Gravidez

23 semanas de gravidez

Junto com as 23 semanas de gravidez chegam também algumas modificações no corpo da mãe e no desenvolvimento do bebê.

Você já está com 6 meses e é provável que os enjoos iniciais tenham cessado e que seu filho esteja mais ativo. Apesar disso, a barriga ainda não está tão grande, o que torna essa fase bem agradável para a maioria das mamães.

Os exames continuam para garantir que sua gestação seja a mais saudável possível. Afinal, é preciso acompanhar o pré-natal ao longo de toda a gravidez e se cuidar bem.

Neste artigo, reunimos algumas informações sobre as mudanças com o bebê e o seu corpo nessa fase. Está curiosa para saber? Então, continue!

Desenvolvimento do bebê

Nas 23 semanas de gravidez, o saco amniótico tem por volta de meio litro de líquido, e é renovado a cada 3 ou 4 horas. Ele é importante para proteger o bebê de infecções e funciona como uma proteção mecânica contra traumas. Também o ajuda a flutuar, fazendo com que ele se exercite bastante dentro da barriga.

O peso do bebê está por volta de 500 g, e o tamanho costuma ficar em torno de 29 cm. Independentemente da etnia, a pele é bem avermelhada e, ainda, enrugada. Isso acontece pela presença de vasos sanguíneos bastante visíveis e pelo fato de a pele ainda ser meio transparente. Essas características tendem a mudar só depois do nascimento.

Os pulmões ainda estão se desenvolvendo e cada vez mais aumenta o número de vasos sanguíneos que o irrigam. O pâncreas começa a ser ativado, fazendo com que o organismo seja preparado para produzir insulina.

Os traços do rosto já estão mais definidos e os olhos começam a se mover. A audição fica mais apurada, o que faz com que o bebê escute tanto sons internos (como as batidas do coração da mãe), quanto os externos (como alguma música). O corpinho já está bem semelhante ao que ele terá ao nascer.

Dica: Entenda a influência da música na gestação

Sintomas na fase gestacional

Nessa fase, é possível que você comece a sentir um desequilíbrio. Isso é normal, já que o seu centro de equilíbrio está mudando.

Como a barriga está aumentando, a tendência é que você tenha mais dificuldade para sustentá-la, o que prejudica a coluna e pode trazer dores. A lombar costuma ser a área mais afetada, então comece a evitar saltos altos.

A gengivite é um sintoma que surge na maioria das gestantes. Ela costuma provocar sangramentos facilmente, ao passar o fio dental ou escovar os dentes. Se for a sua realidade, a dica é consultar um dentista de confiança, a fim de pegar as orientações adequadas para amenizar o desconforto.

Outro sintoma dessa fase gestacional é o aumento da sede. Ela acontece principalmente porque o metabolismo pode estar mais acelerado. Assim, ande sempre com uma garrafinha de água para manter o organismo bem hidratado.

A azia é mais frequente agora, já que o crescimento do bebê empurra o estômago e o esôfago da mãe. Ter uma alimentação leve e saudável começa a fazer cada vez mais a diferença. As cãibras também começam a aparecer. Principalmente para a mulher que apresenta predisposição a problemas circulatórios.

Se sentir contrações de Braxton Hicks, não se apavore. É o corpo se preparando para o momento do parto. No entanto, recomendamos que você tire todas as dúvidas dos seus sintomas com o seu médico.

Apesar de todas as transformações, se não houver restrição médica, as grávidas ainda se sentem dispostas para trabalhar durante esse período. Aproveite essa fase para colocar tudo em ordem, já que em dois meses essa energia começa a diminuir.

Mudanças no corpo da mãe

É provável que a altura do útero já tenha atingido 22 cm. Nesse período, também aparecem as estrias, principalmente para as mulheres com tendência a desenvolvê-las. Então, mais do que nunca é importante inserir alguns cuidados na rotina, como hidratar a pele com óleos.

