Gravidez

9 semanas de gravidez: saiba o que acontece nessa fase

As 9 semanas de gravidez chegaram! Apesar de algumas mulheres ainda não parecerem gestantes, o abdômen provavelmente está mais largo, fazendo com que calças e blusas fiquem mais apertadas nessa região.

O bebê, que já pode ser chamado de feto, ainda é bem pequeno: do tamanho de uma azeitona. Porém, o seu desenvolvimento não para. As pálpebras já se fecham, as articulações permitem que ele se movimente bastante e os milhares de neurônios no cérebro permitem que ele escute sons (é a fase de começar a conversar com o seu filho!).

Que tal conhecer as mudanças e os sintomas mais comuns nessa fase? Continue lendo este post!

O que pode acontecer nas 9 semanas de gravidez

Esse ainda é o começo da gestação, e é comum que algumas mulheres só descubram agora que vão ser mamães. Ainda que não tenham aquela aparência de gestante, as sensações típicas do período não negam que as mudanças corporais já estão acontecendo.

O bebê já tem o rosto mais desenvolvido e, consequentemente, uma aparência mais humana. O coração já está bem formado e os músculos, em desenvolvimento. Outros órgãos — como baço, fígado e vesícula — também estão se definindo. Já se nota grande movimentação. Porém, por ser muito pequeno, a mamãe só vai senti-la mais para frente.

Dica: Afinal, quando começam os enjoos da gravidez?

Na mulher, os seios podem estar maiores e mais duros. As aréolas também podem estar diferenciadas, com algumas manchas esbranquiçadas. É sinal de que o corpo está se transformando para produzir o leite daqui alguns meses.

Pode haver ainda um pequeno e discreto sangramento vaginal nesta fase, que pode ser explicado pela placentação. A placenta inicia sua formação a partir de 8 semanas e nesta fase começa a se ligar aos vasos maternos. Neste momento pode haver um discreto sangramento, sem repercussões ou danos para a gravidez. O importante é avisar ao seu médico sempre que houver qualquer alteração.

Quais são os sintomas comuns nas 9 semanas de gestação

Cada gravidez é peculiar. Os sintomas variam de mulher para mulher, inclusive em gestações diferentes para a mesma mamãe. Contudo, podemos dizer que há uma predominância dos seguintes sintomas:

Fadiga e sonolência

O recomendado é que a mulher consiga dormir 8 horas por dia para acordar bem-disposta e encarar a rotina no dia seguinte. Porém, mesmo que sigam essa regra, muitas podem se sentir sem energia ao longo do dia.

Não é para menos: o organismo está se transformando para abrigar um bebê. O gasto energético é grande agora, o que desencadeia esse cansaço maior. Além disso, a ação dos hormônios — como a progesterona — também induz à sonolência.

Proporcione uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo:

Existem 2 maneiras de conseguir lidar com esse cansaço excessivo:

  1. tente descansar bem de noite e respeitar a exaustão do corpo durante o dia, não se forçando a realizar atividades que você acha que não dará conta;
  2. cuide da alimentação, fato que exerce interferência grande na nossa energia. Algumas dicas podem ser:
  • beba muita água;
  • não exagere no açúcar nem no carboidrato refinado. Ambos aumentam a insulina de forma rápida no sangue, o que colabora para o sono maior;
  • inclua alimentos saudáveis, como frutas, vegetais e proteínas magras;
  • procure uma nutricionista se tiver dúvidas na proporção. Não precisa comer por 2, mas também não é uma fase para se preocupar demais com o peso. Os quilos a mais tem que ser ganhos de forma saudável.

Urina frequente

A ida frequente ao banheiro é um sintoma característico de uma gestação. Esse comportamento ocorre principalmente no e no 3° trimestre.

O motivo agora no começo é devido à ação hormonal e ao aumento da circulação sanguínea, fato que aumenta também a quantidade de líquido a ser processado pela bexiga.

Não deve ser causa para se preocupar, a menos que a mulher sinta dores ao urinar ou tenha a sensação de que a bexiga não foi totalmente esvaziada.

