Gravidez

[Guia gratuito] Movimentos do bebê: guia durante a gestação

Desde a formação do embrião até a hora do parto, apenas 8% de todos os movimentos realizados pelo feto são percebidos pelos pais. Em parte, isso se deve ao fato de que muitos desses movimentos acontecem em um momento em que o feto está solto pelo útero, com muito espaço para dar início ao seu desenvolvimento

Apesar disso, os movimentos que são sentidos pelos pais, especialmente pela mãe, são suficientes para gerar emoção e, principalmente, uma forte conexão entre gestante e bebê. Muito antes do nascimento, a criança se conecta com a mãe e muito disso se deve aos movimentos realizados e percebidos.

Como se relaciona diretamente ao desenvolvimento do bebê, muitas grávidas têm dúvidas e mesmo receios sobre esses movimentos, sobre quando acontecem, sua intensidade e frequência. Para te ajudar e te deixar mais tranquila, confira este nosso guia sobre os movimentos do bebê durante a gestação!

Desenvolvimento fetal 

No primeiro mês do desenvolvimento, o movimento fetal praticamente não é percebido. Devido ao seu tamanho menor, o feto fica “solto” no líquido amniótico e, com isso, há pouca percepção de movimento. Além disso, componentes musculares e estruturais do corpo ainda estão se desenvolvendo para que movimento comece a acontecer. 

A partir do segundo mês de gestação a movimentação começa a surgir. Contudo, isso não acontece até a sétima ou oitava semana de gravidez. Nesse período, ainda não é possível perceber com clareza os primeiros movimentos. Com muito espaço para se movimentar, o feto tem atitudes bem leves, como se virar de um lado para o outro.

No terceiro mês, começam os movimentos dos braços e das pernas, mas ainda não são tão perceptíveis. Ao final do quarto mês, o bebê está maior e o seu útero continua se expandindo, mas até a 16ª semana fica difícil sentir os movimentos se você é mamãe de primeira viagem

Dica: Checklist da mamãe! 7 coisas que precisam estar prontas antes da chegada do bebê

A partir da décima sétima semana os movimentos começam a ficar mais intensos. Com cinco meses de gravidez, o bebê chuta e dá solavancos que são mais perceptíveis. É por isso que geralmente as mamães sentem os primeiros movimentos na vigésima semana

Com seis meses, o bebê fica mais agitado durante o dia e costuma dar socos e pontapés. No começo dos sete meses, é comum sentir movimentos em forma de pulo, que correspondem ao soluço do feto. Também é bastante comum encarar movimentos na região das costelas e também na bexiga, levando à necessidade de urinar cada vez mais frequentemente.

A partir dos oito meses, o desenvolvimento do bebê chega na parte final, com o amadurecimento dos sistemas e preparação para o parto. Com a diminuição do espaço disponível, é comum que você sinta menos movimentos.

Percepção dos movimentos

A percepção dos movimentos, como você pôde notar, não acontece exatamente no mesmo período em que o bebê começa a se mexer. Movimentos mais leves não são sentidos, especialmente entre mães de primeira viagem

Quanto mais espaço houver no útero, inclusive, mais difícil é sentir o bebê se mexendo. É por isso que até as primeiras 20 semanas um movimento mais intenso pode passar despercebido. Quem já tiver experimentado outra gravidez é capaz de notar mais cedo, como na décima sexta ou décima oitava semana

A partir desse momento, a movimentação se torna cada vez mais frequente, mais comum e também mais definida. 

O bebê começa a reagir aos estímulos da mãe a partir dos 5 meses de gestação e, a partir daí, o que era só chute e soco passa a se tornar uma espécie de comunicação

Dependendo da posição, da quantidade de estímulos e do horário, o bebê pode se mexer mais ou menos. Por exemplo, é comum que quando a mãe está deitada de barriga para cima e coloca a mão na barriga, o bebê responda com algum tipo de movimento. 

Outra situação em que os movimentos se tornam mais intensos é quando a mãe ingere algum tipo de doce, especialmente chocolate.

A quantidade de açúcar contida no alimento tende a funcionar como estímulo para o bebê, que passa a se mover. 

Apesar disso, cada um possui suas próprias características. Há bebês que mexem muito ao longo do dia e pouco à noite e vice-versa, assim como bebês que só se mexem com frequência se forem estimulados de determinada forma

Embora esses hábitos de movimentação, tanto em relação às semanas quanto em relação aos truques, sejam mais comuns, a verdade é que não existe uma regra quando se fala em desenvolvimento fetal

Com isso, um bebê pode se mexer menos e com menos intensidade sem que isso signifique qualquer problema em seu desenvolvimento. 

Mesmo assim, caso fique com dúvidas ou se sinta insegura sobre o assunto, vale a pena procurar o seu médico para que ele possa te tranquilizar.

Dica: Por que a escolha do nome do bebê é tão importante?

Gêmeos se movimentam mais? 

Quem está grávida de dois bebês de uma só vez normalmente consegue sentir os movimentos antes das mães de gravidez única. No geral, o primeiro movimento mais perceptível de gêmeos acontece por volta das 16 semanas — e não 20, como geralmente acontece em uma gravidez univitelina. 

Isso se deve ao fato de que o mesmo espaço está sendo compartilhado por dois fetos, aumentando a percepção ao toque e ao movimento, mesmo que ele seja mais sutil. A sua barriga passa a sentir mais facilmente a movimentação e, com isso, fica mais fácil identificar. 

Além disso, gêmeos tendem a ser mais agitados. Um pode acordar o outro e eles também podem decidir interagir. Como resultado, a movimentação na barriga fica mais intensa e mais perceptível, inclusive de maneira mais precoce. 

Entretanto, essa não é uma regra. Mesmo sendo gêmeos, é possível só sentir os primeiros movimentos mais perto da 20ª semana — e isso não significa que exista algo de errado com o desenvolvimento!

Os movimentos do bebê durante a gestação começam bem leves e imperceptíveis, mas depois de algumas semanas se transformam em chutes, socos, cambalhotas e até mesmo respostas ao toque na barriga. Para saber tudo sobre o processo natural de desenvolvimento fetal, em que a cada semana uma nova capacidade é adicionada ao bebê dentro da barriga, baixe o nosso e-book. 

Clique no banner abaixo e leia mais sobre este momento de grande conexão entre a família:

Categorias: Gravidez , Guias Gratuitos , Saúde na gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.