Criança

Cuidado com os bichinhos de pelúcia no quarto do bebê

O quarto do bebê é sempre composto por objetos fofos e que remetem a um universo lúdico e feliz. Os brinquedos devem fazer parte da decoração e o lado bom é que, além de ficarem bonitos, são sempre muito queridos pelas crianças. E uma das coisas que elas mais amam (e os adultos também mais gostam de presentear) são os bichos de pelúcia. No entanto, embora fofos e divertidos, eles não são tão inofensivos quanto parecem.

Além de exigir que sejam de boa procedência, os pais precisam estar atentos a todos os cuidados que eles requerem, especialmente para não trazer riscos à saúde dos bebês. Quer descobrir quais são os cuidados que você precisa ter com esses bichinhos? Então leia o texto a seguir e confira o que você deve fazer:

Só ofereça brinquedos com o selo do Inmetro

O primeiro passo para tomar os cuidados adequados com bichos de pelúcia do bebê é garantir a sua procedência. Aqui no Brasil, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) faz verificações periódicas para que o produto atenda a todas as normas de segurança e não coloque o seu bebê em risco. Os componentes precisam ser feitos de forma que não se soltem, pois esse brinquedo geralmente possui botões, zíperes, espuma e muito mais.

Há um selo do Inmetro que indica que o produto é seguro para crianças pequenas, com menos de 3 anos. Procure por essa certificação antes de presentear seu pequeno com pelúcias.

Realize a limpeza periodicamente

Fazer a limpeza é essencial para que a pelúcia não acumule ácaros e poeira. Além de água e sabão, existem produtos específicos para remoção de partículas de sujeira que podem causar alergia. Abrir a janela diariamente para que a luz do sol penetre e o ar circule também é fundamental. Fique atento a qualquer sinal como coceira no nariz, espirros, obstrução nasal, coriza, respiração pela boca, coceira nos olhinhos, entre outros.

Dica: 7 dicas para limpar o quarto do bebê

Se seu filho for alérgico, é preciso redobrar os cuidados. Se houver chiado e tosse, o quadro pode ser pior: asma! Então, se esses sintomas forem frequentes, procure o seu pediatra de confiança e faça uma consulta.

Faça as escolhas adequadas

Muita gente simplesmente enche o quarto dos filhos com bichinhos de pelúcia, sem dar atenção para a quantidade ou os tipos. Além dessa prática contribuir para juntar poeira, ela nem sempre vai ser boa para o próprio bebê. O ideal é que no berço fique apenas o brinquedo de preferência do seu filho. E, mesmo na hora da diversão, é preciso parcimônia: alguns bichinhos que fazem sons ou têm cores vibrantes podem ser ótimos de manhã, mas um tremendo erro se a hora de dormir estiver se aproximando!

Clique no banner abaixo e saiba tudo que você precisa para estar preparada para a chegada do seu bebê. Acesse gratuitamente:

Banner para baixar o e-book "A chegada do bebê: depois do nascimento"

Troque quando possível

Um bichinho de pelúcia pode acumular até 300 mil ácaros em menos de um ano! Por isso, nada de sentimentalismos excessivos ou pena. Ficou velho? Substitua por um novo ou até por outro tipo de brinquedo.

Esses são alguns dos principais cuidados que precisam ser tomados com os bichos de pelúcia do bebê. Eles podem ser um ótimo brinquedo se os pais estiverem atentos, mas também representam um grande perigo se não forem corretamente escolhidos e conservados. Siga nossas dicas e deixe seu bebê com uma saúde de ferro!

Como você faz para cuidar das pelúcias do seu bebê? Já tinha essa atenção? Conte pra gente!

Categorias: Criança

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    Dra. Mariana Mader Pires de Castro

    (CRM: 876879RJ)
    Graduação em Medicina pela Universidade Estácio de Sá;
    Residência Médica em Pediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Residência Médica em Endocrinologia Pediátrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
    Certificado de Atuação na Área de Endocrinologia Pediátrica (CAAEP)- RJ; Mestrado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.