Curiosidades da gravidez

Doula: entenda o papel desta acompanhante durante a gestação!

Apesar de ser a maior emoção do mundo, a gestação também é um período de muitas descobertas e que, geralmente, vem acompanhada de um turbilhão de sensações — passando pelo medo, a ansiedade, a apreensão e, claro, muita alegria! Por isso, as doulas podem ter um papel importante nesse momento tão incrível na vida de uma mulher.

A palavra “doula” tem origem grega e significa “mulher que serve”. Atualmente, a palavra é utilizada para se referir às mulheres que acompanham outras mulheres durante a gestação, no momento e após o parto, dando suporte físico, emocional e informativo.

Venha conhecer um pouco mais sobre esse papel mais do que especial das doulas e, quem sabe, optar pela companhia dessas profissionais durante a sua gravidez!

Saiba quem são as doulas

As doulas são mulheres que não possuem necessáriamente uma formação técnica na área da saúde, mas que têm experiência no acompanhamento de gestantes. Essas mulheres têm o papel de apoiar e dar assistência para as futuras mamães, principalmente as de primeira viagem, durante todo período compreendido desde a gestação até os primeiros meses após o parto, incluindo os cuidados com o bebê.

Qualquer mulher acima de 18 anos pode ser doula. No entanto, para exercer as suas atividades, é recomendado que elas realizem um treinamento ou curso de capacitação, existentes em vários estados do Brasil. Além disso, as doulas podem oferecer o seu serviço voluntariamente ou de forma particular, cobrando pelo trabalho.

Até pouco tempo atrás, era comum as gestantes serem acompanhadas por uma outra mulher — geralmente da família ou com algum outro tipo de vínculo afetivo, como vizinha, amiga, irmã, prima e tia, por exemplo —, que já tinha passado por uma gravidez. Dessa forma, a gestante tinha o suporte de uma mulher mais experiente, que ajudava com as suas necessidades e dúvidas características do período.

Com a transferência do parto para o ambiente hospitalar, as gestantes e os seus bebês passaram a ser acompanhadas pela equipe de saúde, formada por obstetras, enfermeiros e pediatras. As doulas surgiram com a proposta de reavivar uma prática já antiga e tornar o parto mais humanizado.

Entenda o papel das doulas

As doulas ficam integralmente disponíveis para a mamãe — de segunda a segunda e durante 24 horas por dia — suprindo as suas demandas emocionais, afetivas ou físicas, esclarecendo as suas dúvidas e, ainda, fornecendo orientações e informações quanto à gestação e aos cuidados com o bebê.

Dessa forma, entre as atividades que as doulas podem exercer se encontram:

  • Amparo afetivo e emocional nos momentos finais da gravidez e no período pós-parto;
  • Prover o conforto físico por meio de medidas simples, como massagens nos pés, técnicas de respiração, sugestão de posições e movimentações mais favoráveis;
  • Apoio durante o trabalho de parto, inclusive aos seus familiares, auxiliando na tranquilidade e no conforto de ambos;
  • Presença contínua ao lado da gestante, oferecendo carinho, encorajando-a e ajudando a manter a sua tranquilidade;
  • Estabelecer contato com profissionais da saúde e familiares solicitados pela gestante;
  • Promoção do contato e interação da mamãe com o recém-nascido.

Saiba o que as doulas não podem fazer

Apesar da sua experiência no apoio às gestantes, as doulas não têm uma formação técnica relacionada à área da saúde e, por isso, não possuem habilidade e nem autorização para executar qualquer tipo de procedimento médico. Nesse sentido, elas não devem aferir a pressão arterial, monitorar os batimentos cardíacos do bebê, realizar ausculta fetal, fazer o corte do cordão umbilical, executar exames físicos, realizar o toque vaginal, administrar medicamentos e nem cuidar da saúde do recém-nascido. Além disso, a presença da doula não deve desestimular a gestante a esclarecer as suas dúvidas a cerca da gravidez com o obstetra que a acompanha. O seu médico é a pessoa mais capacitada para esclarecer qualquer questionamento sobre a sua saúde e a saúde do seu bebê durante a gestação.

De maneira alguma a doula substitui qualquer membro da equipe de profissionais da saúde! Assim, independentemente do suporte da doula, a equipe médica deve acompanhar a mamãe e o bebê em todas as fases da gestação e do período pós-parto.

Além disso, a doula não deve bater de frente e nem interferir nas condutas tomadas pelos profissionais da saúde ou no relacionamento da equipe médica com a gestante. Pelo contrário, ela deve colaborar para que esse relacionamento seja o mais construtivo e positivo possível!

Conheça as vantagens do trabalho das doulas

O suporte das doulas pode trazer vantagens psicoemocionais, a exemplo do aumento das taxas de sucesso na amamentação, mais qualidade no vínculo entre a mãe e o seu bebê e diminuição do risco de ocorrência de depressão e ansiedade no período pós-parto.

Além disso, as doulas podem ajudar, a tornar o parto mais humanizado, incentivar o parto normal e aumentar a satisfação da mulher com a gestação.

Veja as recomendações da OMS e do MS

Como salientado anteriormente, a atuação das doulas reacendeu um costume antigo, mas, dessa vez, com o respaldo científico. Atualmente, o suporte oferecido pelas doulas às gestantes já é indicado por hospitais que priorizam o parto humanizado e, inclusive, é recomendado tanto pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto pelo Ministério da Saúde (MS).

A OMS reconhece que a assistência fornecida pela doula durante a gravidez traz diversos benefícios para o parto. Já o MS indica que o apoio dessas profissionais impacta de maneira positiva na saúde das mamães e dos recém-nascidos, trazendo, também, vantagens psicoemocionais.

Clique no banner e acompanhe o desenvolvimento do bebê semanalmente:

Ficou claro que o trabalho desenvolvido pelas doulas pode tornar a gravidez um momento ainda mais especial e confortável para as mamães. Assine a nossa newsletter para receber mais informações e ficar por dentro dos vários assuntos relacionados ao mundo da gravidez!

Categorias: Curiosidades da gravidez , Gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.