Gravidez

Cuidados no verão: o que uma grávida deve fazer durante essa temporada?

A gravidez no verão exige cuidados extras para manter o bem-estar da mulher. Afinal, a gestação é um período em que as mulheres sentem naturalmente mais calor devido à aceleração do metabolismo — que trabalha mais para levar nutrientes ao bebê que está se formando.

O cansaço típico da gravidez também aumenta com as altas temperaturas, enquanto a pressão arterial — que já costuma ser mais baixa nas grávidas — tende a cair ainda mais, provocando tonturas e até mesmo desmaios.

A boa notícia, contudo, é que é possível aproveitar os dias mais longos e calorosos com muita disposição. Neste post nós reunimos algumas dicas de cuidados no verão que toda gestante deve ter para aproveitar a estação mais quente do ano com conforto e saúde. Acompanhe!

Beba muita água

Esse é o principal cuidado que a gestante deve ter nos dias mais quentes. Com o calor, há um aumento da transpiração e, consequentemente, maior perda de líquidos. Além de repor o que foi perdido no suor, a grávida deve ingerir mais água para manter os níveis adequados do líquido amniótico, essencial para a vida intrauterina do bebê.

Veja abaixo outros benefícios que o maior consumo de água traz para a gestante.

Água para evitar tonteiras e desmaios

Com o aumento do volume de líquidos no organismo, a pressão arterial também sobe. O maior consumo de água, portanto, evita as consequências do mal-estar causado pela queda de pressão — como tonteiras, desmaios e cansaço excessivo.

Água para tratar a dor de cabeça e a enxaqueca

O calor e a exposição ao sol costumam dar aquela dorzinha de cabeça, geralmente causada por desidratação. Por isso, manter-se hidratada é o melhor remédio para evitar esse desconforto. Sair do sol e descansar à sombra também ajuda.

Dica: Você sabe quando uma gravidez é considerada de risco?

Durante a gestação também é comum que as mulheres tenham algum episódio de enxaqueca devido às mudanças hormonais. Com o aumento da temperatura e a dilatação dos vasos sanguíneos, essas dores podem ser mais frequentes.

Como esse é um período em que os medicamentos estão contraindicados, a recomendação, mais uma vez, é aumentar o consumo de água para elevar o volume de líquido no organismo e reduzir a pressão sanguínea, aliviando as dores.

Água para reduzir o inchaço das pernas e dos pés

Os inchaços durante a gestação são causados pela retenção de líquidos. Parece irônico, mas a melhor forma de tratar o problema é beber mais água. Ao aumentar o volume de líquido no corpo, você melhora a circulação sanguínea, diluindo mais o sangue e favorecendo os processos diuréticos.

Como se manter hidratada

Além da água pura, é possível manter a hidratação com sucos naturais, água de coco, sopas frias e frutas. Evite refrigerantes, sucos industrializados e chás escuros. Os dois primeiros são ricos em sódio e açúcar e o último contém cafeína — substâncias que devem ser consumidas com moderação na gravidez.

Alguns hábitos e atitudes podem proporcionar uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo o guia de completo!


Mantenha a alimentação leve e balanceada

Durante a gravidez, é preciso ter um cuidado redobrado na hora de montar o cardápio do dia a dia. Afinal, tudo o que você comer refletirá diretamente na saúde do bebê. Na estação mais quente do ano, por sua vez, a atenção deve ser ainda maior.

Além de beber muita água, é necessário evitar pratos pesados e gordurosos. Os legumes, as verduras e as frutas são sempre as melhores opções. Desse modo, dê preferência às saladas, às carnes magras (como o peixe grelhado e o frango, por exemplo) e às frutas com grande concentração de líquido, como a melancia.

Vale destacar, ainda, que as grávidas devem montar um cardápio levando em consideração os nutrientes essenciais para a formação do bebê. O ideal é seguir sempre a orientação do seu médico. Só ele poderá adequar a dieta à sua realidade e prescrever, quando for o caso, suplementos alimentares.

No entanto, existem certas substâncias que não podem faltar na dieta de qualquer futura mamãe. A seguir, veja alguns exemplos:

Cálcio

  • quantidade diária: cerca de 1000 mg;
  • benefícios para o bebê: além de auxiliar na formação dos ossos, dentes, nervos e coração, o cálcio ajuda a controlar a frequência cardíaca;
  • o que comer: leite, queijo, iogurte, sardinha, caruru, espinafre.

Ácido fólico

  • quantidade diária: no mínimo 600 mcg;
  • benefícios para o bebê: o ácido fólico é fundamental para o desenvolvimento da função cerebral do feto. Além disso, ele auxilia na síntese do DNA e ajuda a fechar o tubo no sistema nervoso central;
  • o que comer: fígado (galinha, boi e peru), feijão-preto, quiabo, espinafre, lentilhas, soja verde, abacate, laranja, aipo, beterraba, aspargos.

