Gravidez

O que fazer na gravidez para contribuir com a saúde do seu bebê no futuro?

Ver que a saúde do bebê é perfeita é tudo o que os pais desejam ao ver seu pequeno pela primeira vez após o nascimento. E para que isso possa ocorrer, é imprescindível que a mamãe cuide de sua própria saúde, se possível, antes mesmo de engravidar.

Neste artigo vamos apresentar várias dicas e cuidados com a saúde que a mamãe deve ter durante a gravidez e que vão afetar positivamente a saúde do seu filho por toda a sua vida. Confira!

Que cuidados de saúde devo ter antes de engravidar?

Abandono de vícios e manutenção do peso

Os primeiros cuidados são os mesmos que todos deveríamos ter com nossa saúde, mas principalmente por quem deseja engravidar. Não fumar, não exagerar nas bebidas e manter o peso ideal. Um corpo saudável é o primeiro passo para uma gestação igualmente saudável.

A importância do ácido fólico

Se estiver planejando aumentar a família, acrescente à dieta alimentos ricos em ácido fólico três meses antes de engravidar. Ele é fundamental para a saúde do bebê e desde a primeira semana de gestação e você já estará ajudando seu filho antes mesmo dele se desenvolver.

Mesmo assim, o médico vai receitar um suplemento de ácido fólico — vital para formação do tubo neural do bebê e para prevenir malformações, como a anencefalia por exemplo.

Mesmo assim, o médico vai receitar um suplemento de ácido fólico — vital para formação do tubo neural do bebê e para prevenir malformações.

Saúde do bebê: dicas e cuidados durante a gravidez para um bebê saudável

O fundamental pré-natal

Pré-natal é o nome que se dá ao acompanhamento médico que a mamãe deve ter durante todo o período de gestação.

A diabetes gestacional e a hipertensão são duas alterações importantes que podem aparecer na gravidez. Então, a primeira dica é: não deixe de fazer o pré-natal para uma gestação tranquila. Vá ao médico quantas vezes forem necessárias, pelo menos uma vez ao mês, e faça o acompanhamento direitinho.

As vacinas da mamãe

Ao visitar o obstetra pela primeira vez, leve sua carteirinha de vacinação para que o médico indique as vacinas que você deverá tomar. As vacinas essenciais são contra as doenças: rubéola (que não pode ser tomada durante a gestação, deve ser feita três meses antes de engravidar), hepatite B, difteria e tétano. Com exceção da Rubéola, as outras citadas podem e devem ser tomadas durante a gestação.

Atualmente, a vacina contra coqueluche dTpa também entrou no calendário de vacinação, mas sua dose será aplicada entre as 27ª e a 36ª semana de gestação para aumentar a proteção da saúde da criança. A vacina contra a gripe também poderá ser recomendada pelo médico.

Alimentação saudável e a consequente manutenção do peso

Devo comer por dois?

Manter uma alimentação saudável fará toda a diferença na formação do seu bebê desde quando ele for um pequeno embrião até o momento do nascimento.

Apesar de ser fundamental se alimentar bem, você não deve “comer por dois”, já que a qualidade e não a quantidade é que vai determinar se uma alimentação é saudável ou não.

Durante a gestação, o corpo absorve melhor os nutrientes. Se por um lado isso é ótimo, por outro, poderá gerar ganho rápido de peso, podendo deixar a saúde da mãe em risco (como adquirir o diabetes gestacional) — e também a do bebê.

Um estudo mostrou que mulheres que ganharam muito peso na gestação (por excesso de comida e não por inchaços) dão à luz bebês com mais de quatro quilos, aumentando as chances de complicações, tanto no parto, para a mãe, quanto para o bebê, que poderá ter alterações no metabolismo, nascer com problemas respiratórios, além de uma provável relação com casos de câncer, obesidade, diabetes, pressão alta e até doenças cardíacas quando adultos. Então, mamãe, vamos controlar a alimentação durante a gravidez, hein?

Evite o sal

Para a alimentação ser saudável sem que se precise “comer por dois”, as dicas são: não exceda o consumo de sal para a pressão arterial ficar equilibrada.

Abandone as bebidas alcoólicas

A bebida alcoólica deve ser evitada na gestação, já que o álcool chega até o organismo do bebê pela placenta podendo afetar sua formação e elevando os riscos de problemas de comportamento no futuro, como hiperatividade e déficit de atenção.

É também o álcool que propicia a Síndrome Fetal Alcoólica, que fará a criança apresentar anormalidades faciais, problemas cognitivos e déficit intelectual.

Evite os alimentos crus

Ovos moles, carnes mal passadas, peixes crus, leites e derivados não pasteurizados devem ser evitados por transmitirem bactérias (tanto para a mamãe quanto para o bebê) como a salmonella, por exemplo, e o agente causador da toxoplasmose.

Consuma cafeína e alimentos dietéticos com moderação

Os alimentos do tipo diet e light, os adoçantes artificiais e a cafeína devem ser consumidos com moderação. Se precisar usar adoçantes (no caso de ser diabética), use a sucralose e evite sacarina, ciclamato e também o aspartame.

