Criança

Doenças de inverno: veja o que fazer para proteger o seu filho!

O frio já chegou e com ele o período de tirar os casacos do armário, incorporá-los no uso diário e tomar aquele leite quente na hora de dormir. Entretanto, por mais agradável que seja para algumas pessoas, esse é o clima ideal para que os vírus circulem pelo ar — e é praticamente impossível se manter ileso nesse período.

Ainda assim, a preocupação maior de qualquer mãe é manter o seu filho protegido das doenças de inverno (principalmente se ele é pequeno). Para entender melhor o assunto e saber o que fazer, não deixe de ler o post de hoje.

Quais são as doenças de inverno mais comuns?

Antes de saber que atitudes tomar para proteger seu filho, nada melhor que conhecer o “inimigo”, certo? Pensando nisso, listamos as doenças mais comuns do período. Vale lembrar que elas se manifestam como um resultado das mudanças climáticas mais bruscas,  deixando o sistema imunológico um pouco mais frágil.

Dica: Do essencial ao apenas útil: saiba o que organizar para a chegada do bebê

Resfriado

O resfriado é uma das doenças mais comuns e, como muitas pessoas já sabem, é uma infecção viral do trato respiratório. Ele pode ser causado por agentes infecciosos diferentes e apresentar sintomas muito distintos, como febre, tosse, congestão nasal, dor de cabeça e dor no corpo.

Como pode ser causada por mais de 200 vírus diferentes, o contágio acaba se tornando muito frequente. Ele acontece acontece pelo ar ou por contato com partículas do vírus pelas mãos contaminadas ou compartilhamento de objetos.

Rinite

A rinite (também conhecida como alergia nasal) é uma reação imunológica do corpo às partículas estranhas. Ela é muito comum no inverno, quando começamos a usar as roupas mais quentes que estavam guardadas há mais tempo. Cursa com coriza, coceira no nariz, espirros e sensação de nariz entupido.

Gripe

A gripe, também conhecida como influenza, é uma infecção um pouco mais séria que o resfriado. Ela acontece no sistema respiratório e em geral demora um pouco mais para se resolver.

Os sintomas comuns são a febre alta, dor muscular, dor de cabeça, dor de garganta, tosse e congestão nasal.

Dica: Conheça as melhores roupas de inverno para bebês

Sinusite

A sinusite é uma infecção dos seios paranasais, uma região que atinge as cavidades ósseas ao redor do nariz, olhos e maçãs do rosto.

Ela pode ser ocasionada por vírus, bactérias, fungos, alergia ou ainda qualquer outra condição que atrapalhe a drenagem da secreção dessa região. Entre os sintomas mais comuns estão: febre, dor de cabeça e cansaço excessivo.

Laringite

A laringite é uma infecção, na maioria das vezes viral, que acomete a laringe (região situada entre a faringe e a traqueia).

Tem início agudo, em geral noturno e cursa com tosse rouca, popularmente conhecida como “ tosse de cachorro”.

Bronquite

A bronquite é outra doença comum no período de inverno, principalmente em crianças, sendo caracterizada pela inflamação dos brônquios que ocasionam aprisionamento de ar nos pulmões. Cursa com tosse seca e irritativa, chiado e falta de ar.

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção dos pulmões que em geral acontece como complicação de gripes e resfriados comuns.

Pode ser causada por diversos agentes infecciosos e cursa com febre alta, tosse, falta de ar e dor no peito.
É uma das principais causas de internação na população pediátrica.

Descubra a relação das células-tronco com a saúde do seu bebê e da sua família.

Bronquiolite

Acometimento das vias aéreas inferiores causada por diversos vírus. Popularmente conhecida como pneumonia viral. Acomete lactentes e é responsável por grande número das internações desse período.

Otite

O otite é uma infecção do ouvido que acontece em geral como complicação de quadros gripais.

Amigdalite

Infecção da garganta que ocorre como complicação de quadros gripais.

O que fazer para proteger meu filho?

Nessa segunda parte, vamos trazer medidas práticas que você pode adotar para “blindar” seu filho de algumas dessas doenças. Veja:

Mantenha-o agasalhado

As crianças (principalmente as pequenas) apresentam grande facilidade em ter problemas respiratórios. Isso acontece porque o sistema imunológico é fraco e ainda está em desenvolvimento.

Os períodos frios e os ventos podem ser um prato cheio para muitas dessas doenças. Por isso, previna-se e deixe-o sempre bem agasalhado, pois essa medida pode reduzir as chances de contaminação ou ainda fazer com que a doença se desenvolva com mais lentidão.

Dica: A importância das brincadeiras na vida das crianças ao redor do mundo

Faça consultas médicas periódicas

Ao primeiro sinal de qualquer uma das doenças de inverno, uma boa dica é levar o seu filho ao especialista. Assim você fica sabendo qual é o tipo de tratamento ideal para cada situação e garante soluções mais assertivas.

Invista em uma boa alimentação

Sejamos francos: uma alimentação equilibrada, rica em vitaminas e nutrientes ainda é uma das melhores alternativas para deixar seu filho forte. Essa é uma forma de fazer com que ele apresente um “combate” natural a qualquer tipo de infecção, reduzindo as chances de doença.

Se ele ainda for um bebê, o aleitamento materno é um grande diferencial e oferece tudo que ele precisa.

Nesse tempo, ofereça uma dieta bem estruturada, com muitas frutas, vitamina C e demais nutrientes para que o corpo fique ainda mais forte para combater qualquer doença.

Aposte na higienização

Lavar o nariz com soro fisiológico é um santo remédio para os tempos mais frios e secos. Essa é uma maneira eficiente de umedecer a região e prevenir muito os resfriados e gripes. Além disso, fica mais fácil lavar as secreções antes que elas se acumulem.

Também é muito bom se esforçar para lavar as mãos, pois elas podem ser a porta de entrada para muitas doenças de inverno.

Cuide do ambiente

O controle do ambiente é crucial e deve ser feito com um cuidado ainda mais rigoroso nesse período. Os bichinhos de pelúcia, as cobertas mais quentes e os casacos guardados devem ser limpos com frequência, pois acumulam muito pó.

Como o tempo está mais frio, é muito comum que os ambientes fiquem mais fechados e as pessoas mais aglomeradas. Por mais caloroso que isso possa ser, é bom tomar cuidado, pois favorece o contágio de algumas doenças respiratórias.

Descubra a relação das células-tronco com a saúde do seu bebê e da sua família. Entre em contato!

Portanto, promova uma circulação do ar na sua casa e no quarto do seu filho diariamente. Além disso, não é bom deixá-lo por muito tempo em ambientes fechados.

E por último, o umidificador de ar também pode ser uma boa saída, desde que esteja corretamente limpo. Assim você consegue facilitar a respiração e criar um ambiente mais gostoso para os filhos.

Agora que você conhece as doenças de inverno mais comuns e quais medidas adotar para preservar seus filhos, é importante colocar em prática agora mesmo. Você vai se surpreender com os resultados e sentir que conseguiu preservar seu filho de muitas delas.

Para continuar recebendo esses e outros conteúdos do seu interesse, siga-nos nas redes sociais. Estamos no TwitterFacebookInstagram. Nos encontramos por lá!

Categorias: Criança

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.