Gravidez

Faça o Planejamento Financeiro Familiar para a chegada do bebê

Quando um casal decide começar — ou ampliar — uma família, vários cuidados e escolhas precisam ser tomados a partir desse momento tão importante de suas vidas. Além do nome do bebê, a maneira como ele será criado e como isso vai mudar a relação entre vocês, um outro detalhe muito importante dessa nova fase da vida precisa ser levado em consideração: o planejamento financeiro familiar.

Planejar-se financeiramente para a chegada do bebê é uma maneira muito racional para começar os cuidados com seu filho — afinal, para poder oferecer tudo o que você acredita que ele merece, é preciso conhecer os investimentos que terá de fazer antes, durante e após o nascimento.

Para lhe ajudar a estruturar melhor um controle de possíveis gastos e investimentos, preparamos esse artigo sobre o que levar em consideração ao montar o planejamento financeiro familiar para a chegada do bebê.

Organizar as finanças é uma boa maneira de não ter surpresas

Quando você se organiza para saber exatamente o que poderá gastar e investir após a chegada de um filho, é possível prevenir possíveis surpresas e oferecer a ele uma qualidade de vida melhor ao longo de seu crescimento.

As decisões que você terá com seu cônjuge daí para a frente se tornarão mais fáceis, já que as despesas consideradas necessárias já estarão dentro da programação e qualquer tipo de gasto emergencial ou supérfluo pode ser facilmente absorvido pelas finanças organizadas.

Avaliar o perfil da sua família

Um bom primeiro passo para começar o planejamento financeiro familiar para a chegada do bebê é pensar, inicialmente, no perfil da sua família. Apesar da renda familiar ser um importante fator para se levar em consideração ao montar esse planejamento, é preciso também pensar no estilo de vida que vocês pretendem levar, as oportunidades que terão de crescimento na carreira e até mesmo a possibilidade de contarem com a ajuda de amigos ou familiares na criação desse bebê.

Avalie bem todas essas questões — e outras que considerar relevantes quando pensar em seu estilo de vida — para começar a traçar um planejamento adequado para sua família.

Dica: Como se preparar para o final da gravidez e amamentação?

Pensar nos possíveis gastos que vão surgir durante a gestação

Os primeiros valores que devem ser incluídos no planejamento financeiro familiar são aqueles relacionados com o período da gestação. Isso inclui, portanto, todos os gastos relacionados com a saúde da mãe e do bebê (consultas médicas, exames, medicamentos e suplementos alimentares), até os investimentos em itens que serão essenciais para cuidar do bebê ao nascer (roupas, móveis para o quarto, itens de higiene etc.).

Preparamos abaixo uma lista do que pode conter nessa parte do seu planejamento:

  • Quantidade e valor de consultas médicas;
  • Custos do parto;
  • Valor do convênio médico;
  • Custo com medicamentos;
  • Custo com suplementos alimentares;
  • Berço;
  • Móveis para o quarto do bebê;
  • Valor da reforma para o quarto do bebê;
  • Carrinho, cadeirinha e banheirinha;
  • Roupas para a mãe;
  • Roupas para o bebê;
  • Itens de cuidados com higiene e saúde do bebê.

Programar-se para o período pós-parto também é importante

Pensar no planejamento financeiro familiar é também levar em consideração os possíveis gastos que vão existir após o nascimento do bebê. Organizar essas finanças futuras é importante para não ser surpreendido com um aumento no orçamento mensal, durante a fase de crescimento do seu filho. É natural, portanto, que as despesas tenham um aumento significativo ao longo dos próximos anos.

Além de levar em consideração um possível aumento nas contas de alimentação, água e luz da família, você também precisará pensar em gastos com novas roupas, itens como fraldas, mamadeiras e brinquedos e até mesmo consultas com o pediatra e gastos com escola, creche, cursos e atividades extras.

Dica: 6 preocupações que toda mãe tem com a saúde de um recém-nascido

Investimentos com a saúde do bebê também devem ser planejados

É importante separar uma parte do planejamento financeiro familiar para organizar um orçamento voltado exclusivamente para a saúde do seu filho. Como a saúde é um item que não pode ser deixado de lado ou ter seu pagamento postergado, é interessante deixar essa parte do planejamento como uma de suas prioridades financeiras.

Crie uma reserva financeira que poderá ser alimentada mensalmente, para que, em um momento de urgência, você possa arcar com tratamentos médicos, medicamentos, vacinas e até mesmo cirurgias ou um possível tratamento mais prolongado.

Um planejamento completo também envolve o futuro

O planejamento financeiro familiar não para por aí. É interessante considerar também um possível investimento futuro para seu filho, quando ele chegar à adolescência ou até mesmo ao início da vida adulta.

Por isso, faça uma planilha simples, listando todos os possíveis gastos futuros, converse com amigos e parentes com filhos para levantar os custos de cada item listado acima. Coloque também em sua planilha possíveis estimativas de gastos futuros, com educação, lazer e alimentação, novamente com o intuito de estar preparado para oferecer uma boa formação e qualidade de vida.

Banner para baixar o e-book "A chegada do bebê"

Em todas as situações, defina as prioridades

Em todas as etapas do planejamento financeiro familiar, talvez o cuidado mais importante que você deve ter é com a definição de prioridades. Nem sempre você será capaz de investir em todos os itens que citou na sua planilha de custos, por isso, ter uma lista de possíveis prioridades em cada etapa da vida de seu filho é indispensável para manter o equilíbrio financeiro da família.

Algumas prioridades, como saúde, alimentação e um ambiente seguro para se viver, são essenciais, porém você pode pensar em questões mais simples, como optar por gastar com uma babá ou investir o dinheiro na compra de um novo berço, por exemplo. A escolha das prioridades é feita de acordo com o perfil e com os objetivos do casal na criação do filho.

Se você já decidiu ter um filho, mas não começou a esboçar o seu planejamento financeiro familiar a partir desse período, esperamos que esse artigo possa ter te ajudado a se organizar melhor para essa etapa da sua vida.

Para você continuar nutrindo essa nova fase da sua vida com informações importantes para você e seu filho, aproveite essa leitura para acessar o nosso artigo sobre as principais dúvidas das futuras mamães sobre a coleta de células-tronco!

Categorias: Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.