Gravidez

6 cuidados essenciais que você deve ter nos últimos meses de gravidez

Os últimos meses da gestação são tão importantes para a segurança da saúde do bebê e da mãe como os três primeiros meses do período gestacional, por isso, é preciso prestar atenção e tomar alguns cuidados relacionados à rotina da futura mãe nessa reta final da gravidez. No texto de hoje listamos 6 cuidados essenciais que toda gestante deve ter nos últimos meses de gravidez. Confira logo abaixo e tire suas dúvidas.

Gestação e rotina de trabalho

Uma das dúvidas que rodeiam as preocupações das gestantes é em relação à sua rotina de trabalho nos últimos meses deste período. Não existe regra para estabelecer quando a gestante deve parar de trabalhar, já que toda mulher tem uma disposição diferente para essa atividade durante essa fase, e apresentam também estilos de trabalhos diferentes. A escolha do início da licença-maternidade deve ser feita em conjunto com seu médico, avaliando os riscos e benefícios de se continuar trabalhando até o final da gravidez.

Atenção com alimentos permitidos e proibidos

Mulheres que tiveram uma gestação saudável e sem problemas relacionados com o sobrepeso, a diabetes ou a elevação da pressão arterial, geralmente não apresentam restrições alimentares nesses períodos finais da gravidez. Algumas mães podem apresentar desconfortos gástricos ao ingerir alimentos com digestão mais lenta como, por exemplo, as proteínas e os alimentos mais gordurosos, podendo sofrer com azias desnecessárias. Por esse motivo, pode ser mais interessante controlar o consumo desses alimentos quando os desconfortos se tornarem frequentes.

Dica: Os diferenciais da CordVida: como eles podem impactar a saúde das famílias?

Outra dica, é evitar deitar-se imediatamente após uma grande refeição como o jantar por exemplo. Isto pode piorar quadros de azia e possível refluxo. Por isso, consumir alimentos mais leves à noite, é uma boa opção para reduzir estes sintomas.

Gestação e o sexo

Existem várias teorias que relacionam a prática do sexo durante a gestação e o estímulo às contrações, porém, é pouco provável que somente esse fator seja capaz de aumentar a contração uterina a ponto de favorecer o trabalho de parto prematuro. Como a libido da mulher reduz consideravelmente durante esse período final, é bastante provável que a frequência e a intensidade da prática do sexo não seja suficiente para prejudicar o nascimento do bebê.

A melhor maneira de optar por uma forma segura da prática do sexo é conversar com seu médico e seu parceiro sobre esse assunto, solucionando todas as suas dúvidas e inseguranças.

Fique atenta às contrações de Braxton-Hicks

Muitas mulheres sofrem com um falso sinal de trabalho de parto, conhecido também como contrações de Braxton-Hicks. Essas contrações são naturais e têm como finalidade preparar o útero para o trabalho de parto que pode se iniciar em breve. A diferença entre elas e as contrações normais é o seu ritmo, duração e limiar de dor. As Braxton-Hicks surgem esporadicamente e de maneira aleatória, possuem duração curta (menos de 1 minuto) e não causam dor, apenas desconforto e endurecimento da barriga. Já as contrações do parto são bem ritmadas e frequentes, duram pelo menos 1 minuto e possuem dor associada, tipo cólica menstrual porém de maior intensidade.

Dica: Por que a CordVida é referência em armazenamento de células-tronco?

Atividade física e gestação

Nos últimos meses de gestação, a prática de atividades físicas não é proibida, mas deve ser feita com maior cautela, pois os movimentos dos exercícios podem estimular o aumento da contração uterina. Outra questão é ter cuidado com exercícios de alto impacto, já que as articulações já estão bastante sobrecarregadas no final da gestação e o eixo da coluna desviado para se adaptar à gravidez, este fato pode aumentar o risco de lesões. Mães que não realizaram atividades físicas durante a gestação devem evitar essa prática, enquanto as gestantes consideradas ativas devem diminuir um pouco sua intensidade.

Fique atenta aos sinais clínicos de urgência médica

Se você está apresentando sangramento vaginal intenso, perda de líquido vaginal ou contrações rítmicas frequentes durante os últimos meses da gestação, você deve procurar imediatamente um médico. Por mais que esses sintomas não signifiquem nada, é importante estar alerta a alterações dessa natureza durante o final da gestação, já que elas podem ser sinais de trabalho de parto prematuro ou de perigo para a saúde do bebê.

Entrar no terceiro trimestre de gravidez é mais um sinal de que seu bebê está chegando. Teste seu conhecimento e descubra se você está preparada para esse momento tão importante!

Quizz- Preparada para ser mamãe?

Quando a gestante se mantém atenta a esses cuidados essenciais na reta final da gravidez, ela vai estar cuidando diretamente da sua saúde e da do seu filho durante esses últimos meses. Um cuidado valioso! Quais são os cuidados que você teve, ou está tendo, nos últimos meses da sua gravidez? Compartilhe suas experiências!

Categorias: Gravidez , Terceiro trimestre de gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.