Gravidez

7 alimentos que podem prejudicar a gestante

A gestação é um período da vida da mulher que exige muita atenção com a alimentação, já que o crescimento e desenvolvimento do bebê estão intimamente relacionados ao fornecimento de nutrientes que vem da dieta materna. Mas não é somente com o que deve ser ingerido que as futuras mamães devem se preocupar: alguns alimentos também podem ser extremamente prejudiciais para a saúde da mãe e do bebê e, por esse motivo, devem ser evitados durante os nove meses de gestação.

Conheça 7 alimentos que podem prejudicar a gestante

Vegetais e frutas cruas

Todo cuidado é pouco com a ingestão de alimentos crus durante a gestação. Sabemos que esses produtos devem passar por um rigoroso processo de higienização para serem consumidos sem oferecer grandes riscos a saúde, e com as gestantes essa atenção deve ser redobrada.

Alimentos crus tem maior risco de apresentarem contaminação por bactérias, germes ou compostos químicos que podem aumentar a chance da gestante apresentar alguma intoxicação. Por esse motivo, vegetais e frutas cruas devem ser, sempre que possível, substituídos por suas versões cozidas ou extremamente bem higienizadas.

Dica: 8 alimentos e vitaminas essenciais durante a gravidez

Peixes e frutos do mar

O problema aqui está relacionado com dois fatores: o primeiro, que trata do consumo de carne crua de peixe, aumentando o risco de infecção alimentar da gestante. Para isto deve-se procurar estabelecimentos cuja procedência do peixe é confiável. O segundo ponto trata do aumento do consumo de mercúrio pela mulher. O mercúrio, se consumido em quantidades elevadas, pode prejudicar a formação do sistema nervoso do bebê e, por esse motivo, deve ter sua ingestão controlada durante a gestação. Peixes com maior concentração de mercúrio são o Atum, o Robalo e a Garoupa.

Carnes mal passadas

Nós sabemos do grande risco que é ingerir uma carne mal passada, especialmente se ela tem procedência duvidosa. Esse risco pode ser ainda maior para a gestante, que está expondo sua própria saúde (e a do bebê) quando consome uma carne mal preparada, já que o risco de desenvolver infecções alimentares é muito grande. Aqui está o risco da toxoplasmose!

Dica: Preocupada com a saúde do seu bebê? Comece pela atenção à gravidez!

Leite e laticínios não pasteurizados

O leite e seus derivados passam por um processo de pasteurização antes de serem comercializados. Essa pasteurização serve para diminuir sua concentração de bactérias e outros compostos infecciosos que podem afetar a qualidade da saúde humana. Algumas pessoas, entretanto, consomem esses produtos não pasteurizados e não costumam apresentar sintomas de nenhuma infecção alimentar, porém a gestante não pode e não deve estar exposta a esse risco. Priorize os produtos lácteos que informem no rótulo sobre o processo de pasteurização, para garantir sua segurança alimentar.

Embutidos

Os presuntos, salsichas, salames e blanquets passam por um tipo de processamento que pode ser contaminada por uma bactéria chamada Listeria. Essa bactéria é a responsável por desenvolver, em indivíduos com baixa imunidade e susceptíveis como a gestante, a meningite. Por esse motivo, não é recomendado ingerir embutidos durante todo o período gestacional.

Ovos crus ou mal cozidos

Os ovos crus ou mal cozidos podem ser a porta de entrada para uma infecção alimentar causada por uma bactéria chamada de salmonela. O consumo de ovos crus já é responsável por quadros de infecção alimentar em indivíduos saudáveis e em gestantes os sintomas podem ser ainda mais graves e desconfortáveis. Evite consumir estes alimentos, ou molhos e outros produtos derivados deste alimento (como a maionese).

Clique no banner e conheça as principais recomendações e dicas que podem oferecer no futuro mais segurança e conforto na saúde do seu filho.

7 alimentos que podem prejudicar a gestante

Bebidas alcoólicas

Apesar de parecer óbvio colocar bebidas alcoólicas nessa lista, é sempre importante relembrar o porquê de mencioná-las. O consumo de álcool em excesso, além de prejudicar a saúde da mãe, pode afetar o desenvolvimento do feto, resultando no nascimento de uma criança com problemas físicos ou até mesmo neurológicos. É importante que as mães saibam da existência da Síndrome Alcoólica Fetal, distúrbio que acomete filhos de mães com hábito regular. O consumo esporádico de álcool já traz bem menos riscos. Converse com o seu médico sobre esse assunto.

Você está grávida? Já pensou em retirar algum desses alimentos que podem prejudicar a gestante da sua rotina? No caso de dúvidas, consulte uma nutricionista ou seu ginecologista/obstetra.

Categorias: Gravidez , Saúde na gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dr. Bruno Wunder de Alencar

    Dr. Bruno Wunder de Alencar

    (CRM: 684341RJ)
    Graduado em Medicina pela Escola de Medicina Souza Marques e residência em Ginecologia e Obstetrícia pelo Instituto Fernandes Figueira;
    Título de especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO;
    Pós Graduação em Medicina Fetal pela FIOCRUZ;
    Pós Graduação em Ginecologia pela Santa Casa de Misericórdia RJ;
    Últimas posições: Diretor Médico do Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart e Membro do Conselho Médico da Casa de Saúde São José

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.