Gravidez

O que muda no emocional de uma mulher durante a gravidez?

A notícia da gravidez de uma mulher é uma das maiores alegrias que os amigos e familiares dela podem receber ao longo de suas vidas. A chegada de um novo membro na família é motivo de celebração e muita preparação para receber o bebê que está a caminho. Você sabe dizer o que muda no emocional da mulher durante a gravidez?

Nós sabemos que, junto com o tornar-se mãe, estar grávida implica em outras várias transformações na sua vida: físicas, hormonais e, principalmente emocionais. Quer saber por que essas mudanças são tão comum na vida das futuras mamães? Confira nosso artigo sobre esse assunto!

Por que as mulheres sentem tantas coisas durante a gravidez?

Nada muda tanto no organismo feminino durante a gestação quanto a sua produção hormonal. Como o corpo precisa se preparar fisicamente — e mentalmente — para a chegada do bebê, os hormônios femininos têm como obrigação mudar completamente o funcionamento de alguns sistemas para que eles estejam aptos a ajudar o desenvolvimento do bebê.

Os hormônios gestacionais, portanto, aumentam a capacidade da mulher em estocar energia (por isso elas aumentam sua massa gordurosa durante essa fase), preparam as glândulas mamárias para produzir leite e também afetam diretamente o humor e o emocional da mulher, que fica mais sensível, mais protetora e, em alguns casos, até um pouco mais mal-humorada do que o normal durante os próximos nove meses.

Dica: Mudanças no corpo durante a gravidez: entenda o que acontece!

Quais são as principais alterações percebidas?

As alterações emocionais percebidas pela mulher, seus familiares e amigos durante a gestação podem mudar bastante durante a gestação. Em cada trimestre, é possível observar uma manifestação diferente do comportamento emocional da mulher, que também pode variar muito de gestante para gestante.

Primeiro trimestre da gestação

Uma das manifestações emocionais mais comumente observadas nessa fase é a ansiedade e o nervosismo. É claro que você vai estar feliz e eufórica com a notícia de que vai se tornar mãe, porém a responsabilidade e a insegurança de não saber lidar com uma nova situação podem deixar a mulher um pouco mais tensa e ansiosa do que o normal — e acredite, os hormônios não costumam ajudar no controle desses sentimentos.

Dica: Como controlar a ansiedade na gravidez?

Segundo trimestre da gestação

Quando a gestante alcança o segundo trimestre da gestação, é possível perceber uma queda da ansiedade e do nervosismo, acompanhado de uma sensação de tranquilidade e muita satisfação com a atual situação. Esse trimestre é, geralmente, a época preferida da grande maioria das mamães durante os nove meses, já que é quando elas se sentem mais confiantes e seguras das obrigações que terão dali para a frente. A adaptação do organismo com o aumento da produção hormonal também favorece essa sensação de “calmaria”.

Terceiro trimestre da gestação

Seja porque os últimos meses da gestação não são os fisicamente mais confortáveis para a mulher, ou porque a ansiedade da chegada do futuro filho volta a bater mais forte no emocional, o terceiro trimestre da gestação também é marcado por um emocional mais fragilizado. A insegurança com relação à saúde do bebê, ao parto e à organização de tudo que está faltando para deixar a casa pronta para a chegada do filho, podem voltar a abalar as estruturas da mulher, que fica sensível, nervosa e bastante ansiosa.

Descubra como as células-tronco podem ajudar na saúde do seu bebê e da sua família. Clique no banner e acesse o material!

O que fazer para controlar essas mudanças emocionais?

Apesar de serem uma consequência natural das alterações hormonais tradicionais da gestação, muitas das mudanças que ocorrem na vida da mulher durante essa fase também têm influência de fatores externos. Por esse motivo, controlar o emocional da gestante pode até parecer uma tarefa difícil, mas jamais deve ser considerada impossível!

Algumas estratégias podem ajudar as mamães a enfrentarem as piores fases. Confira abaixo quais são elas:

  • Contar com apoio e compreensão de seu companheiro sempre;
  • Conversar bastante com médicos, amigos e outras mulheres que também estão grávidas — isso ajuda a minimizar a insegurança e ansiedade;
  • Praticar atividades físicas leves para conseguir relaxar;
  • Encontrar um hobby para distrair a mente em dias mais difíceis;
  • Curtir cada momento da gestação e não se esquecer de que, em poucos meses, tudo aquilo vai passar.

O que mais você percebeu que muda no emocional da mulher durante a gravidez? Quais mudanças você já percebeu que estão acontecendo no seu dia a dia? Como tem feito para controlá-las? Compartilhe suas experiências com a gente!

Categorias: Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.