpo.

Aqui, novamente, a alimentação equilibrada é essencial. Exercícios físicos leves e supervisionados podem aumentam a sensação de bem-estar e dar mais energia para a gestante.

Dor de cabeça

As dores de cabeça são outro sintoma frequente durante o primeiro trimestre da gestação. Normalmente, as dores de cabeça são provocadas por uma ação conjunta entre o aumento do volume sanguíneo e as alterações hormonais que ocorrem nesse período.

O que fazer para evitar esse sintoma?

Para evitar esse desconforto, tente investir em atividades que promovem o relaxamento e, ao mesmo tempo, fique longe de situações estressantes.

No entanto, é muito importante que as dores de cabeça sejam sempre avaliadas pelo seu obstetra, visto que, em alguns casos, elas podem indicar problemas ou complicações para a gravidez.

Tontura

Esse é outro sintoma clássico dos primeiros meses de gestação. As alterações hormonais podem provocar quedas na pressão sanguínea, diminuir a concentração de glicose no sangue e aumentar da frequência cardíaca, situações que favorecem a ocorrência de tonturas.

Para fugir desse inconveniente, evite fazer movimentos muito bruscos, como levantar a cabeça muito rapidamente, e não se exponha a ambientes com temperaturas elevadas.

Aumento da micção

No primeiro trimestre de gravidez, é comum que as mulheres passem a urinar com maior frequência do que faziam anteriormente, inclusive, durante a noite.

Isso acontece porque o volume sanguíneo se eleva cerca de 50% durante a gestação. Consequentemente, os rins trabalham mais, aumentando a taxa de filtração do sangue e a produção de urina pelo corpo.

Além disso, a pressão do útero sobre a bexiga se eleva, o que contribui para que a mulher sinta ainda mais vontade de ir ao banheiro.

Mudanças de humor

As mudanças de humor são muito comuns durante o primeiro trimestre de gravidez. Da mesma forma que os outros sintomas, elas são fruto das alterações hormonais que acontecem no início da gestação.

Associada à maior produção de hormônios, a chegada da gravidez traz uma explosão de sentimentos, que vão desde o medo até uma enorme alegria, que ajuda a deixar a sensibilidade à flor da pele.

Nesse cenário, não é estranho que a mulher passe do riso ao choro com uma facilidade muito grande. Assim, problemas ou desentendimentos pequenos já são suficientes para arrancar rios de lágrimas da gestante.

Mamas maiores e mais sensíveis

As mamas da gestante vão apresentar um crescimento significativo nesse primeiro trimestre, podendo ficar mais sensíveis, pesadas e doloridas, assim como ocorre no período pré-menstrual ou de ovulação na mulher que não está grávida. Além disso, é comum haver formigamento e um maior evidenciamento das veias.

Essas mudanças ocorrem devido às alterações hormonais características desse período da gestação, em especial, o aumento da secreção de estrógeno e progesterona, que são responsáveis por preparar os seios para a futura amamentação.

Geralmente, o desconforto se ameniza após algumas semanas, quando o corpo se ajusta a produção aumentada de hormônios. Enquanto os sintomas não passam, o ideal é utilizar sutiãs confortáveis e que suportem melhor os seios.

Surgimento de estrias

Como a pele da gestante vai começar a se esticar com o desenvolvimento do organismo do bebê, é natural que algumas estrias apareçam em regiões específicas, como nos seios, na barriga, nas pernas e nos quadris.

Por isso, é fundamental manter a pele sempre hidratada para evitar o surgimento das estrias e rachaduras.

Maior pigmentação na pele

Você vai observar que seus mamilos ficarão mais escuros e, também, que algumas manchas — os famosos melasmas — podem surgir no rosto e em outras partes do corpo.

Essas manchas aparecem por causa das alterações que a gravidez provoca na atividade dos melanócitos, células responsáveis pela produção de melanina. Assim, para evitar manchas mais extensas e escuras, é essencial o uso diário de protetor solar.

Exames importantes para cuidar da saúde nessa etapa

Além de comparecer a todas as consultas do pré-natal, a gestante deve realizar uma série de exames indispensáveis para acompanhar a saúde e o desenvolvimento do bebê no primeiro trimestre de gravidez.

