Gravidez

Entenda a importância do exame pré-natal e do planejamento para gravidez

A gravidez é um momento muito importante da vida da mulher e do casal e como qualquer outro grande evento demanda muita preparação e planejamento. Cuidados com a saúde antes mesmo da descoberta da gravidez podem ser fundamentais para aumentar a fertilidade do casal, evitar problemas durante a gravidez e aumentar a chance de o bebê nascer saudável.

É por isso que a realização de um pré-natal completo e de qualidade é tão importante para as futuras mamães e seus filhos.

Quer entender mais sobre o pré-natal e como você pode planejar a gravidez? Confira tudo aqui no nosso post!

Por que é tão importante planejar a gravidez?

A gravidez não planejada pode ocorrer em um momento ruim da vida, prejudicando os estudos, a carreira, as finanças, a relação a dois e até mesmo a saúde da mulher. Por todo o seu impacto social, psíquico e biológico, a gravidez não planejada pode trazer transtornos que atrapalham os cuidados com a saúde durante os nove meses, os preparos para a chegada do bebê e a recepção da criança após o nascimento.

Quando a gravidez é planejada, os pais estão preparados para assumir essa responsabilidade e a criança é esperada com ansiedade, todos a cercam de carinho, amor e atenção desde o inicinho do processo, dando a ela os melhores cuidados possíveis e caprichando no pré-natal.

O que é o pré-natal?

O termo pré-natal é usado para descrever uma série de exames e avaliações médicas realizadas antes do nascimento do bebê para proporcionar mais bem-estar à mãe e à criança durante esse período.

O objetivo é sempre que a mãe dê à luz a um bebê saudável sem ter a sua própria saúde prejudicada.

Quando o pré-natal deve ser iniciado?

Tipicamente, as mulheres vão à primeira consulta de pré-natal após descobrirem a gravidez entre o 1º e o 2º mês. Apesar disso ocorrer com frequência, o ideal é que o pré-natal seja iniciado antes mesmo da concepção, quando a mulher está começando a planejar a gravidez.

O que pode ser feito antes da mulher engravidar?

Antes de tudo, a mulher pode realizar um check-up clínico para diagnosticar doenças como diabetes, hipertensão, hipotireoidismo, epilepsia, anemia e depressão, que poderão influenciar ou ser influenciadas pela gravidez. Além rastrear doenças infeccionas como a toxoplasmose e a citomegalovirose por exemplo, que podem causar alterações da formação do feto.

Exames de prevenção como o papanicolau também devem ser realizados preferencialmente antes da gravidez, assim como o diagnóstico de doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis e o HIV.

Outro aspecto importante nessas primeiras consultas é a verificação do cartão de vacinas. Algumas vacinas não podem ser tomadas durante a gravidez, como BCG, varicela, caxumba e sarampo, e outras, como a vacina da rubéola, devem ser aplicadas antes da gravidez justamente para proteger o bebê dessa doença que causa malformações congênitas e abortos.

Além disso, a mulher irá receber orientações gerais de saúde que podem aumentar sua fertilidade e reduzir o risco de doenças durante a gravidez. É recomendável um controle do peso, uma alimentação rica em vegetais, cereais e frutas, a prática de exercícios físicos regulares, o abandono do tabagismo e do uso de drogas e a redução do consumo de álcool, por exemplo.

E o parceiro? Ele também deve ser avaliado?

Sim. No caso do parceiro, o foco deve ser em queixas relacionadas à saúde dos órgãos genitais e à performance sexual, além das orientações gerais de saúde, já que esses fatores estão diretamente relacionados à fertilidade e à chance da mulher engravidar.

Além disso, a consulta mais completa da futura mamãe pode servir de inspiração para que o parceiro procure investigar outras doenças como diabetes e hipertensão e faça um pequeno check-up, se preparando para investir toda a energia na gestação e no bebê pelos próximos anos.

É necessário tomar algum remédio ou suplemento antes de engravidar?

O ácido fólico (vitamina B9) é recomendado para mulheres em idade fértil que estão pensando em engravidar por reduzir em até 70% o risco de algumas malformações no sistema nervoso do bebê — as chamadas doenças do tubo neural, o que inclui a espinha bífida, a meningocele, a mielomeningocele e a anencefalia.

O ácido fólico deve ser iniciado no mínimo 30 dias antes da mulher engravidar e ser mantido até por volta da 14ª semana de gestação, com a dose dependendo do risco dessas doenças ocorrerem de acordo com a história familiar e a saúde da mãe.

Além do ácido fólico, é importante manter as medicações que a mulher já usa normalmente para tratar qualquer outra doença, lembrando-se de informar ao médico o desejo de engravidar para que os remédios prescritos sejam seguros para o bebê.

É necessário parar de tomar algum remédio antes de engravidar?

Talvez, já que alguns medicamentos fazem mal para o bebê, provocando malformações ou abortos, e são contraindicados durante a gestação. Mas isso não significa que eles possam simplesmente não ser tomados, já que isso poderia descontrolar alguma doença e ser ainda pior para a saúde da mulher e, consequentemente, do bebê no futuro.

O ideal é que a medicação seja revista e trocada caso haja opções mais seguras, ajustando as doses até que um bom controle seja atingido.

E o pré-natal depois que a mulher engravida?

Aolongo da gestação, o pré-natal continua acompanhando qualquer doença que a mulher apresente, conferindo o desenvolvimento do bebê e verificando se tudo está correndo bem. As consultas costumam ser mensais no início da gravidez, a cada 15 dias nos últimos meses e toda semana quando o bebê já está quase nascendo, variando de acordo com o que o obstetra considerar necessário.

A cada consulta a mulher é pesada, sua pressão arterial é aferida, é feito um exame físico e ela pode tirar qualquer dúvida sobre a gestação. Ao final, são pedidos alguns exames e a mulher recebe orientações do que pode ser feito para melhorar sintomas como enjoos e inchaço dos pés.

Quais exames são feitos durante essa fase do pré-natal?

Os exames costumam ser realizados pelo menos uma vez a cada trimestre, com o exame de urina e alguns outros sendo repetidos a cada consulta de pré-natal. Os principais exames realizados ao longo dos nove meses são:

  • Ultrassonografias: identificam o bebê no útero e acompanham seu crescimento, além de verificarem a anatomia dos principais órgãos e diagnosticarem malformações;
  • Hemograma completo: diagnostica anemia e doenças do sangue;
  • Glicemia de jejum e teste de tolerância oral à glicose: avalia a existência de diabetes comum ou diabetes gestacional;
  • Tipagem sanguínea com Rh: ajuda a prevenir eritroblastose fetal, quando há incompatibilidade entre o sangue da mãe e do bebê;
  • Sorologias para infecções (hepatite B, sífilis, HIV, toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola): permite o tratamento de infecções que poderiam ser transmitidas para o bebê e provocar sequelas;
  • Exame de fezes: identifica parasitoses intestinais;
  • Exame de urina e urocultura: diagnostica infecções urinárias e alterações no funcionamento dos rins.

Existem ainda outros exames a serem solicitados. Estes, dependem da história clínica, familiar e obstétrica de cada paciente, além dos fatores de risco e das alterações encontradas durante o pré-natal.

Gostou do nosso post? Que tal seguir nossas páginas nas redes sociais para não perder as novidades do blog?

Categorias: Gravidez , Pré-natal

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.