Magnésio

  • quantidade diária: cerca de 350 mcg;
  • benefícios para o bebê: ajuda na construção de ossos e dentes fortes, regula os níveis de insulina e açúcar no sangue e constrói tecidos;
  • o que comer: espinafre, sementes de abóbora, grãos de soja, arroz integral, abacate, banana, figo, chocolate amargo, couve, acelga.

Ferro

  • quantidade diária: cerca de 27 mcg;
  • benefícios para o bebê: além de ser um dos responsáveis por desenvolver os glóbulos vermelhos, o ferro repassa oxigênio às células;
  • o que comer: vegetais verdes-escuros (como brócolis, espinafre e couve), tofu, algas, aveia, quinoa, coentro, castanha de caju, melaço de cana.

Outros nutrientes

  • cromo: frango, pão integral, ovos, linhaça, chia;
  • cobre: lentilha, feijão, manga, frutos do mar, nozes;
  • iodo: peixes, algas, leites e derivados;
  • manganês: arroz integral, feijão-preto, gérmen de trigo, aveia;
  • vitamina B5: ovo, abacate, leite, sementes de girassol;
  • fósforo: sardinha, feijão-preto, leite, sementes e frutas secas;
  • potássio: batata, uva-passa, damascos;
  • zinco: carne, atum, semente de girassol;
  • vitaminas (A, C, complexo B): cenoura, melão, batata, limão, laranja, salmão, nozes, cereais integrais, entre outros.

Dica: A importância da alimentação saudável durante a gravidez

Hidrate a pele

Mesmo com o aumento da oleosidade durante o verão, é muito importante que a gestante hidrate a pele. Com o crescimento da barriga, a pele se estica, o que favorece o aparecimento de estrias nessa região, nas pernas e no bumbum.

Para evitar a sensação de pele pegajosa devido ao suor, use hidratantes livres de óleo, que tenham o toque seco.

Use protetor solar e proteja-se do sol

Fique atenta ao uso e à reaplicação do protetor solar ao longo do dia. A recomendação é passar o produto a cada duas horas. O aumento hormonal na gravidez potencializa a produção de melanina, o pigmento que dá cor à pele e aos cabelos, aumentando a chance do aparecimento de manchas, principalmente no rosto.

Algumas dessas manchas, conhecidas como melasma, são de difícil remoção após a gestação, mesmo com os tratamentos dermatológicos. Por isso, o melhor é prevenir.

Além do protetor solar, nos dias mais quentes é recomendável usar chapéus e viseiras para ajudar na proteção da pele contra os raios ultravioletas. Fique atenta também aos horários de exposição: especialmente no verão, evite tomar sol entre as 10 horas e as 16 horas. Se estiver na praia, fique embaixo dos sombreiros ou nos quiosques.

Dica: Cuidados essenciais que você deve ter nos últimos dias de gravidez

Tire alguns minutos para repousar ao longo do dia

Dependendo do estágio da gestação, é comum que as grávidas sintam uma sensação de exaustão. Devido às altas temperaturas, o verão pode agravar esse quadro.

Por esse motivo, é muito importante que as futuras mamães tirem alguns momentos do dia para repousar. Mesmo durante uma viagem, é essencial parar, deitar, colocar os pés para cima e fazer alguma atividade relaxante (como escutar música, por exemplo).

Faça atividades físicas

Não é só de descanso que vivem as gestantes. Desde que haja um aval médico, as atividades físicas são extremamente benéficas para a saúde da mamãe e do bebê.

Aliás, os inchaços são reclamações comuns na gestação, especialmente nas pernas e pés — como os vasos sanguíneos se dilatam no calor, as queixas tendem a aumentar. Nesse sentido, a prática de uma atividade física auxilia na drenagem dos líquidos que se acumulam no organismo, favorecendo o sistema circulatório e melhorando os inchaços.

Desde que tenha a liberação do obstetra, portanto, a gestante pode fazer a atividade que mais lhe agradar. As mais recomendadas na gravidez são: caminhada, pilatesioga e hidroginástica.

Elas causam baixo impacto nas articulações e grandes benefícios para o fortalecimento dos músculos da coluna, melhora da respiração e controle da pressão arterial e do ganho de peso.

 Confira no banner abaixo o guia com os preparativos para a chegada do bebê!

Saiba escolher as roupas certas

No verão, não basta colocar qualquer roupa e pronto. A escolha das vestimentas deve ser feita com cuidado, levando em consideração a ocasião e a temperatura do local.

Se você vai à praia e depois pretende almoçar em um restaurante, por exemplo, o ideal é colocar uma saída fresquinha e levar uma peça de roupa mais quente junto com você. Afinal, o local onde você vai comer pode ter ar-condicionado. Pense sempre nisso!

