Gravidez

O que acontece nas primeiras 5 semanas de gravidez?

A grande descoberta, os enjoos matinais, as emoções à flor da pele e as dores nas mamas costumam ser os fatores mais comentados das primeiras 5 semanas de gravidez — já que a barriga ainda está longe de ficar visível.

O corpo da mulher começa a sofrer as primeiras mudanças e o coração, rins e sistema nervoso central do bebê começam a se desenvolver neste período. Também é a fase de início do pré-natal com o obstetra, de adotar uma alimentação mais saudável e de evitar cigarros e bebidas alcoólicas.

Quer entender mais sobre a 5ª semana de gravidez e as mudanças que ocorrem no bebê e na futura mamãe? Continue lendo!

O desenvolvimento do bebê

Nas primeiras 5 semanas de gravidez, o embrião desenvolve mais de 1 milhão de células por minuto, dentro de sua casinha repleta de líquido amniótico.

É como se um sinal fosse dado para que todos os órgãos do bebê começassem a se desenvolver, e com 1,25 mm, seu corpo ganhou o formato de um C e já tem uma parte superior e outra inferior.

O coração é o primeiro órgão a se desenvolver, seguido do cordão umbilical, fígado, sistema nervoso central, rins, ossos, músculos, orelhas, olhos e das células sanguíneas.

Também nesta fase, o embrião pode ser visualizado pela ultrassonografia transvaginal, que apresenta uma melhor resolução de imagem. No entanto, ele é tão minúsculo que às vezes pode ser um pouco difícil visualizá-lo.

Os sintomas da mamãe

As emoções estarão à flor da pele nessa fase! A futura mãe pode se emocionar por estar grávida, ou preocupada e insegura, imaginando se vai se sair bem neste novo papel. Tudo isso é normal e não há motivos para preocupações.

As dores na parte inferior das costas e as cólicas semelhantes às menstruais são bem comuns nas primeiras 5 semanas de gravidez — assim como o cansaço constante. Portanto, é recomendado tomar um bom banho quente (se for de banheira, melhor ainda!), tirar uma soneca no decorrer do dia ou até mesmo ouvir uma música bem agradável. O que vale é relaxar!

Devido às alterações hormonais provocadas neste período pelo estrogênio e pela progesterona, a vontade de urinar aumenta constantemente, já que o útero começa a crescer e pressionar a bexiga até o fim da gravidez.

As unhas podem ficar mais resistentes, as mamas se tornam mais doloridas e inchadas à medida que as glândulas de leite vão se multiplicando, e se iniciam as famosas variações de humor.

O olfato também começa a ficar mais apurado, os enjoos mais frequentes e para aliviá-los, é recomendado não ficar muito tempo em jejum, e se alimentar pelo menos a cada três horas, evitando gorduras e tomando bastante líquido.

As precauções e os cuidados

Chegou a hora de marcar a primeira consulta com o obstetra, e certamente esta será a visita mais longa de toda a gravidez. Ela dará início ao pré-natal, e é o momento de tirar todas as dúvidas. Por isso, saiba mais sobre as dúvidas que podem surgir na primeira consulta com o obstetra!

Consulta e exames

O médico pode fazer um exame clínico para verificar se o óvulo está corretamente implantado no útero e não em alguma trompa, afastando a possibilidade de uma gravidez ectópica.

Depois, fará uma série de perguntas sobre o histórico familiar da gestante e solicitará vários exames para avaliação da saúde e de possíveis problemas que possam atingir o bebê, como: urina, fezes, ultrassom, e sanguíneo (que pode identificar HIV/AIDS, hepatite, sífilis, hormônios da tireoide, rubéola, níveis de ferro, glicemia, toxoplasmose, etc).

Alguns hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Clique no banner e saiba quais são:

O exame de fator RH é o mais importante para evitar a eritroblastose fetal, que é quando o fator da mãe é diferente do bebê, e seu sistema imunológico o reconhece como um invasor, produzindo anticorpos contra ele. Para evitá-lo, a mãe recebe uma injeção intramuscular chamada imunoglobulina anti-D, que destrói as células do bebê que estejam em sua corrente sanguínea.

O obstetra também poderá medir a pressão sanguínea e o peso da futura mamãe, além de calcular a fase gestacional com base no primeiro dia da última menstruação, e a data provável para o nascimento do bebê.

Nas primeiras 5 semanas de gravidez o tubo neural, que liga o cérebro do bebê à medula espinhal, se fecha. Por isso é fundamental que a gestante comece a tomar suplementos de ácido fólico, uma substância que ajuda a prevenir defeitos neste tubo.

O ideal mesmo seria que ela iniciasse esta suplementação 3 meses antes de engravidar, mas se isto não for possível iniciar o quanto antes.

Também é importante agendar um check-up no dentista, pois, uma cárie ou uma doença na gengiva, se não tratadas, provocam um abscesso de bactérias que podem ser transmissíveis ao bebê ocasionando, na pior das hipóteses, até um parto prematuro.

Dica: Você sabe como identificar as contrações de Braxton Hicks?

Cuidados com a alimentação e outros hábitos

Agora também é o momento de redobrar os cuidados com a alimentação, por isso, é importante adotar uma dieta equilibrada e saudável. Afinal, ela será a fonte de nutrição e desenvolvimento do bebê que está para chegar. Nesta altura da gravidez, a barreira placentária ainda não existe, e bebidas alcoólicas e cigarros devem ser evitados para não chegarem até o embrião.

Também é importante não tomar nenhum remédio sem antes consultar um médico — até mesmo os habituais, como os analgésicos. Eles podem atrapalhar no desenvolvimento do bebê.

Praticar exercícios físicos também é uma boa opção, pois fazem bem ao bebê e à mamãe — principalmente após o parto. No entanto, antes de praticar qualquer atividade, é recomendado obter autorização médica.

Vale lembrar que tinturas, alisantes ou qualquer outro produto químico que contenha amônia pode ser bem prejudicial ao bebê — substância contraindicada na gestação. Ela pode entrar na corrente sanguínea da gestante através do couro cabeludo, e ir diretamente ao feto.

Portanto, o ideal é procurar soluções alternativas como a henna, que é comprovadamente segura e é sempre indicado conversar com o obstetra para receber a orientação sobre quais produtos são liberados para uso nas primeiras 5 semanas de gravidez (e até mesmo um tempo depois).

Acompanhe cada estágio da sua gravidez com o aplicativo Semanas de Gestação. Clique no banner abaixo e acesse gratuitamente!

E aí, gostou deste texto sobre a 5ª semana de gravidez? Então, aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Dessa forma, você vai receber todas as nossas atualizações sobre este assunto na sua caixa de entrada!

Categorias: Gravidez , Primeiro trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.