Curiosidades da gravidez

Quais são os cuidados que uma grávida deve ter durante o inverno?

O inverno pode ser uma estação bem mais agradável para as gestantes que o verão, especialmente na reta final da gravidez, quando os desconfortos aumentam.

As vantagens de estar grávida no inverno incluem a redução dos inchaços nas pernas e nos pés e a maior facilidade para dormir. Porém, os dias mais frios também pedem cuidados especiais com a pele, a higiene das mãos e a saúde de modo geral.

No nosso artigo de hoje, trazemos algumas dicas sobre os cuidados com a gravidez no inverno e mostramos como as futuras mamães podem se proteger e curtir os benefícios do friozinho sem grandes preocupações.

Boa leitura!

1. Cuidados com as doenças respiratórias

As doenças respiratórias são naturalmente mais comuns no inverno, devido ao tempo frio e seco. Para as gestantes, essa é uma época de riscos extras para o aparecimento de gripes, resfriados, pneumonias, sinusites, bronquites e asma.

A baixa imunidade, característica da gestação, deixa as mulheres mais propensas a essas doenças. Além disso, ocorre o inchaço das mucosas, o que dificulta a excreção de muco, que acaba se acumulando nas vias aéreas e facilitando a proliferação de vírus e bactérias que causam todos esses problemas.

Alguns cuidados simples, mas muito importantes, devem ser tomados no dia a dia para reduzir os riscos de a futura mamãe contrair doenças respiratórias durante a gestação. Veja, abaixo, quais são eles.

Vacinar-se contra a gripe

A vacina contra a gripe é fornecida gratuitamente nos centros de saúde e também está disponível na rede privada.

Grávidas em qualquer fase da gestação podem ser vacinadas. A única contraindicação é para quem tem alergia a ovo ou teve reação grave em vacinação anterior.

Mesmo as mulheres que tenham tomado a vacina em anos anteriores devem receber a proteção novamente, pois a dose só tem validade por um ano.

A vacina é a maneira mais eficaz de a gestante se proteger contra complicações sérias, como a pneumonia e a síndrome respiratória aguda grave, mais perigosa para as mulheres grávidas.

Vale lembrar que a vacina é produzida, geralmente, contra quatro subtipos do vírus influenza de maior circulação no ano. Dessa forma, não protege contra todos os tipos de gripe e resfriados.

Sabendo disso, vamos listar, a seguir, outras medidas que também devem ser seguidas para a grávida evitar o contágio pelos demais subtipos.

Manter as mãos limpas

As mãos são as grandes vilãs do alto contágio de gripes e resfriados. Uma pessoa doente que espirra ou tosse sem proteger a boca com um lenço de papel ou o antebraço acaba espalhando os vírus pelo ambiente.

Esses micro-organismos se depositam em mesas, corrimãos e barras dos ônibus, por exemplo, facilmente contaminando as mãos do próximo a tocar essas superfícies. Como levamos as mãos ao rosto o tempo todo para coçar os olhos, o nariz ou a boca, facilitamos a entrada dos vírus em nosso corpo.

Por isso, é muito importante que as gestantes mantenham sempre as mãos limpas, lavando-as com água e sabão frequentemente. Ter um frasco de álcool em gel 70% na bolsa é regra para as grávidas, especialmente durante o inverno.

Abrir portas e janelas

Mesmo nos dias mais frios, é preciso abrir as portas e as janelas de casa e do local de trabalho para que o ar circule e carregue os vírus e bactérias, dificultando sua transmissão.

Se você usa transporte coletivo, abra sempre as janelas, pois, com uma maior concentração de pessoas, há também mais risco de contaminação.

Evite locais com grandes aglomerações de pessoas

As gestantes também devem evitar ficar em locais com agrupamento de muitas pessoas, como shoppings, cinemas e feiras. Se desejar ir a esses locais, observe os horários em que estarão mais vazios e dê preferência a eles.

2. Cuidados com a pressão arterial

Durante o inverno, os vasos sanguíneos se comprimem para o corpo evitar a perda de calor e manter-se aquecido — o que é ótimo para reduzir os inchaços, porém, um risco a mais para o aparecimento de pré-eclâmpsia, já que há um aumento da pressão arterial.

A pré-eclâmpsia é uma doença grave que pode levar a sérias complicações para a saúde da mãe e do bebê. Ela ocorre em cerca de 7% das gestações e é mais comum em gravidez de gêmeos e nos casos de gestantes adolescentes ou com mais de 40 anos. É uma condição que geralmente aparece no segundo trimestre da gestação, após a vigésima semana.

Para evitar mais complicações, a gestante deve ficar atenta à pressão arterial, fazer corretamente o acompanhamento pré-natal e procurar imediatamente atendimento médico se notar um ganho excessivo de peso repentino ou maior inchaço súbito nas mãos e no rosto.

Nos casos mais brandos, a pré-eclâmpsia pode ser tratada com repouso e medicamentos para controle da pressão. Nos casos mais graves, é necessária a internação da gestante e, muitas vezes, é preciso adiantar o parto. Por isso, o diagnóstico precoce é essencial para a saúde da mãe e do bebê.

3. Cuidados com a pele

A pele é a primeira a sofrer os impactos dos ventos mais frios, aliados à baixa umidade do ar. Ressecamentos e coceiras se tornam comuns, especialmente com a pele esticando para acomodar o bebê.

Para evitar esses efeitos, a grávida deve usar bastante hidratante, especialmente na barriga, na região dos seios, nas coxas e no bumbum, áreas mais propensas às estrias.

Evite banhos muito quentes e demorados. A água quente retira a proteção natural da pele e a deixa ainda mais ressecada.

O protetor solar com fator superior a 30 é indispensável para as futuras mamães, mesmo nos dias gelados. Pode não parecer, mas a incidência dos raios solares é maior no inverno, o que é um complicador, já que o aumento da produção de melanina deixa as grávidas mais suscetíveis a terem manchas na pele, especialmente no rosto.

Lembre-se sempre de verificar o rótulo de todo cosmético que for utilizar para garantir que não há contraindicações para gestantes. Em caso de dúvidas, fale com o seu médico.

4. Cuidados com a alimentação e hidratação

Independentemente da estação do ano, a alimentação na gravidez deve ser equilibrada e rica em nutrientes para garantir a saúde da mãe e do bebê em formação. No entanto, no inverno, alguns cuidados específicos com os alimentos são aliados para manter o organismo fortalecido e enfrentar as baixas temperaturas com mais saúde.

Invista em frutas e sucos naturais ricos em vitamina C e coloque muitas verduras e alimentos fontes de ferro e vitaminas na dieta. Assim, você manterá a sua imunidade mais alta.

Beba muito líquido para facilitar a circulação sanguínea, evitar a hipertensão e reduzir os inchaços. Se estiver resfriada, a maior ingestão de líquidos é essencial para repor o que foi perdido e acelerar a recuperação.

5. Cuidados com medicamentos

Os antigripais são vendidos livremente e prometem acabar com os sintomas das gripes e resfriados. Mas eles são completamente contraindicados para grávidas.

Nunca se automedique! Se estiver com algum mal-estar, fale com o seu médico. Apenas ele poderá indicar a você alguma medicação para tratar sintomas como febre e coriza. O melhor é sempre evitar os remédios e investir em muito líquido e descanso.

Gostou do nosso post sobre os cuidados com a gravidez no inverno? Então, compartilhe essas dicas nas suas redes sociais e, assim, ajude mais mamães a se prepararem para uma gravidez tranquila!

Categorias: Curiosidades da gravidez , Gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.