Gravidez

Vacinas para gestantes: quais devo tomar?

Durante a gestação, uma das maiores preocupações da mãe é a saúde do seu filho. Mas muitas mulheres ainda ficam em dúvida sobre o que fazer na gravidez para assegurar a saúde do bebê. Manter a vacinação em dia é uma forma de certificar que mãe e filho fiquem bem durante a gestação e também após o parto.

Por isso mesmo, é importante que a mãe leve sua carteira de vacinação já na primeira visita ao obstetra. O médico vai avaliar quais vacinas a gestante deverá tomar para fortalecer seu sistema imunológico e o do bebê e orientar a mãe sobre quais doses devem ser evitadas.

Está grávida e ainda tem dúvidas quanto à sua imunização? Veja agora as principais indicações de vacinas para gestantes:

Vacinas recomendadas durante a gestação

Quando recebe uma dose de vacina, o organismo da mãe cria anticorpos para proteger-se contra o provável desenvolvimento de uma doença. Esses anticorpos produzidos pela mãe durante a gravidez são herdados pela criança ainda no útero e também durante a amamentação. Dessa forma, as vacinas funcionam como um incentivo para que a imunidade da mãe e do filho se fortaleça. Confira, então, as principais doses indicadas para as gestantes.

Hepatite B

Aplicada em três doses, a vacina contra Hepatite B pode ser administrada a partir do segundo trimestre da gestação. A chance de um recém-nascido ser infectado com Hepatite B e desenvolver a forma crônica da doença é muito alta. Por isso mesmo, assim que nascem os bebês são imunizados. Entretanto, é importante que a mãe também seja vacinada, já que a contaminação durante a gravidez pode provocar inflamação no fígado da mãe. E no bebê pode causar cirrose hepática ou câncer de fígado na fase adulta.

As vacinas são distribuídas gratuitamente em postos públicos de saúde, mas as mulheres que já receberam as três doses da vacina antes da engravidar não precisam de reforço durante a gestação.

Tríplice Bacteriana Acelular do Tipo Adulto (DTPA)

Essa vacina é aplicada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e promove a imunização contra três enfermidades: difteria, tétano e coqueluche. É indicado que as mulheres grávidas recebam uma dose da DTPA a cada gestação, mesmo se já tiverem tomado anteriormente.

A recomendação do Ministério da Saúde é de que a gestante seja vacinada entre a 27ª e a 36ª semana de gestação. Esse período foi definido para que a proteção para o bebê seja mais efetiva. Mas não é uma regra rígida, já que a dose pode ser administrada na mãe até 20 dias antes do parto.

Influenza

Popularmente conhecida como gripe, o vírus influenza pode causar sérios danos à saúde do recém-nascido. Como o bebê só pode tomar a vacina após seis meses de vida, imunização da mãe durante a gravidez é muito importante para que a criança já nasça protegida. Administrada em dose única, a vacina contra a gripe pode ser prescrita em qualquer mês de gestação e em até 45 dias após o parto para as mulheres que não receberam a dose durante a gravidez.

Além de imunizar contra a gripe, ela também ajuda a proteger contra doenças mais graves como bronquite e pneumonia. Entretanto é preciso ficar atenta já que a vacina é contraindicada para pessoas com histórico de alergia a ovo.

Vacinas que não podem ser tomadas durante a gestação

As principais vacinas contraindicadas para gestantes são compostas por micro-organismos enfraquecidos, isto é, apesar de atenuado, o vírus ainda está vivo. Isso faz com que o risco de desenvolver a doença para pessoas com imunidade mais sensível, como as gestantes e as crianças recém-nascidas, seja maior. Na maioria das vezes, os casos de infecção são poucos, mas a contraindicação é uma forma de assegurar a saúde de mãe e filho.

Caso a gestante tenha tomado alguma das vacinas não permitidas durante a gravidez, é importante que o médico seja informado. Dessa forma, durante os exames de pré-natal, o profissional terá mais cautela para verificar possíveis complicações causadas pela vacina.

Tríplice Viral

Essa vacina imuniza contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. A rubéola, principalmente, é uma doença que pode causar sérios danos durante a gestação caso o bebê seja contaminado, causando aborto, má formação e até a morte da criança.

Para evitar esses riscos, é importante que a mulher se planeje e esteja imunizada antes de engravidar. O ideal seria vacinar 3 meses antes da gravidez. Se a gestante não tiver tomado a vacina antes da gravidez, é preciso esperar até que o bebê nasça.

Catapora

Também chamada de varicela, esta vacina também possui o vírus atenuado. Se a mãe for contaminada antes da 13ª semana de gestação, o bebê tem chances pequenas de apresentar a síndroma da varicela congênita. Essa síndrome pode causar manchas na pele do bebê, má formação de membros, e problemas neurológicos. Além disso, pode aumentar o risco de aborto espontâneo. Se a gestante contrair catapora entre a 20ª e a 37ª semana de gestação, haverá a possibilidade de que a criança tenha herpes-zóster nos primeiros anos de vida.

Por isso mesmo, é importante que a mulher esteja imunizada antes de engravidar. Se não for possível planejar a imunização, a gestante deve tomar cuidado para não ter contato com pessoas infectadas pela doença.

Febre Amarela

Transmitida por um mosquito, a febre amarela tem maior ocorrência em países da África e da América do Sul, principalmente nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil. Mulheres grávidas devem evitar viajar para locais com incidência da doença, já que a vacina é contraindicada durante a gestação por conter o vírus atenuado.

Se a viagem for realmente necessária, o médico pode prescrever a vacina quando perceber que os riscos de contágio superam os riscos em potencial da dose. Todavia, é importante ressaltar que esses casos são especiais e devem ser avaliados minuciosamente por um especialista competente.

HPV

Apesar de não conter o vírus atenuado, a vacina contra o papiloma vírus é contraindicada para gestantes. A vacina é ainda muito recente e carece de mais estudos para comprovar a segurança da aplicação durante a gestação.

As mulheres grávidas se preocupam com o risco que as doenças podem trazer para sua saúde e a do bebê. Doenças como o zika vírus, por exemplo, vêm tirando o sono de muitas mamães. Mas com o devido acompanhamento médico e o cuidado com as vacinas para gestantes, várias enfermidades podem ser evitadas. Por isso mesmo, manter a vacinação em dia é uma excelente maneira de assegurar o bem-estar da mãe e do bebê.

Se você ainda tem dúvidas sobre a imunização durante a gravidez, faça suas perguntas e troque experiência com outras mamães aqui nos comentários!

Categorias: Gravidez , Saúde na gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.