Gravidez

Cansaço, sono, cólicas e enjoos: veja como se resguardar na 6ª semana de gravidez

Na 6ª semana de gravidez, o embrião já tem olhinhos e uma aparência um pouco mais familiar com a de um ser humano, como o formato da cabeça, membros, mãos e pés, e vários outros órgãos. O coraçãozinho também já pode ser observado no ultrassom e também já é possível ouvir os batimentos cardíacos por meio de um ultrassom com Doppler, que chegam até 160 batimentos por minuto.

Nessa fase, enquanto o desenvolvimento do bebê vai a todo vapor, para a mamãe, a situação já começa a ficar um pouco mais complicada. Não por acaso, é na 6ª semana de gravidez que os sintomas da gravidez começam a aparecer de fato. Entre os principais sintomas, podemos destacar as cólicas, o enjoo, o cansaço e o sono, que são os que mais costumam incomodar as futuras mamães nesse momento.

Gostaria de saber como identificá-los e o que fazer para aliviá-los durante a 6ª semana de gravidez? Então, veja o vídeo abaixo com o Dr. Especialista Luiz Roberto Zitron. Venha aprender conosco!

Mudanças hormonais no corpo

Durante a gestação, o seu corpo se prepara para receber e gerar o seu bebê, e oferecer a ele tudo o que for necessário para que o seu amadurecimento seja saudável. Mesmo que ainda não dê para ver a barriguinha, as alterações hormonais já estão ocorrendo e são as causadoras dos desconfortos que você vem sentindo.

O principal hormônio atuante nessa fase é a progesterona. Ela é o carro-chefe durante o primeiro trimestre de gravidez. A progesterona é produzida em grande quantidade pelos ovários, porque, nesse momento, a placenta ainda está em formação, e é a responsável por boa parte dos sintomas incômodos já citados.

Cada organismo é único e nem todas as mulheres apresentam exatamente os mesmos sintomas ou mesmo com a mesma intensidade. Algumas podem senti-los de forma bem leve e há mulheres que não sentem nada. Por isso, não se alarme e procure a orientação do seu médico sempre que houver alguma dúvida.

Dica: Como reduzir os enjoos durante a gravidez?

Dicas para manter o seu bem-estar

Mesmo que cada gestação tenha suas peculiaridades, e que seja essencial enfatizar o acompanhamento médico, existem algumas medidas que você pode tomar para auxiliá-la a lidar com os sintomas e passar por essa fase com mais conforto e tranquilidade. Vamos às dicas?

Cansaço e sono

Um cansaço físico anormal e um sono excessivo começa a ocorrer. Devido ao aumento da progesterona no corpo, que atua no sistema nervoso, cardiovascular e respiratório da mulher, é natural esses sintomas sejam os primeiros a aparecer.

Como o seu corpo está produzindo a placenta que será responsável pela manutenção da gestação posteriormente, há um aumento no metabolismo do seu organismo, que precisa de mais energia para lidar com as mudanças que estão acontecendo, e essa súbita necessidade de energia é o que acaba deixando você esgotada mais rápido.

É nesse momento em que muitas pessoas podem dizer que você precisa “comer por dois”, mas fique atenta com a sua alimentação e procure a orientação de seu médico para avaliar a necessidade de suplementos.

Por fim, independentemente da causa específica do sono, aproveite esse momento para descansar bastante e não forçar demais o seu corpo, que está passando por um momento delicado.

Confira no banner abaixo alguns hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura para o seu bebê.

Cólicas

Quando uma mulher está grávida, o corpo começa também a apresentar os sinais na região abdominal, que fica mais inchada e apresenta dores, que se parecem com cólicas. Isso ocorre porque há um aumento do fluxo sanguíneo na pelve, a partir da ação de hormônios na preservação do embrião e para dar continuidade à gravidez.

Tente observar quando a dor ocorre, se é depois de uma caminhada ou se varia conforme a posição em que você dorme. Alguns médicos aconselham a suspender atividades físicas nas primeiras semanas da gestação, especialmente atividades de alto impacto.

Existem alguns tipos de infecção urinária cuja dor pode ser parecida com a cólica. Avalie a cor e o cheiro da sua urina e, caso haja alguma dúvida, converse com seu médico.

Além disso, o excesso de gases também pode provocar dores incômodas que podem ser confundidas com cólicas. Procure alimentar-se bem, para garantir o funcionamento do intestino, e beba muita água. Essas atitudes podem melhorar esse desconforto.

No entanto, quando essas dores das cólicas são intensas ou quando são acompanhadas de sangramentos, é preciso ficar atenta e entrar em contato com um profissional. Não tome remédios por conta própria para não colocar em risco a saúde do bebê!

Dica: Esclareça suas dúvidas sobre dor de cabeça na gravidez

Náuseas e enjoos

As náuseas e enjoos ocorrem normalmente durante as manhãs, que é quando o seu estômago se encontra mais sensível. São manifestações mais comuns no primeiro trimestre , terminando no final dele, embora existam casos de mulheres que sofreram com esses sintomas até o final da gravidez.

Como os enjoos são únicos para cada mulher, é preciso identificar o que os desencadeia. Existem mulheres que se incomodam com cheiro forte de perfume, enquanto outras se sentem incomodadas com os aromas de alimentos fortes, como o alho. Então, se você conseguir identificar a origem de seus enjoos, procure evitar esse fator.

A intensidade dos enjoos também pode variar bastante. Mas, se você estiver vomitando muito, é importante verificar o quadro com o médico, pois esse sintoma exacerbado pode levar à desidratação, à perda de peso e até prejudicar a saúde do bebê.

Algumas dicas para reduzir os enjoos são as seguintes:

  • se mantenha bem hidratada;
  • evite alimentos apimentados e muito gordurosos;
  • procure reconhecer o que desencadeia o enjoo;
  • evite se deitar logo após a refeição;
  • procure um local arejado e respire fundo e devagar, caso se sinta mal;
  • alimente-se preferencialmente de 3 em 3 horas.

Acompanhe cada estágio do período da gestação, além de solucionar diversas dúvidas que envolvem esse momento único.

Os sintomas que abordamos aqui costumam ser os mais frequentes e incômodos relatados pela maior parte das gestantes e, na maioria das vezes, diminuem com o passar da gestação. Outros sintomas também podem ser ocorrer e em intensidades maiores ou menores do que os que abordamos aqui.

Porém, se você sentir que alguma coisa está errada, e que esses sintomas estão atrapalhando de alguma forma a sua qualidade de vida, converse com um especialista.

O que achou dessas dicas sobre a 6ª semana de gravidez e como aliviar os seus sintomas? Assine a newsletter da Cordvida e acompanhe mais dicas para sua gestação!

Categorias: Gravidez , Primeiro trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.