Em todo o caso, as roupas folgadas são as mais indicadas para as gestantes que estão enfrentando o calor do verão. Além disso, certos tecidos são mais leves e, como consequência, proporcionam mais conforto às futuras mamães. Veja alguns exemplos:

  • algodão;
  • seda;
  • linho;
  • tencel;
  • viscose;
  • cambraia;
  • tricoline;
  • laise;
  • renda;
  • crepe;
  • musseline de seda.

Leve mais de um biquíni para a praia ou piscina

A baixa imunidade e o pH mais ácido da vagina na gravidez deixam as mulheres mais propensas a desenvolver infecções urinárias e ginecológicas provocadas por fungos e bactérias.

Por isso, grávidas não devem ficar mais de duas horas com a calcinha do biquíni molhada. A recomendação é ter na bolsa mais de uma peça para que a calcinha usada no banho de mar ou piscina possa ser trocada.

Após o banho de piscina, também é importante tomar uma ducha de água natural. O cloro e as demais substâncias químicas utilizadas para tratar a água podem alterar o pH vaginal, além de causar alergias.

Dica: 13 tratamentos estéticos contraindicados para grávidas

Mantenha-se sempre fresquinha

No verão, as artérias e veias do nosso corpo se dilatam. Com o objetivo de regular a temperatura corporal, o organismo transfere uma maior quantidade de sangue para essa região. Além de diminuir a pressão, esse processo aumenta o suor e a fadiga.

Para garantir o seu bem-estar, invista em estratégias para se manter sempre fresquinha. Uma boa dica é carregar um spray com água gelada na bolsa. Os ventiladores à base de pilhas e os tradicionais leques também são boas opções para amenizar o calorão. Assim, sempre que se sentir mal, você tem ao que recorrer!

Não tome banhos quentes

Sabemos que, mesmo no verão, há quem não abra mão de um banho sempre quentinho. Entretanto, a água em temperatura elevada oferece riscos à saúde da mulher, que pode até desmaiar dentro do box.

Isso ocorre porque a ducha quente aumenta o processo de dilatação dos vasos sanguíneos, diminuindo ainda mais a pressão arterial — o que já é comum nessa época do ano. Portanto, prefira banhos frios ou mornos.

Invista em uma boa noite de sono

Dormir bem nos dias quentes pode parecer um grande desafio. No entanto, existem algumas estratégias para abrandar o calor e fazê-la descansar melhor.

Em primeiro lugar, é importante posicionar os ventiladores e circuladores de ar voltados para a parede. Isso evita que poeiras e outros agentes sejam “despejados” em você durante a noite. Além disso, é necessário investir em roupas leves (como as camisolas de seda e algodão, por exemplo) e manter um copo de água fresca perto da cama.

Também é interessante deixar uma toalha molhada em cima do criado-mudo. Assim, se você acordar suando, por exemplo, basta passá-la na nuca e na testa pra aliviar o calor.

Dica: Entenda os impactos do verão nas gestantes

Entre no mar somente quando estiver acompanhada

O banho de mar costuma ser liberado pelos médicos até o nono mês de gravidez, período em que há a dilatação do colo uterino. No entanto, é fundamental ter cautela na hora do mergulho, já que as ondas intensas podem fazer com que a futura mamãe caia.

É normal que as gestantes sintam um certo desequilíbrio durante a gravidez. Isso ocorre devido ao peso do bebê, ao aumento do útero e a outros fatores comuns dessa época da vida. Nesse sentido, tenha cuidado redobrado na praia. Entre no mar somente quando estiver acompanhada e quando as ondas ficarem brandas.

Tenha cuidado com a alimentação fora de casa

Se você for aproveitar alguns dias do verão na praia, redobre o cuidado com a higiene dos alimentos. O conselho vale para toda refeição feita fora de casa.

Mesmo que dê vontade, não coma preparações vendidas por ambulantes e em barracas. Você não sabe como esses alimentos foram preparados e a exposição prolongada ao calor do sol favorece a proliferação de bactérias que podem causar infecções intestinais.

A gravidez também não é o melhor momento para experimentar comidas diferentes e frutos do mar — como camarão e ostras. Eles têm grande potencial de provocar alergias e, com a baixa imunidade, você está ainda mais propensa a ter uma reação desagradável.

Fique atenta às mudanças bruscas de temperatura

Um ambiente com ar-condicionado é um oásis para as gestantes nos dias mais quentes. No entanto, é preciso ter cuidado com mudanças bruscas e constantes de temperatura. Sair de um lugar muito frio e receber rajadas quentes de calor pode causar choque térmico e resfriados.

O ideal é que o ar-condicionado fique em uma temperatura agradável, entre 23 e 24 graus. Além de evitar choques térmicos, isso protege as vias aéreas — que podem ficar ressecadas e mais propensas a alergias, rinites e outras doenças respiratórias.

Esperamos que este conteúdo tenha sido útil! Continue acompanhando nosso blog para mais conteúdos sobre maternidade, saúde da gestante e do bebê.

Categorias: Gravidez , Saúde na gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.