O que devo comer durante a gestação?

Para adotar um cardápio saudável, lembre-se dos alimentos que sempre são citados como sinônimos de vitaminas e minerais, os já famosos alimentos que “deixam o prato colorido”, como frutas, verduras e legumes. Inclua, ainda, grãos e cereais integrais, leite pasteurizado e seus derivados desnatados, ovos cozidos e carnes sempre magras.

Mexa-se mais!

Não vire sedentária só porque está grávida (exceto na gravidez de risco por recomendação médica), pois gravidez não é doença. A atividade física é fundamental para uma gestação mais leve. Movimentar o corpo proporciona relaxamento, bem-estar e uma pitada de adrenalina.

Exercitar-se ajuda a diminuir alterações ósseas e posturais comuns na gravidez, por garantir força muscular à gestante. Também ajudará a manter o peso, diminuir as dores lombares e no quadril e auxiliar na aceleração da recuperação no pós-parto.

Mas quem nunca se exercitou deve pegar leve, por aumentar o trabalho cardíaco, o peso do corpo e dificultar a respiração.

A dica para quem está começando a se exercitar agora (pois pensando na saúde do bebê conseguiu espantar a preguiça) é procurar um fisioterapeuta ou profissional de educação física especializado para deixar o corpo do bebê e da mamãe em sintonia durante os movimentos.

Massagens, yoga, pilates e aulas de dança para gestantes e alongamentos podem ser feitos mesmo por quem é mais sedentária.

Preparando os seios para a amamentar

Muito mais que embelezar seu corpo, os seios têm a função primordial de “fornecer o primeiro alimento para o seu filho”. Então, prepará-lo para a amamentação é fundamental.

Comece pelo cardápio: aumentar a ingestão de água, de alimentos com vitaminas e minerais (e/ou suplementos vitamínicos prescritos pelo médico) ajuda na produção de um leite mais saudável e rico em nutrientes. Depois, você deverá deixar as mamas mais resistentes.

Para isso, tome sol diretamente nos seios por 15 minutos diários, deixando-os expostos à luz solar ou à lâmpada de 40 watts (do abajur, por exemplo) a dez centímetros de distância dos seios. Não passe creme hidratante nas aréolas. Procure usar um sutiã que faça boa sustentação das mamas, já que estarão mais pesadas desde o final da gestação.

Converse e cante com seu bebê

Tudo o que o bebê ouvir, mamãe, será nas áreas do cérebro que guardam emoções. Por isso cante e converse com ele e coloque músicas das quais gosta para ele ouvir. Quando ele nascer, resgatará — por meio de sentimentos e sensações — tais memórias dos sons que você e o papai proporcionaram a ele.

Além disso, você estreitará ainda mais os laços com seu filho. Isso ajudará, inclusive, na saúde psicológica e mental dele no futuro, pois se tornará um adulto mais seguro e preparado para os desafios da vida.

Importância de coletar células-tronco

As células-tronco dão origem às células adultas que formam os tecidos e órgãos do nosso corpo. Elas têm a capacidade única de autorrenovação e divisão constantes, o que contribui para a reparação de tecidos danificados ou para a substituição de células que vão morrendo.

É justamente por causa dessa capacidade que essas células podem ser utilizadas no tratamento de diversas doenças e estão em estudo para o tratamento de várias outras. O Cordão umbilical é muito rico em células-tronco em sua fase mais primitiva, quando há maior potencial de formação de outros tipos celulares e, consequentemente, um amplo leque de aplicações terapêuticas.

As células-tronco do sangue do cordão umbilical coletadas e já são usadas há mais de 20 anos para tratar mais de 80 doenças, principalmente falência medular, leucemias, anemias, imunodeficiências e doenças do metabolismo. Encontra-se também na fase de ensaios clínicos a possibilidade de recorrer ao sangue do cordão umbilical para tratamento, por exemplo, de lesões da medula espinhal, paralisia cerebral, doença vascular periférica e perda adquirida de audição.

Outra possibilidade atual é coletar as células-tronco do TECIDO do cordão umbilical.  Esse tipo de célula pode dar origem às células dos diferentes tecidos do corpo humano e são uma das áreas mais estudadas, hoje em dia, no campo de medicina regenerativa. Investiga-se o uso terapêutico dessas células para o tratamento de doenças como diabetes (tipo I e II), cirrose hepática, doenças cardíacas, Alzheimer, câncer de mama e lesões esportivas.

Apesar de diferentes, tanto as células do SANGUE quanto as do TECIDO do cordão apresentam menos chances de terem sofrido qualquer exposição a vírus, bactérias e ao meio ambiente. Isso garante maior eficiência terapêutica e um menor risco de complicações, no caso de uso

Agora que você está ciente de tudo o que precisa saber sobre como a mamãe pode colaborar com a saúde do bebê desde que ele nascer e por toda sua vida, assine nossa newsletter e continue bem informada!

Categorias: Gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.