Gravidez

Agenda da gestante: já fez a sua?

Nove meses podem parecer muito, mas passam rápido. Tem que fazer todos os exames e consultas de pré-natal, ficar de olho na alimentação e na rotina de exercícios físicos, comprar os móveis e organizar o quartinho do bebê, preparar o enxoval, escolher um nome, resolver as questões burocráticas da licença-maternidade e planejar a visita de todos os parentes que vão querer conhecer o bebê… Ufa! É tanta coisa que só de pensar já ficamos cansadas. Mas calma que com um pouco de organização e planejamento dá pra fazer tudo na época certa e, o mais importante, garantir que tudo estará pronto para a chegada do seu bebê. Quer deixar tudo prontinho? Confira nossa agenda da gestante com um passo a passo do que você deve fazer em cada mês da gravidez:

Antes da gravidez

Para as mulheres que não foram pegas de surpresa e já estavam planejando isso há algum tempo, antes de engravidar é recomendado fazer um check-up com o ginecologista, realizar o exame de preventivo, atualizar o cartão de vacina, preferencialmente abandonar o cigarro, reduzir o consumo de álcool e começar a tomar ácido fólico para prevenir o risco de malformações neurológicas.

Nessa época, é importante conferir também se o seu plano de saúde cobre os gastos com o pré-natal e com o parto para não ter dor de cabeça depois.

Dica: Exames de pré-natal: saiba quais são e quando fazer!

1º mês

Para simplificar, a gestação é contada a partir do dia da última menstruação, então é só ao final do primeiro mês sem menstruar que a mulher começa a suspeitar da gravidez. É nesse momento que surgem os testes de farmácia e a primeira consulta com o médico para medir o BETA-HCG no sangue — uma proteína gonadotropina coriônica produzida pelo corpo lúteo e pela placenta, e é uma das primeiras alterações no organismo da mulher.

Para quem não tomou ácido fólico antes de engravidar, esse é o momento de começar o uso e reduzir o risco de espinha bífida e outros defeitos congênitos. Aproveite a consulta com seu médico para tirar quaisquer dúvidas sobre a gravidez: medicamentos que podem ser usados, se pode pintar o cabelo, quais repelentes contra insetos podem ser usados, se pode tomar café, se existe consumo seguro de álcool, etc. Caso seu ginecologista não seja obstetra ou não faça partos, pode ser necessário encontrar um novo profissional.

Apesar da vontade, ainda não está na hora de sair contando para todo mundo a suspeita de gravidez! Segure a ansiedade e mantenha a notícia apenas entre o grupo de pessoas mais próximas.

2º mês

Com os exames de sangue apontando a provável gravidez, é hora de confirmar tudo com o primeiro ultrassom: o endovaginal. Esse exame confirma se realmente existe um embrião, se ele está dentro da cavidade uterina (onde a gestação é viável) e até mesmo se não se trata de uma gestação múltipla de gêmeos, trigêmeos, etc.

Nessa época, as alterações hormonais costumam provocar enjoos, cansaço e inchaço dos seios, sendo necessário ter mais cuidado com a alimentação e com a hidratação, ir para a cama cedo e até comprar lingerie nova. É bom também já criar o hábito de fazer uma atividade física de baixo impacto — caminhada, hidroginástica, natação — para controlar o ganho de peso ao longo dos próximos meses.

Acompanhe o dia-a-dia de uma das fases mais importantes da sua vida! Confira no banner abaixo a agenda:

3º mês

O primeiro trimestre é a época em que os abortos são mais comuns, provavelmente por ser o início da formação do embrião, podem ocorrer erros na fase inicial da divisão celular levando a anormalidades cromossômicas que impedem o desenvolvimento normal do feto. Até o terceiro mês a produção de BETA-HCG se dá pelo corpo lúteo e só então passa para a placenta. Quando essa transição acontece sem qualquer problema, considera-se que a gestação tem tudo para chegar ao parto.

Isto é, o final do terceiro mês é a hora certa de espalhar para todo mundo que você está grávida — até porque no segundo trimestre não vai dar mais para esconder a barriguinha.

4º mês

Bem no início do 4º mês, entre a 12ª e a 14ª semana de gestação, deve-se realizar o ultrassom morfológico do primeiro trimestre com translucência nucal, que vai conferir o desenvolvimento de todos os órgãos do bebê, identificando defeitos congênitos e o risco de síndromes genéticas, como a síndrome de Down.

O segundo trimestre é considerado a fase mais tranquila da gravidez já que os enjoos chegam ao fim e a barriga ainda está pequena, sem incomodar tanto a movimentação. Para quem vai ter que reformar a casa ou quer montar o enxoval no exterior, esse é o momento de planejar tudo, contratando os serviços e comprando as passagens de avião para os meses seguintes.

5º mês

No ultrassom do 5º mês já dá para identificar o sexo do bebê, o que significa que finalmente dá para comprar as roupinhas e escolher a cor das paredes e dos enfeites do quarto. Nesse período já se pode buscar cursos de gestante, de primeiros socorros e até de amamentação.

No trabalho, é importante já acertar os detalhes da licença-maternidade com o RH e de quem vai substituí-la durante esses meses.

Dica: Uma visão sobre as posições do bebê na barriga durante o trabalho de parto

6º mês

Nessa época, a barriga já está bem grandinha e é necessário renovar seu guarda-roupa para o terceiro trimestre. Se possível, opte por peças que facilitem a amamentação para usá-las mesmo após o parto. Para as mamães que querem ver a carinha do bebê mais de perto, o 6º mês é a melhor época para realizar o ultrassom 3D ou 4D.

7º mês

Com a entrada no terceiro trimestre, já vale a pena conferir o funcionamento das maternidades, escolher o tipo de parto e começar a deixar tudo pronto para esse grande momento. Confira pesquisas sobre o uso de células-tronco do cordão umbilical e encontre laboratórios que realizem a coleta e o armazenamento desse material tão valioso que pode ser utilizado no tratamento de diversas doenças.

7º mês é melhor momento também para fazer o chá de bebê, receber as amigas e tirar fotos do barrigão. E lembre-se de que, a partir de agora, as viagens de avião estão contraindicadas.

Uma das fases mais importantes da sua vida, acompanhe no banner abaixo o dia a dia da sua gestação.

8º mês

A mala para a maternidade já deve estar montada com as roupinhas que o bebê vai usar no primeiro dia de vida — todas já pré-lavadas com sabão neutro — e as que você vai utilizar após o parto.

É hora de conferir também como vão ser os cuidados com o bebê nos primeiros meses: algum familiar vai ajudar? Você vai contratar uma babá? O bebê ficará em uma creche? O ideal é que tudo isso já esteja acertado até o final do oitavo mês.

9º mês

No nono mês, as consultas pré-natais se tornam semanais e tudo vira uma preparação para o trabalho de parto. Seu médico deve te instruir quanto aos sinais de que a hora do nascimento chegou e quando você deve procurar a maternidade.

Agora é a hora de checar se tudo está pronto para receber o bebê e solucionar quaisquer dúvidas que você ainda tenha sobre o parto ou os cuidados com o recém-nascido. Alguns pais fazem até uma consulta com o pediatra nessa época para esclarecer os cuidados com o bebê nos primeiros dias.

Quer mais detalhes sobre tudo o que você tem que fazer em cada mês da gestação? Baixe gratuitamente o nosso e-book Agenda da gravidez e fique pronta para a chegada do seu pequeno!

Categorias: Gravidez , Pré-natal

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.