Criança

6 peças de roupa que não podem faltar no guarda-roupa do bebê

O nascimento de um bebê sempre traz muita felicidade para a família, já que é uma nova vida que se inicia. Mas também podem trazer uma série de preocupações, principalmente para os pais e mães de primeira viagem. Uma das principais diz respeito às roupas de bebê. É difícil saber o que é preciso comprar, qual a quantidade e quanto tempo elas irão durar, pois as crianças crescem muito rapidamente.

Como as dúvidas são muitas, decidimos criar esse post no qual especificamos quais são as peças de roupa de bebê mais importantes desde a chegada até os seus primeiros meses. Vale a pena conferir!

1. Conjunto maternidade

Nos dois primeiros meses de nascimento, a criança vai usar esses conjuntinhos maternidade, mesmo se ela precisar ficar mais tempo no hospital. Eles são práticos, fáceis de colocar e de tirar, e o ideal é que sejam de lã fria ou de linho, já que esses tecidos, por serem naturais, lidam melhor com o clima quente ou mesmo com o clima frio. Você pode investir em 4 ou seis conjuntos maternidades.

Embora exista uma tradição, na qual o bebê deve usar a cor amarela no primeiro dia de vida e a cor vermelha no dia em que sair da maternidade, as cores ficam à critério dos pais, sempre!

2. Body manga curta e body manga longa

Os bodies serão muito usadas, tanto no verão, quanto no inverno, por isso é importante optar pelos de manga curta, sem esquecer os de manga longa. Eles também têm a vantagem de serem práticos e fáceis de combinar com outras peças, como macacões ou calças. O melhor tecido para se investir é o algodão, que promove maior conforto para o bebê no dia a dia e também por ser um tecido natural e adaptável para climas quentes e frios.

A quantidade que você deve comprar varia de acordo com a região em que você vive. Mas, normalmente, são comprados 6 bodies de manga longa e 2 de manga curta. Quando o bebê estiver entre 6 e 9 meses, aumente para 8 bodies de manga longa.

Dica: Como acalmar um bebê? Conheça 7 dicas

3. Macacões

Uma das vantagens dos macacões é que se trata de uma peça só, o que facilita muito nas trocas e mais trocas de fraldas porque você vai ter que passar, principalmente durante os primeiros meses do bebê. Existem diversos modelos e você pode comprar vários.

Ao sair da maternidade, é ideal que o bebê tenha cerca de 4 macacões esperando por ele no tamanho PP ou RN (recém nascido). De 1 a 3 meses, o tamanho do bebê já vai ter aumentado. Então, você pode adquirir mais 6 macacõezinhos no tamanho P. De 3 a 6 meses, lá se vão os macacões que você comprou… Por isso, será preciso buscar mais 6, só que desta vez no tamanho M. Com 6 a 9 meses, você deverá adquirir os últimos macacões que o bebê irá usar – depois do primeiro ano o guarda-roupa das crianças tendem a mudar totalmente. No caso, a numeração vai ser a G, mas a quantidade ainda pode ser a mesma.

4. Camisetas manga curta e camisetas manga longa

Dependendo do clima do lugar que você vive, você vai ter mais camisetinhas de manga curta ou de manga longa. O ideal é ter quatro camisetas de manga curta e pelo menos duas, de manga longa. Caso, você more em uma região muito fria, pode fazer o inverso.

5. Calça (com ou sem pé)

As calças podem ser usadas com o body ou mesmo com blusinhas. De modo geral, a contagem é uma blusa para três calças, mas no caso do bebê vai depender de como você pretende usá-las (com blusinhas e/ou com bodies). Mas, é importante ter, pelo menos três, caso o tempo esfrie ou mesmo para sair à noite e não deixar que a criança pegue muita friagem.

Dica: [Guia gratuito] A chegada do bebê: depois do nascimento

6. Itens que não são de vestuário, mas que também são essenciais

Nem só de blusinhas e macacões é feito o guarda-roupa de um bebê. Há muitos outros itens necessários para facilitar o dia a dia dele e, claro, o seu também. Veja só!

a. Babadores

É muito útil para aquela fase em que os dentes do bebê começam a crescer, mas também para quando ele começar a deixar o peito e começar a comer papinhas. Tem de todo tipo: de tecidos diversos e até de plástico. É legal experimentar o que é mais fácil de usar e higienizar e ter vários, pois as crianças fazem várias refeições durante o dia.

b. Toalhas felpudas  e toalhas fraldas

As toalhas dos bebês devem ser felpadas e com capuz. As toalhas fraldas costumam acompanhar as felpudas e são ideais para enxugar a pele dos bebês, que é mais sensível.

c. Mantas

As mantas são muito usadas quando levamos o bebê para passear, seja inverno, seja verão. Duas mantas de lã e duas mantas de algodão são mais que o suficiente. Separe uma delas – a sua preferida! – para que o bebê já saia da maternidade bem quentinho.

Roupa do bebê, roupa da mamãe, itens essenciais e muito mais. Baixe o checklist que vai te ajudar a arrumar a mala da maternidade!

d. Fraldas de pano

fraldas de boca, para usar quando o bebê estiver se alimentando, e as fraldas de ombro, que são mais usadas por você, pois como o próprio nome diz, são colocadas no ombro, quando o bebê estiver no colo, e evita que você fique com alguma marca de baba ou mesmo com algum odor desagradável, no caso de ele regurgitar.

Há, ainda, as fraldas usadas no lugar das fraldas descartáveis. Caso você opte por elas, é preciso ter uma dúzia. As fraldas de pano, atualmente, são bem diferentes das que as nossas mães usaram, pois elas têm velcro ou botões, para facilitar o fechamento, e também levam um tecido absorvente na parte de dentro.

e. Lençóis, colchas, fronhas e mais

Para o quarto do bebê, todo o conforto é pouco, não? Mas, depois de cuidar da decoração, não se esqueça de ter ao menos 4 jogos de lençóis e fronhas, 1 cobertor, 2 colchas e um travesseiro para receber o seu filho.

Para saber mais dicas sobre roupas de bebê e sobre outros cuidados, acesse nossa newsletter!

Categorias: Criança , Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.