Trouxemos, a seguir, os principais exames que devem ser realizados nesse período da gestação:

  • Controle do peso, visto que o ganho não deve ser superior a 2 kg no primeiro trimestre.
  • Acompanhamento da pressão arterial para evitar quadros de pré-eclampsia e outras complicações gestacionais.
  • Aferição da altura uterina;
  • Hemograma completo e verificação do tipo sanguíneo e do fator Rh;
  • Avaliação quanto a presença de HIV, hepatite B, hepatite C, sífilis (VDRL), toxoplasmose, rubéola e citomegalovírus;
  • Verificação do nível de glicose, colesterol e triglicérides e TSH;
  • Ultrassom abdominal e transvaginal;
  • Exame de urina e de fezes;
  • Papanicolau, se necessário, dependendo da avaliação do obstetra.

Atenção a outros fatores de risco que podem atingir mulheres no primeiro trimestre

Algumas mulheres podem apresentar alterações na qualidade da sua saúde, causados pela gestação ou por alguma condição clínica pré-gestacional, que exigem o cuidado e a atenção da equipe médica que a acompanha.

Pacientes com diabetes, hipertensão ou alterações no funcionamento da tireoide devem seguir orientações específicas para o controle do quadro clínico, de forma a não prejudicar a saúde do bebê. Exames específicos para acompanhamento dessas condições deverão fazer parte da rotina dessa gestante, mantendo mãe e filho mais seguros até o final da gravidez.

Outro fator importante de atenção nesse primeiro trimestre é o cuidado para evitar doenças infecciosas, como a rubéola, a toxoplasmose e o citomegalovírus, que podem prejudicar o desenvolvimento da placenta e do bebê.

Alimente-se muito bem

Não é segredo para nenhuma gestante que a alimentação de qualidade é um dos cuidados-chave com a saúde ao longo dos próximos nove meses.

Para fazer a ingestão adequada de nutrientes indispensáveis para a formação do bebê nesse primeiro trimestre — como o ácido fólico, o ferro e o cálcio — a maioria dos obstetras recomenda a suplementação, associada a uma alimentação equilibrada e extremamente rica em todos os grupos alimentares.

Outros nutrientes, como as vitaminas do complexo B, o zinco, o iodo, as gorduras saudáveis, os carboidratos integrais e as proteínas também não devem ser deixadas de lado na dieta da gestante.

O risco de aborto existe, por isso alguns cuidados são essenciais

Talvez o ponto mais importante que deve ser observado durante o primeiro trimestre da gestação é o risco elevado de aborto espontâneo que persiste nesse período. Apesar de ser sempre lembrado como risco para a vida do bebê, o aborto também tem relação com a saúde materna.

Para evitar o aborto espontâneo, é fundamental o acompanhamento médico e a realização de todas as consultas do pré-natal. Em alguns casos, pode ser necessária a utilização de medicamentos e até mesmo a redução da carga de trabalho e de estresse nesses primeiros três meses.

Caso algum sintoma, como sangramento vaginal ou dores abdominais, se manifestarem nesse período da gestação, corra imediatamente para o consultório do seu médico para evitar complicações para a sua saúde e a do seu bebê.

Evite hábitos prejudiciais para a saúde

A gestante deve ficar muito atenta a alguns hábitos que devem ser modificados, especialmente nesse primeiro trimestre: a ingestão de bebidas alcoólicas e de tabaco deve ser abolida, o consumo de cafeína e de chás medicinais deve ser evitado, e medicamentos só podem ser utilizados com a autorização, a prescrição e a orientação médica.

A prática de atividades físicas deve ser estimulada no primeiro trimestre para evitar o sedentarismo, especialmente em mulheres que já eram ativas antes de engravidar. Entretanto, deve-se valorizar a prática de exercícios de baixo impacto, como caminhadas, yoga e hidroginástica, sempre orientadas por um profissional qualificado.

Após a leitura do nosso artigo, ficou claro que cuidar da sua saúde no primeiro trimestre é uma das coisas mais importantes que você poderá fazer para ter uma gravidez tranquila, certo?

Quer ajudar as outras mamães a cuidarem da gravidez mês a mês? Então, compartilhe o nosso artigo nas suas redes sociais!

Categorias: Gravidez , Primeiro trimestre de gravidez , Segundo trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.