Outra mudança comum é o sumiço do umbigo. Mas não se preocupe: ele volta ao normal após o parto. Também é possível que você perceba seus seios um pouco maiores. Isso pode trazer desconforto e pode ser preciso aumentar a numeração do sutiã. O importante é investir em algo que dê sustentação, para não piorar as dores nas costas.

Seu peso deve ter aumentado cerca de 4 a 6 quilos, dependendo da predisposição genética e dos costumes alimentares. É importante tomar cuidado com isso, para evitar doenças que coloquem em risco você e o bebê, como a diabetes gestacional.

Confira as informações sobre armazenamento de células-tronco do cordão umbilical no banner abaixo:

Cuidados com a saúde

É importante manter a alimentação saudável e evitar comer muito a cada refeição. Prefira ingerir menos em quantidade, mas aumentar a frequência dos lanchinhos. Isso diminui as azias e indigestões.

Caso o médico libere, tente fazer uma caminhada de meia hora diária. A prática de alguma atividade ativa a circulação sanguínea, diminui as sensações de pernas inchadas, as cãibras e o risco de trombose.

Nessa fase, as necessidades de proteínas aumentam. Elas são essenciais para o desenvolvimento saudável do bebê. Você a encontra em carnes, peixes, ovos, leite, queijos, iogurtes e leguminosas. Para as mamães vegetarianas e veganas, o ideal é ter um acompanhamento no nutricionista, a fim de verificar se é preciso algum suplemento.

Também não se esqueça das gorduras boas. Elas contêm grande quantidade de ômega 3 e 6, sendo essenciais para o desenvolvimento cognitivo do seu filho e para ajudar no transporte de vitaminas e hormônios. Boas fontes são: abacate, salmão, azeite e pinhão.

Até a próxima semana, é provável que seu médico solicite um hemograma, a fim de avaliar a falta de nutrientes e o nível de glicose no organismo.

Dica: 4 dicas para lidar com as mudanças que a gravidez traz para o corpo da mulher

Dica/curiosidade da semana

Nas 23 semanas de gravidez, o bebê tem o tamanho aproximado de uma berinjela. Nas próximas quatro, o desenvolvimento será tão rápido que ele dobrará de peso, chegando a 1 quilo. Além disso, nessa fase, ele já consegue escutar a voz da mãe e a distingue no meio de várias outras. Então, converse e cante para ele sempre que puder. Isso o acalma e ajuda a aumentar o laço entre vocês.

Um dica: comece a procurar por cursos sobre parto e nascimento. A maioria deles é voltado para gestantes a partir da 32ª semana, mas é válido descobrir com antecedência onde eles estão disponíveis.

Apesar de o segundo trimestre ser o mais tranquilo, já que os enjoos acabaram e o bebê ainda não está tão grande, é importante manter diferentes cuidados nas 23 semanas de gravidez e estar em dia com as consultas médicas. Se você ainda não fez o ultrassom morfológico, está na hora de ir atrás disso — comumente, ele costuma ser solicitado até a 24ª semana.

Gostou do artigo? Que tal descobrir o que vai acontecer com você e o bebê na próxima semana?

Categorias: Gravidez , Segundo trimestre de gravidez

Mais de 100.000 mães acompanham nosso conteúdo!

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    Dra. Juliana Torres Alzuguir Snel Corrêa

    (CRM: 5279398-1)
    Residência Médica em Ultrassonografia Obstétrica e Geral;
    Ginecologia Infanto Puberal (criança e adolescente);
    Atua como ginecologista obstetra há 12 anos.

    Caro Leitor,

    A CordVida produz o conteúdo desse blog com muito carinho e com o objetivo de divulgar informações relevantes para as futuras mães e pais sobre assuntos que rondam o universo da gravidez. Todos os artigos são constituídos por informações de caráter geral, experiências de outros pais, opiniões médicas e por nosso conhecimento científico de temas relacionados às células-tronco. Os dados e estudos mencionados nos artigos são suportados por referências bibliográficas públicas. A CordVida não tem como objetivo a divulgação de um blog exaustivo e completo que faça recomendações médicas. O juízo de valor final sobre os temas levantados nesse blog deve ser estabelecido por você em conjunto com seus médicos e especialistas.