Apesar de ser um pouco incômodo, tente encarar como um sinal de que sua gravidez está se encaminhando de um jeito saudável. Assim, continue se hidratando bem no decorrer do dia, pois é pela urina que há a liberação de impurezas do organismo.

Dica: Saiba quais são as causas da azia na gravidez e como prevenir

Para lidar melhor com o sintoma, tente:

  • ingerir menos líquido na hora de dormir. Assim você se levanta menos durante a madrugada;
  • evitar consumir produtos diuréticos, pois aumentam a produção de urina.

Enjoo e náusea

Sensação predominante na maioria das gestações, o enjoo tende a cessar lá pelo 2° trimestre. O maior vilão que colabora para tal sintoma é o aumento de níveis hormonais — principalmente o HCG, que fica em doses altas nos primeiros meses.

A preocupação deve vir quando a mulher tem enjoos tão fortes a ponto de vomitar com frequência. Isso pede mais atenção por poder prejudicar a saúde da mamãe e do bebê: ambos podem deixar de receber os nutrientes necessários para a boa gestação.

Em casos mais críticos, é aconselhável pedir orientação ao próprio obstetra, que poderá verificar a consequência das circunstâncias e a possibilidade de uma medicação que não seja prejudicial à fase.

Existem alguns truques para amenizar o desconforto em casos mais comuns. Veja:

  • não fique muitas horas sem se alimentar, pois o suco gástrico que o estômago produz pode aumentar a sensibilidade para náuseas;
  • evite alimentos gordurosos;
  • tome um chá com um pedaço bem pequeno de gengibre, pois ele é um estimulante para a digestão;
  • procure ar puro e respire fundo, com calma, no momento que o enjoo surgir.

Proporcione uma experiência mais gostosa e segura tanto para você quanto para o seu bebê. Confira no banner abaixo:

Tontura e sensação de desmaio

A ação hormonal nas primeiras semanas da gravidez e a pressão dos vasos sanguíneos pelo crescimento do útero pode fazer a pressão arterial cair, surgindo assim as vertigens. Quem tem tendência a ter pressão baixa pode sofrer mais com esse sintoma.

Procure um médico se houver desmaios ou visão embaçada com frequência, pois pode ser um sinal de anemia.

Para evitar ou aliviar tontura:

  • evite ficar muito tempo sem se alimentar, o que abaixa a taxa de glicemia no sangue;
  • não levante muito rápido, se estiver sentada, pois o sangue não tem tempo de chegar ao cérebro;
  • evite lugares cheios e quentes;
  • esteja bem hidratada;
  • sente-se devagar ou procure ar fresco se a sensação aparecer;
  • verifique com o médico alguma atividade leve, como a caminhada, para aumentar a circulação sanguínea.
  • em caso de sensação eminente de desmaio ou pressão baixa, deite-se e eleve os membros inferiores. Rapidamente isso fará com que o retorno do sangue venoso para o coração seja mais veloz e a pressão volte aos níveis normais, resolvendo o sintoma em alguns minutos.

Corrimento vaginal esbranquiçado

Geralmente um corrimento dessa cor e sem cheiro é sinal de que a progesterona está atuando em grande quantidade e que tudo está dentro do esperado com a gestante.

Todavia, se for de forma abundante ou apresentar um odor desagradável, pode ser sinal de infecção ginecológica, como a candidíase (que causa ardência e coceira, sem odor) . É importante estar com o pré-natal em dia, pois ele diminui as chances da mulher desenvolver alguma doença que prejudique o crescimento do bebê.

Ainda assim, evite corrimentos mais sérios:

  • não usando calças muito apertadas;
  • secando bem a região da vagina;
  • não deixando a calcinha secar no box do banheiro;
  • preferindo roupa íntima de algodão.

Ainda que esteja no começo da gestação, as 9 semanas de gravidez são repletas de sensações novas.

Grande parte dos sintomas aqui serão diminuídos com o passar do tempo, e toda essa atividade hormonal é necessária para preparar o organismo da mulher a acolher o bebê, que precisará se desenvolver de forma saudável.

Continue acompanhando a sua gravidez conosco. Siga-nos no Facebook e no Instagram e receba as melhores dicas para uma boa gestação!

Categorias: Gravidez , Primeiro trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.