Gravidez

O primeiro trimestre de gravidez: o início de uma nova vida

O atraso menstrual e os enjoos matinais costumam ser os sintomas mais comentados do primeiro trimestre da gravidez, já que a barriga ainda está longe de ficar visível. Mas, na verdade, o corpo da mulher passa por grandes mudanças nessa fase, e os órgãos do bebê estão praticamente prontos ao final desse período.

Quer entender mais sobre o primeiro trimestre de gravidez e as mudanças que ocorrem na mulher e no bebê nessa época? É só continuar lendo o nosso post!

Quando é o primeiro trimestre de gravidez?

De forma simplificada, o primeiro trimestre de gravidez representa os 3 primeiros meses dos 9 meses do período gestacional.

Na terminologia médica, no entanto, o primeiro trimestre equivale ao período da 1ª à 13ª semana gestacional, tendo início na data da última menstruação e chegando ao fim quando a placenta está formada e passa a ser responsável pela produção hormonal.

Isso significa que a gravidez tem início na data da última menstruação?

A ovulação e o verdadeiro início da gravidez costumam ocorrer na metade do ciclo menstrual, cerca duas semanas após a menstruação. Apesar disso, como é impossível afirmar com convicção quando a concepção ocorreu de verdade, a contagem das semanas gestacionais é iniciada na data da última menstruação por convenção e tradição médica.

Dica: Gravidez: a saúde da grávida no primeiro semestre

O que acontece no corpo da mulher durante o primeiro trimestre de gravidez?

Uma vez que o óvulo foi fecundado, o corpo lúteo — a região no ovário que foi responsável pela liberação do óvulo daquele mês — inicia a produção de gonadotrofina coriônica humana (o beta-HCG), estrogênio e progesterona em grandes quantidades, de forma a inibir a menstruação e manter a gravidez.

O aumento desses hormônios em circulação induz diversas mudanças vistas no corpo da mulher durante a gravidez:

  • as glândulas mamárias começam a aumentar e ingurgitar em preparação para a amamentação;
  • as auréolas se tornam mais largas e mais escuras;
  • a musculatura lisa em todos os órgãos fica mais relaxada, evitando contrações uterinas, atrasando o peristaltismo no estômago e no intestino e provocando dilatação das veias periféricas (varizes e hemorroidas);
  • o volume sanguíneo aumenta em 50%;
  • a capacidade de filtração dos rins e a produção de urina fica maior;
  • a flora vaginal se altera, e os corrimentos se tornam mais comuns;
  • os ligamentos ósseos ficam mais frouxos, provocando dores pelo corpo e instabilidade dentária;
  • o útero aumenta de tamanho para comportar o crescimento do embrião e ultrapassa os limites pélvicos, sendo palpável na parte inferior do abdome ao final do primeiro trimestre;
  • um pequeno ganho de peso (cerca de 500 g por mês) ocorre.

Dica: 4 dicas para lidar com as mudanças que a gravidez traz para o corpo da mulher

Quais os primeiros sinais de gravidez?

Como ocorre o desenvolvimento do bebê nesse período?

Após a fecundação, o zigoto começa a se dividir, gerar novas células e migrar das tubas uterinas para a cavidade uterina. Ao final da primeira semana, o embrião já contém mais de 200 células e se fixa na parede uterina, o que pode gerar um pequeno sangramento, semelhante a uma menstruação.

Na 4ª semana de gravidez, as células do embrião começam a se especializar e dar origem ao tubo neural, que vai se desenvolver no cérebro e na coluna vertebral do bebê. O sistema cardiovascular também começa a ser formado, até que, entre a e 6ª semana, o coração começa a bater e já pode ser captado pelo ultrassom transvaginal.

Ao longo do trimestre, o feto desenvolve todos os principais órgãos (coração, cérebro, fígado, pulmões, rins e intestinos) e começa a se mexer com espasmos musculares sutis que ainda não são perceptíveis pela futura mamãe. A percepção de sons e vibrações começa a surgir, e o bebê já reage aos estímulos do ambiente.

Por volta da 13ª semana, o corpo do bebê já está funcionando a todo vapor, com exceção dos pulmões, e até mesmo as unhas e os dentes de leite já estão surgindo.

Apesar de todas essas mudanças, o bebê ainda está bem pequenininho, com 10 cm de comprimento e um peso de 20g.

Dica: Tudo que você precisa saber sobre os movimentos do bebê na barriga da mãe!

Quais os riscos nessa fase da gravidez?

Como o bebê ainda está se formando e o corpo da mulher está se adaptando a esse novo estado, os abortos espontâneos são comuns no primeiro trimestre.

Geralmente, eles ocorrem devido a malformações grosseiras no feto, que impedem a vida, ou uma rejeição do corpo da mulher à gravidez devido a carga genética diferente da do bebê. O aborto, nesse caso, indica que aquela gestação nunca progrediria até o final e não costuma estar associado a qualquer problema na saúde do casal, não afetando a possibilidade de uma nova gestação no futuro.

Caso os abortos sejam de repetição, no entanto, é necessário passar por uma avaliação médica.

Quais cuidados são necessários no primeiro trimestre?

Apesar de a gravidez, muitas vezes, nem ter sido descoberta nessa fase, é muito importante que a mulher já tenha alguns cuidados extras a partir do momento em que decide tentar engravidar, para permitir que o bebê se desenvolva da forma correta.

Acompanhe cada estágio da sua gravidez com o aplicativo Semanas de Gestação. Clique no banner abaixo e acesse gratuitamente!

Esses cuidados são:

  • confirmar a gravidez por meio de um ultrassom transvaginal;
  • dar início ao pré-natal;
  • trocar ou ajustar medicações usadas no tratamento de doenças crônicas, evitando substâncias que podem fazer mal para o bebê;
  • realizar suplementação de ácido fólico para a prevenção de defeitos no fechamento do tubo neural e redução da chance de o bebê ter malformações na coluna vertebral (o ideal é que se inicie esta suplementação três meses antes da gestação);
  • seguir uma dieta saudável com porções pequenas e frequentes durante o dia;
  • beber água em grande quantidade, para manter o corpo bem hidratado;
  • abandonar o consumo de cigarro, álcool e outras drogas;
  • praticar atividades físicas de baixo impacto (caminhada, hidroginástica, alongamentos, ioga, pilates, etc.), para evitar o ganho excessivo de peso;
  • evitar o contato com carne crua ou mal passada e lavar muito bem frutas e verduras, caso seja suscetível a toxoplasmose;
  • reduzir o consumo de cafeína, café, chá-preto, refrigerantes à base de cola e chocolate;
  • evitar o contato com substâncias químicas que possam fazer mal ao bebê;
  • começar a organizar as finanças para a chegada do bebê;
  • ficar atenta a sangramentos e cólicas intensas, procurando um serviço de saúde, se necessário;
  • conversar com o médico antes de ingerir qualquer medicamento, passar cremes ou realizar tratamentos cosméticos.

Entendeu tudo sobre o primeiro trimestre de gravidez? Então compartilhe nosso post com suas amigas nas redes sociais!

Categorias: Gravidez , Primeiro trimestre de gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.