Gravidez

Gravidez em todas as idades

A gravidez é um período muito especial na vida da mulher, independente da faixa etária em que ela acontece. Apesar do desejo de se tornar mãe não mudar de acordo com a idade, o organismo feminino reage de maneiras diferentes para promover o desenvolvimento do feto em cada época da vida. No texto de hoje vamos falar um pouco sobre a gravidez em todas as idades da mulher, tratando não somente da resposta do organismo a essa nova situação, mas também dos riscos e das expectativas que podem ser observadas nesses períodos. Confira e tire todas as suas dúvidas sobre esse assunto!

Gravidez dos 20 aos 30

A faixa etária que varia dos 20 aos 30 anos é a mais recomendada, biologicamente, para a mulher engravidar. Nessa fase, o organismo ainda é jovem, saudável e apresenta baixos riscos de defeitos genéticos que podem afetar a formação do bebê. Apesar de ser um cenário favorável para a gestação, hoje em dia muitas mulheres têm tomado a decisão de engravidar mais próximo, ou após, os 30 anos.

Dica: Como a genética pode influenciar no surgimento de doenças na gravidez

As mulheres que dão preferência por ter filhos antes dos 30 podem usufruir dos benefícios de ter um organismo mais jovem: as chances de ter um parto normal sem complicações são maiores, a de ter filhos sem problemas ou doenças congênitas são menores e os índices de aborto espontâneo são relativamente baixos (aproximadamente 15% dos casos).

A gravidez na mulher jovem também enfrenta alguns desafios naturais ao lidar com a sua própria insegurança e inexperiência ao ter um filho nessa idade, situação que pode ser contornada com a ajuda de parentes ou, em casos mais graves, de um profissional da área de psicologia.

Gravidez dos 30 aos 40

A faixa etária dos 30 aos 40 anos é, talvez, a mais valorizada pelas mulheres atuais, já que essa é a época em que elas se encontram mais estáveis e satisfeitas profissionalmente, encontrando tempo e emocional disponível para se dedicar a um filho. Essas mulheres enfrentam, entretanto, um grande desafio metabólico e corporal para conseguir engravidar, já que é natural ter uma redução significativa da ovulação com o avanço da idade. Alguns especialistas afirmam que mulheres acima dos 30 anos podem levar o dobro do tempo para conseguir engravidar quando comparadas com jovens na faixa dos 20 anos. Essa dificuldade faz com que muitos casais comecem a procurar tratamentos de fertilidade para conseguir gerar um bebê.

Apesar da dificuldade em engravidar, os riscos durante a gestação e o parto de uma mulher nessa faixa etária também são baixos, uma situação muito similar à encontrada em mulheres entre 20 e 29 anos. Os problemas relacionados com hipertensão, diabetes gestacional ou partos prematuros podem ser evitados ou reduzidos, com o acompanhamento pré-natal.

Dica: Entenda a importância do ultrassom com Doppler na gravidez

Após os 35 anos, devido ao envelhecimento natural dos óvulos, as chances de problemas genéticos podem aumentar. Porém, mesmo assim é possível ter uma gestação saudável, especialmente se o acompanhamento pré-natal for feito durante todo esse período. As mulheres dessa idade também se consideram mais seguras financeiramente e psicologicamente para criar um filho e, por esse motivo, apresentam uma estrutura emocional mais equilibrada do que as mães na faixa dos 20 a 30 anos.

Gravidez dos 40 aos 50

Tem se tornado cada vez mais comum encontrar mulheres que optam por ter filhos após os 40 anos de idade, graças ao avanço da medicina, oferecendo técnicas que permitem que a gestação transcorra sem grandes complicações. A opção por ter filhos nessa faixa etária também é comum em mulheres que decidem priorizar a estabilidade na carreira profissional, para depois se dedicarem a criação de uma criança.

Mulheres a partir dos 40 anos têm, naturalmente, menores chances de fecundar um óvulo da maneira natural, já que, com o avanço da idade, menor é o número de óvulos disponíveis. Por esse motivo, muitas dessas mulheres procuram tratamentos específicos para engravidar, podendo recorrer até o método de fertilização in vitro.

Outro avanço da ciência foi a descoberta do uso das células-tronco que podem ajudar no futuro da sua família. Descubra mais no banner abaixo!

Descubra como as células-tronco podem ajudar no futuro da sua família

Os riscos de desenvolver fetos com deficiências congênitas ou anormalidades cromossômicas (como, por exemplo, a síndrome de Down) são maiores do que em mulheres mais novas. Também são mais frequentes os quadros de aborto espontâneo, que chegam a representar 25% dos casos nessa faixa etária. Por esses diversos motivos, é essencial que o acompanhamento pré-natal seja benfeito nessa faixa etária.

A gestante aos 40 também pode sofrer mais as consequências da gravidez: em geral, ela pode se sentir mais cansada, ter mais dores, mais inchaços e mais desconfortos naturais da gestação, já que seu corpo não tem a mesma flexibilidade e disposição de um organismo de 20 ou 30 anos, no entanto, isso pode variar de uma mulher para outra. Por outro lado, essa é a fase em que as mulheres estão mais psicologicamente preparadas para cuidar de uma criança, já que sofrem menos os efeitos da ansiedade e são mais tranquilas em suas tomadas de decisão.

Gestação após os 50 anos

Uma situação que era pouco imaginada alguns anos atrás hoje é uma realidade na rotina de muitas mulheres espalhadas pelo mundo: a maternidade após os 50 anos. A gestação nessa faixa etária é permitida hoje graças aos avanços da ciência na área da fertilidade humana, que ajudam a realizar o sonho de muitas mulheres que não conseguiram ter filhos antes por diversos motivos.

Dica: 5 exames que uma mulher deve fazer antes de engravidar

A gestação após os 50 anos, entretanto, é considerada uma gestação de risco, já que o corpo da mulher não responde aos estímulos da mesma maneira do que o de uma mulher mais nova. Por isso, é essencial que essa futura candidata a maternidade mantenha hábitos de vida saudáveis e seja acompanhada regularmente por um médico obstetra.

Como a faixa etária dos 50 anos é a idade média quando ocorre a menopausa, essas mulheres precisam de um suporte hormonal, ou até mesmo da doação de óvulos, para conseguirem se tornar férteis. As taxas de complicações durante a gestação são altíssimas nessa faixa etária (hipertensão, diabetes gestacional, problemas renais, problemas com o desenvolvimento da placenta), por esse motivo o acompanhamento médico é extremamente rigoroso. O momento do parto também exige bastante cuidado pela parte da equipe médica.

Apesar de todas as complicações e dificuldades biológicas, o psicológico da mulher aos 50 anos recebe muito bem a responsabilidade da maternidade, já que a mulher madura é muito mais decidida e responsável. A disposição para cuidar de uma criança nessa época da vida precisa ser trabalhada, afinal, será muito cansativo, fisicamente, cuidar de um filho nos seus primeiros anos de vida, mas a satisfação de finalmente alcançar a maternidade não tem preço.

Você já decidiu em qual idade vai tentar engravidar? Deixe seu comentário e compartilhe suas experiências conosco!

Categorias: Gravidez

Tags: ,

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.