Gravidez

Conheça 4 tipos de anestesia para parto

É unanimidade: sentir dor é um dos grandes medos das mulheres que estão chegando perto de dar à luz. No entanto, independentemente do método de parto escolhido, há alguns tipos de anestesia que podem ser aplicados para diminuir os incômodos desse momento.

Com o uso dessa medicação, é possível bloquear a sensação de dor e fazer com que o processo seja mais tranquilo tanto para mãe, quanto para o bebê que está chegando. Que boa notícia, não é mesmo?

Pensando nisso, criamos este material com todas as informações sobre 4 tipos de anestesia: como elas são aplicadas, tempo de duração, entre outras questões. Vamos conferir? Acompanhe a leitura e fique atualizada no assunto!

Menos dor e mais segurança para mamãe e bebê

Dar à luz é um dos momentos mais esperados por muitas mulheres. E se você está grávida e esse dia está chegando, provavelmente, o tipo de parto já foi escolhido. Independentemente da escolha, é comum que as futuras mamães fiquem inseguras em relação à dor durante o nascimento do bebê.

Dica: 6 sintomas de gravidez que você não conhecia

Se esse também é o seu medo, fique tranquila! Atualmente, os procedimentos contam com anestesias, que são excelentes para bloquear a sensação de dor e fazer com que o parto seja o mais tranquilo e especial possível.

Dentre os principais tipos de anestesia estão: a peridural e a raquidiana, que podem ser usadas combinadas ou separadas. Ambas são utilizadas nos dois métodos de partoa cesárea e o parto natural. Nesse último, a medicação é aplicada em menor quantidade, para garantir que a mulher continue sentindo as pernas. Já nos procedimentos cirúrgicos, a anestesia é administrada em doses mais altas, fazendo assim, com que as pernas fiquem imóveis.

Mas engana-se quem imagina que a única finalidade da anestesia é diminuir a dor. Além disso, a substância proporciona maior conforto e segurança, tanto para a gestante, quanto para o bebê. Para escolher a técnica ideal, o médico deverá analisar algumas questões importantes, tais como:

  • a condição do feto;
  • a urgência do parto;
  • o histórico de saúde da mãe;
  • a preferência da paciente.

Confira no banner abaixo as orientações para que o seu bebê chegue em um ambiente familiar confortável, organizado e muito seguro.

Aplicação das anestesias

Os dois tipos de anestesiaperidural e raquidiana — são aplicados na região entre as vértebras das costas da paciente. Para que a picada não incomode a gestante, o anestesiologista aplica uma espécie de anestésico local. Ou seja, sem pânico! O máximo que você pode sentir é uma picadinha ou leve pressão na região.

Além disso, os profissionais da saúde recomendam que a pessoa fique na posição adequada para o procedimento, permanecendo com as costas curvadas para frente, sentada ou deitada de lado.

Agora que você já sabe como funciona o processo de aplicação e escolha da anestesia, que tal conhecer a fundo sobre cada técnica disponível? Veja abaixo!

4 principais tipos de anestesia para o parto

1. Anestesia peridural

A anestesia peridural é, normalmente, usada nos partos naturais. Ainda assim, há algumas situações em que o medicamento pode ser aplicado em uma cesariana. Isso acontece quando o médico prevê um tempo de cirurgia maior do que o habitual.

Nessa técnica, é inserido um cateter fino na área peridural, para que a substância seja administrada. Ao chegar nos nervos, o medicamento bloqueia a transmissão dos sinais de dor, fazendo com que a gestante não sinta dor durante a saída do bebê.

O seu efeito demora, aproximadamente, 10 minutos para surgir e, muitas vezes 20 minutos para tirar completamente a dor da paciente. Por isso, é aplicada aos poucos, de acordo com a necessidade da paciente.

Dica: Tipos de partos: qual é o ideal para mim e meu bebê?

2. Anestesia raquidiana

A anestesia raquidiana, também conhecida como raquianestesia, é indicada para pacientes que estão sentindo muita dor, uma vez que o seu efeito é imediato. Essa opção é mais comum em procedimentos cirúrgicos, como a cesariana.

Com o auxílio de uma seringa, o medicamento é aplicado na região lombar e a agulha inserida tende a ser mais profunda do que a utilizada na técnica peridural. Já o efeito do medicamento pode durar aproximadamente 3 horas.

3. Anestesia combinada

Dependendo do quadro da mulher, da intensidade da dor e do estágio do trabalho de parto, o médico especialista pode decidir por aplicar, no mesmo momento, as duas medicações: a peridural e a raquidiana. Tal técnica é conhecida como anestesia combinada, ou “duplo bloqueio”. Enquanto a raquidiana oferece um efeito instantâneo, a peridural permite que a duração seja prolongada.

4. Anestesia geral

Em alguns casos há a possibilidade de as duas anestesias serem contraindicadas para a paciente. Em geral, isso acontece quando há um quadro de cesárea emergencial, falhas no bloqueio espinhal ou quando mãe tem algum quadro que impeça a punção lombar. Como solução, a equipe médica aplica a famosa anestesia geral. Quando a substância é utilizada, a mulher dorme até a finalização do parto, não tendo a oportunidade de ver o bebê chegar ao mundo.

Também é importante destacar que, nessa opção, há riscos que a substância passe para o bebê, fazendo com que ele fique sonolento por algum tempo. Por outro lado, não há motivos para se preocupar: os médicos prestarão o devido atendimento e a criança acordará sem qualquer complicação de saúde.

Confira algumas dicas que podem oferecer no futuro mais segurança e conforto na saúde do seu filho.

Efeitos colaterais da anestesia para o parto

Após a aplicação da anestesia, você pode sentir um certo enjoo ou coceira. Esses sintomas são comuns e devem diminuir com o passar do tempo. Caso a coceira esteja muito forte, comunique o médico e peça um remédio para controlar o problema.

Vantagens e desvantagens de cada anestesia

Como podemos notar até aqui, há opções de anestesia para diferentes situações. Para deixá-la ainda mais atualizada no tema, selecionamos abaixo as vantagens e desvantagens das técnicas raquidiana e peridural.

Vantagens da anestesia peridural

  • a paciente continua consciente;
  • a substância auxilia no controle da hipertensão arterial;
  • a mulher deixa de sentir dor.

Desvantagens da anestesia peridural

  • em alguns casos, pode causar aumento da temperatura corporal e tremores;
  • pode provocar a sensação de perda de controle;
  • há mais chances de ser preciso utilizar fórceps ou ventosas, no caso do parto normal.

Dica: Tudo que uma grávida precisa saber sobre o pré-natal

Vantagens da anestesia raquidiana

  • é capaz de bloquear instantaneamente a dor;
  • utiliza-se uma quantidade menor de medicamento, tornando o processo mais seguro.
  • a paciente continua consciente;

Desvantagens da anestesia raquidiana

  • nos partos normais, a substância causa a sensação de dormência da cintura para baixo, podendo dificultar na hora de fazer força;
  • algumas pacientes podem apresentar fortes dores de cabeça causada pela punção raquidiana mas essa pode ser revertida com repouso e medicamentos.

Viu, só? Não precisa temer! Com essas técnicas, você terá um parto muito mais tranquilo, seguro e confortável.

Após conhecer os tipos de anestesia mais utilizados nos partos, aproveite para assinar a nossa newsletter. Periodicamente, enviaremos a você conteúdos exclusivos sobre gestação e a saúde do bebê. Vale a pena!

Categorias: Gravidez , Terceiro trimestre de gravidez , Tipos de parto / Pós parto

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.