Gravidez

5 dicas naturais para tratar e prevenir a prisão de ventre na gravidez

Prisão de ventre na gravidez é uma reclamação constante nos consultórios médicos. Com a alteração de hormônios e do metabolismo, esse problema pode realmente acontecer. Contudo, seguindo algumas recomendações e tentando manter um estilo de vida saudável, isso tende a ser vencido.

Continue a leitura deste post e aprenda 5 dicas para tratar e prevenir a prisão de ventre na gravidez!

Por que mulheres sofrem de prisão de ventre na gravidez?

Você sabia que o intestino é tido como o segundo cérebro? Isso porque grande parte da serotonina — hormônio responsável pelo nosso bem estar — é produzida nele. Ele é também tem papel fundamental em nosso sistema imunológico.

Por isso, o desconforto da prisão de ventre tende a deixar a mulher mais irritada e mal-humorada. Não bastassem todas as alterações hormonais e físicas, ter que lidar com esse incômodo é mais um dos desafios.

Também é preciso saber que as mudanças nas bactérias boas da flora intestinal (provocadas por uma alimentação ou ingestão de antibióticos) podem levar a diversas doenças como depressão e ansiedade — além de desequilibrar todo o funcionamento do órgão.

Dica: 5 exames que uma mulher deve fazer antes de engravidar

A constipação na gestação pode acontecer por vários motivos: hormônios, estilo de vida, alimentação, suplementos alimentares ou algumas condições médicas.

Outra explicação plausível para a constipação, também, é toda a mudança no corpo da mulher. Com o crescimento do útero, o intestino fica mais comprimido. Além disso, à medida que a barriga cresce, os músculos abdominais ficam distendidos, prejudicando os movimentos peristálticos.

A notícia boa é que existem meios seguros que podem fazer parte da sua rotina e melhorar bastante o desempenho do intestino.

É importante estar sempre atenta a como andam suas idas ao banheiro para, assim, manter uma boa qualidade de vida e, caso precise, mudar a dieta alimentar e introduzir outros hábitos saudáveis no dia a dia.

Clique no banner para baixar o guia de saúde da gestante:

5 dicas para tratar e prevenir a prisão de ventre na gravidez

1. Cuide da alimentação

A alimentação saudável é uma grande aliada para evitar o intestino preso. Evite cair na tentação de consumir muito do que não traz nutrientes. Veja os alimentos mais indicados!

Água

A água é um hidratante natural. Ela é imprescindível para o bom funcionamento não só do sistema digestivo, mas do organismo como um todo. Além disso, ela ajuda a eliminar as toxinas existentes no corpo e evita a infecção urinária.

Outros líquidos não são tão eficientes quanto ela. Então, além de sucos, beba a água pura. Cerca de 8 copos por dia costuma ser o suficiente. Porém, a quantidade pode variar de acordo com o peso corporal e a necessidade específica da pessoa.

Aveia

A aveia contém fibras, que ajudam na redução do colesterol ruim, proporciona saciedade e ajuda a combater o intestino preso. Suas fibras insolúveis ajudam na formação das fezes, ao deixá-las mais úmidas. Uma ideia é inseri-la em vitaminas ou tentar fazer panquecas mais saudáveis, substituindo a farinha de trigo por ela. Para adquirir este efeito, vale lembrar que é preciso sempre aumentar a ingesta hídrica juntamente com as fibras. Caso contrário, poderia prender ainda mais o intestino.

Frutas laxativas

O mamão, além das fibras, contém uma substância chamada papaína, que estimula os movimentos do intestino e, com isso, a expulsão das fezes. Já a ameixa contém didroxifenil isatina e sorbitol. A primeira substância estimula os movimentos da digestão. A segunda tem o poder de se aliar às fibras e acelerar o trânsito intestinal. Pode ser encontrada in natura ou seca, em lojas especializadas.

Iogurte

Procure as opções saudáveis, sem muita adição de ingredientes. O ideal é que contenha apenas leite e fermento lácteo. O iogurte é um alimento que contém lactobacilos, que atuam como probióticos naturais e são bactérias benéficas à saúde do intestino. São como enzimas digestivas e regulam a flora intestinal.

Vegetais folhosos

Auxiliam na regulagem do intestino. É importante ingeri-los regularmente e variar no tipo. Também têm grande quantidade de água, promovendo mais saciedade.

Dica: Cheguei a 4 semanas de gravidez! E agora?

2. Faça atividades físicas

Ao se exercitar, o metabolismo fica mais acelerado, beneficiando o funcionamento do organismo. Há aumento da circulação sanguínea, irrigando de melhor forma o aparelho digestivo.

Outro benefício é a regulação hormonal. No início da gestação, é normal que a mulher apresente um elevado nível de progesterona no organismo. Esse hormônio é produzido no ovário e faz com que aumente a quantidade de gases intestinais. Além do desconforto e inchaço, isso influencia no intestino preso.

Assim, procure alguma atividade do seu agrado e com o consentimento médico. Isso porque atividades muito pesadas podem ser prejudiciais. Geralmente, caminhadas, hidroginástica e natação são liberadas.

3. Cuide da sua ansiedade

Você sabia que a ansiedade pode desregular o funcionamento do intestino? Em alguns casos ela colabora para a intensificação da prisão de ventre. Então, invista em atividades que lhe ajudam a relaxar.

Ioga e meditação são boas opções. Alguns institutos oferecem ioga para gestantes. Informe-se em sua cidade, mas consulte seu médico antes de iniciar as atividades. Existem aplicativos de meditação guiada, que podem ser baixados facilmente nos celulares e não ocupam muito espaço. São simples e não exigem muitos minutos do seu dia.

Ter uma boa noite de sono é também importante para regular os seus hormônios e baixar os níveis de ansiedade.

4. Não tome remédios por conta própria

As medicações são para ocasiões específicas e, se usadas de forma incorreta, podem causar mais prejuízo ainda.

No caso do intestino preguiçoso, o remédio pode desregular o funcionamento da digestão. Assim, o organismo não responderá mais de forma tão eficaz na ausência da medicação. Isso obriga você a ir aumentando as doses.

Além disso, na gestação, nenhum remédio deve ser tomado sem o aval do seu médico. Alguns medicamentos podem prejudicar a formação do bebê e ainda colocar em risco a saúde de vocês dois.

5. Preste atenção nas reações dos alimentos

Alguns tipos de intolerância alimentar podem prejudicar o bom funcionamento do intestino, aumentando os gases e também a dificuldade de ir ao banheiro. Então, tente observar se sempre que você ingere um alimento em particular, ele lhe faz mal de alguma forma.

Se a constipação persistir, verifique com o médico a possibilidade de um medicamento mais natural, que não prejudique a gestação.

Um acompanhamento com nutricionista também pode render ótimos resultados. Esse especialista vai verificar se a sua alimentação está sendo feita da melhor forma e com a quantidade certa dos nutrientes. Ele também pode introduzir alimentos do seu agrado e que ajudem na digestão.

Clique no banner abaixo para acessar a agenda da gravidez e acompanhe sua gestação semana a semana:

Esperamos que nossas dicas para evitar a prisão de ventre na gravidez tenham ajudado de alguma forma. Siga-nos nas redes sociais — Facebook, Instagram e Twitter — e não perca nossas publicações!

Categorias: Gravidez , Saúde na gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.